Você está aqui:Home » Dicas » Professores » 20 dicas para quem quer ser professor de educação infantil

20 dicas para quem quer ser professor de educação infantil

Olá, leitor!

Quem quer ser professor de educação infantil?

Atualmente, muitas pessoas iniciam a faculdade de pedagogia e não sabem o que é ser professor de educação infantil. Vamos relacionar vinte dicas que você precisa saber. Confira!

Descubra 20 dicas para quem pretende ser professor de educação infantil!

professor_de_educacao_infantil_

1. Empatia com crianças de zero a seis anos

Atualmente muitos estudantes iniciam o curso e não sabem se possuem empatia com crianças de zero a seis anos de idades. É de fundamental importância que se tenha empatia, primeiro para você se relacionar bem com os alunos, segundo para não adoecer ou desistir.

Uma dica é fazer o teste vocacional e prático para determinar sua disponibilidade a essas características.

2. Estar emocionalmente equilibrado

Infelizmente, há casos de pessoas que não conseguem manter o equilíbrio emocional em situações de estresse. Um professor de educação infantil necessita muito de equilíbrio emocional.

Normalmente, as crianças de determinada faixa etária choram bastante, gritam, não conseguem se expressar por meio da fala. A medida que crescem e começam a falar, conseguem controlar melhor as situações expressando o que sentem e o que necessitam.

3. Ter segurança

Via de regra, todo início de carreia pode ser complicado. Você necessita ter segurança e firmeza e saber o que realmente quer.

Se for possível seja voluntário em uma escola. Veja a atuação de outros professores, escute suas angústias e desejos. Adquira segurança ao que deseja realizar.

4. Projeção de carreira

As pessoas buscam estabilidade na construção de uma carreira. Realize uma projeção, pense o que quer fazer daqui a cinco anos. Depois, daqui dez anos e assim sucessivamente. Escreva numa folha ou em um caderno.

Em seguida, pense nas crianças. Elenque que faixas de idade você conseguiria trabalhar melhor. Escreva e compare com a lista anterior. É compatível o que você quer fazer com o público que irá trabalhar?

A dica fundamental é realizar este exercício antes de qualquer tomada de decisão, seja ela profissional ou pessoal. Analise e reflita antes de tomar decisões importantes na sua carreira.

5. Campo de atuação

O campo de atuação é grande, pois o professor formado em educação infantil pode lecionar em instituições de ensino privadas ou públicas.

Algumas escolas ou entidades contratam estagiários remunerados, uma dica é a fazer a inscrição no SIEE (Serviço de Integração Escola-Empresa) de sua cidade.

6. Escolas privadas

Na maioria das vezes, iniciar a carreira e procurar emprego é uma tarefa difícil. Porém, se durante seu estágio não remunerado você conseguir ter uma boa postura e desempenho, ficará mais fácil procurar a escola depois de formado.

Uma outra opção é o estágio remunerado enquanto estuda, neste caso, você verifica quais são as possibilidades da efetivação, uma vez que você já é funcionário daquele estabelecimento.

Uma dica é elaborar um bom currículo, contendo os cursos que já realizou e suas experiências anteriores. Muitas instituições valorizam o trabalho voluntário. Recomendamos que leia o artigo “Quais são os principais tipos de entrevista de emprego?

7. Escolas Públicas

Normalmente, para ser professor de escola pública é necessário realizar um concurso público após a graduação que lhe permitirá assumir o cargo.

Há localidades que possuem um cadastro para professores substitutos não concursados.

Escrevemos um artigo que lhe ajudará a compreender melhor o que é ser um concurseiro iniciante, e outro sobre como se preparar para as provas. Você pode ler o artigo clicando no link: “Passo a passo para ser um concurseiro iniciante de sucesso“.

8. Apoio pedagógico

Nas escolas maiores há um apoio pedagógico, um coordenador que revisa os planos de aulas e projetos de cada professor. Muitas vezes ele também acompanha as aulas, verifica se o planejamento está sendo seguido, podendo opinar e realizar apontamentos.

Porém, há escolas em que o diretor acumula a função de coordenador e nem sempre pode estar presente acompanhando os professores.

O fato é que o professor necessita ter habilidades para administrar sozinho a classe.

Uma dica é aproveitar ao máximo o estágio, observar bem como os professores lidam com os conflitos e com o processo de ensino-aprendizagem. Absorva tudo o que puder.

9. Organização do ambiente e atividades

Os professores e demais profissionais da educação infantil precisam organizar os ambientes de forma que favoreçam a harmonia e a produtividade.

Além de criar hábitos sadios e valores, uma vez que as famílias trabalham e não têm tempo de educar as crianças em casa.

Cabe a escola verificar as necessidades para favorecer atividades de conscientização ambiental e social. Lembrando que as atividades escolares precisam também desenvolver o raciocínio lógico.

Uma dica são os jogos, desenhos e algumas atividades que podem ser encontradas na internet.

10. Escolha de atividades

Quando se inicia em uma escola, deve-se primeiramente ler o Projeto Político Pedagógico ou Plano Gestor, para compreender a ideologia daquela instituição.

Algumas escolas particulares priorizam o ensino apostilado, neste caso, o professor precisa ler antecipadamente e verificar se consegue acrescentar alguma atividade extra e seguir o currículo.

Porém, há escolas que deixam essa responsabilidade ao professor, a elaboração de atividades. Neste caso é necessário que o professor planeje bem a sequência didática.

Deve também ter em mente um cronograma seguindo o currículo anual para realizar os planos de aula em uma sequência lógica.

11. Comportamento adequado em sala

A medida que o aluno cresce começa a solicitar mais atenção. Ele observa o adulto, que se torna a base de sua segurança física e emocional. Sendo assim, se sentirá mais seguro à medida que você:

  • Responda quando ele chorar;
  • Olha nos olhos dele;
  • Conversa com ele;
  • Sorri para ele.

Com a maturidade do comportamento inicia-se outra fase, a da descoberta e da aprendizagem formal, ou seja, as crianças que iniciam atividades de pintura e modelagem.

Uma dica é observar se o aluno consegue controlar o instinto de colocar os materiais na boca, se tem controle dos materiais e em que nível de desenvolvimento se encontra.

12. Atividade adequada para bebês

Existem atividades adequadas a cada faixa etária, os bebês precisam de estímulos visuais e motores. No decorrer dos meses necessitam de apoio para dar início ao ato de caminhar.

É muito importante ler, conversar e cantar para os bebês, estes estímulos favorecem a fala.

Uma dica é deixar o bebê segurar livrinhos, isso o ajudará no desenvolvimento da coordenação motora e se habituarem a ter um comportamento de leitura.

13. Atividade adequada para crianças de 1 ano

A maioria das crianças nesta faixa etária se movimenta muito, se concentra por volta de cinco minutos em cada atividade. Como está se acostumando a andar, provavelmente caminhe na ponta dos pés, para conseguir visualizar os lugares que normalmente são mais altos.

É importante que se treine a independência do aluno, permitir realizar algumas coisas sozinho. Um bom treino é a alimentação, colocar a comida na boca é uma tarefa difícil no começo, mas com treino e desenvolvimento da coordenação motora, se tornará mais fácil.

Com a descoberta da coordenação motora fina, pode-se propiciar atividades de empurrar peças ou objetos, lançar bolas e jogar em um alvo ou no chão.

Uma dica são as atividades que envolvem tirar peças ou objetos de um lugar para colocar em outro. Aqui entra o famoso “esconde-esconde”, no início a criança só esconde o rosto e acha que não pode ser vista.

14. Atividade adequada para crianças de 2 anos

Nesta fase ocorre o desenvolvimento emocional e social do aluno, gerando muitas vezes instabilidade de postura e de humor. Muitas vezes seu aluno falará que é “grande”, que aquilo é para “neném”. Porém, pode ser que ao passar alguns minutos ele queira colo ou faça manha.

Estas ações de instabilidade são as famosas regressões, ele quer realizar mais atividades, mas se recorda que é bom ser pequeno, neste momento se evidencia o aperfeiçoamento da memória.

Uma dica é mesclar atividades de pintura e modelagem com os cantinhos de leitura e de rodas de conversa. Ele verá que continua sendo amado, apesar de estar crescendo.

15. Atividade adequada a partir de 3 anos

Normalmente para esta idade existem livros e apostilas que apontam o início do letramento e alfabetização, bem como o trabalho com os números e conceitos de grandeza. O importante é não esquecer o desenvolvimento psicológico e social.

Nesta fase, os alunos ainda desenvolvem suas emoções ou sentimentos mais complexos. Podemos observar isso quando prestamos atenção nas suas brincadeiras com bonecas, carrinhos e blocos de montar.

As crianças imitam os adultos e demonstram como eles veem as situações. Se foi tomar vacina ou teve que ir ao pediatra e tomou injeção, provavelmente a boneca ou o ursinho tomará injeção também.

Se isso persistir durante os dias converse com o aluno e tente entender o motivo da repetição.

Uma dica para perceber se os alunos são empáticos com suas ações, é propor que eles se tornem a professora ou professor e façam uma atividade com a classe.

Você observará como eles se enxergam ao realizar as tarefas e aplique mudanças de comportamento se for mais adequado.

16. Atividade de letramento e alfabetização

As crianças de modo geral são muito curiosas, gostam muito de objetos coloridos e com texturas diferentes. Por isso é fundamental desde bebê a visualização e manuseio de livros, bem como ouvir histórias, pois favorecerem a linguagem.

Uma dica é ter livros coloridos com desenhos, almofadados ou de banho, bloquinhos e tapetes de EVA com letras, são ótimos para os estímulos.

Uma atividade legal é apontar as letras do seu nome. Se você tiver como escolher os materiais, selecione também os que possuem cores, formas, animais e outros objetos no livro ou em tapete.

17. A importância da brincadeira

Normalmente os professores se preocupam muito com o conteúdo, porém é imprescindível que os alunos brinquem. O jogo e a brincadeira auxiliarão no desenvolvimento emocional e social do aluno.

Uma dica é verificar os gostos dos alunos, quais são os materiais que podem ser manipulados e que se tornam brinquedos úteis. A maioria das crianças gostam muito de massa de modelar, onde você pode elaborar receitas com eles, dependendo da idade.

18. O uso do monta-monta ou bloquinhos

Grande parte das escolas possuem blocos de montar, este brinquedo permite realizar experiências formulando hipóteses como:

  • Posso colocar todas as peças uma em cima da outra?
  • Será que a torre aguenta mais este bloco?
  • Será que a menor aguenta a maior?
  • Posso utilizar apenas as da ponta para fazer a torre?

Ao passo que se constrói, se testa e se desmonta, o aluno aprende as medidas de grandeza. Além de ampliar o vocabulário e a linguagem.

Uma dica é escrever depois as palavras que eles usaram e refletir sobre os conceitos: embaixo, encima, dentro, fora, tem ponta, é plano, entre outros.

19. Trabalhando com fantasia

Ao ler um livro a criança imagina o cenário e as roupas, como também as ações dos personagens. Quando a escola tem fantasias é muito importante utilizá-las. Sem que se perceba é trabalhado o desenvolvimento da imaginação, da criatividade e do autocontrole.

É uma tarefa importante ter que agir de acordo com aquele personagem. E muitas vezes difícil, pois existe a superação de medos e dificuldades.

Portanto, a dica para quem não possui as fantasias é emprestar roupas e acessórios diversos como lenços, colares, gravatas, entre outros. Os próprios alunos irão inventar suas fantasia.

20. Brincando de “Seu mestre mandou”

As crianças com até seis anos podem ser egocêntricas e precisam desenvolver a capacidade de obedecer às ordens. Nesta brincadeira somente o aluno que é o mestre dá a ordem e todos os demais precisam fazer o que ele pede.

A ação de comandar e ser comandado auxilia o desenvolvimento emocional e social dos alunos. Uma dica é realizá-la ao ar livre, quadra ou pátio, assim os alunos podem se movimentar facilmente.

Está pensando em se tornar um professor de educação infantil? Aproveite cada uma dessas dicas e coloque em prática o desenvolvimento de suas habilidades.

Até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo