Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Você sabe o que são línguas neolatinas?

Você sabe o que são línguas neolatinas?

Olá,

Você já parou para se perguntar qual é a origem das línguas faladas hoje? O português, por exemplo, de onde ele veio? Você sabe ou não tem nem ideia?

Neste texto, vamos falar sobre as línguas neolatinas. Você tem ideia de quais são?

Se não, vem com a gente que até o fim do texto você não terá mais dúvida quanto a isso.

Vamos lá?

Línguas neolatinas: o que são?

Línguas neolatinas

Fonte: Reprodução

Chamamos de línguas neolatinas (também conhecidas como línguas românicas ou línguas latinas) os idiomas que se formaram através da evolução do latim, principalmente do latim vulgar.

O latim vulgar era a variedade do latim falado pelas classes baixas, como soldados, mercadores, colonos, e também por analfabetos e pessoas com pouco estudo. Essa nomenclatura é necessária para distinguir o latim vulgar do latim clássico, que era falado pelos nobres.

Como se formaram as línguas neolatinas?

Entre os anos 350 a.C. e 150 d.C., houve uma expansão do Império Romano, o qual tinha o latim como língua oficial. Essa expansão fez com que o latim se tornasse a língua dominante em boa parte da Europa.

Porém, após o declínio do Império Romano, com o contato dos falantes de latim com as línguas dos povos conquistados e também com a migração de falantes do latim para outras regiões, houve, digamos, uma mistura cultural e linguística. Essa mistura com o passar do tempo fez com que novas línguas fossem surgindo.

O processo ocorria mais ou menos assim: um grupo de pessoas falantes do latim vulgar migrava para outra região. Quando chegavam lá, essas pessoas tinham contato com outras pessoas, que – por sua vez – falavam línguas diferentes. Com o passar do tempo, devido ao contato de culturas e línguas diferentes, ia-se formando uma nova língua. É claro que isso demorava muito tempo.

E o mesmo ocorria entre os representantes do Império Romano e os povos conquistados. A convivência fazia com que mudassem a forma de pronunciar as palavras e também com que fossem incorporando novas palavras ao seu vocabulário.

Para você entender melhor esse processo, pense em alguém que viveu em Portugal em 1400. Agora, imagina se essa pessoa aparecesse “do nada” no nosso Brasil do século XXI.  Essa pessoa do século XV, embora falasse português como a gente, não ia entender muita coisa do que falamos hoje, não é mesmo?

E agora, entendeu como funciona o processo de formação de uma língua? Pegando nosso exemplo para comparação, é como se o português falado em Portugal em 1400 tivesse gerado uma nova língua, a qual falamos hoje no Brasil.

Quais são as línguas neolatinas?

As chamadas línguas neolatinas são inúmeras. Algumas são faladas praticamente em todo o mundo e por milhões de pessoas, enquanto outras são faladas por pequenos grupos ou povos. Por isso, listaremos aqui apenas aquelas mais faladas ou mais conhecidas.

Confira algumas línguas neolatinas e alguns dos lugares onde são faladas:

  • Português: língua falada nos países: Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Timor Leste, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau e Guiné Equatorial;
  • Espanhol: idioma falado na Espanha, na América do Sul e Central (exceto Brasil, Haiti, Guiana e algumas ilhas caribenhas), nas Filipinas e na Guiné Equatorial;
  • Italiano: língua falada na Itália, San Marino e em algumas regiões da Suíça;
  • Francês: língua falada nos países: França, Canadá, Camarões, Gabão, República do Congo, Tunísia, Marrocos;
  • Romeno: língua falada na Romênia e na Moldávia;
  • Catalão: língua falada na Espanha;
  • Aragonês: língua falada na Espanha;
  • Galego: língua falada na Espanha;
  • Mirandês: língua falada em Portugal;
  • Napolitano: língua falada na Itália;
  • Romanche: língua falada na Suíça.

Conclusão

Você viu neste texto o que são línguas neolatinas, como surgiram, além de ter visto também alguns exemplos dessas línguas e em que países são faladas.

Um grande abraço, e até a próxima!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo