Você está aqui:Home » Concursos & Empregos » Concursos » Vale a pena fazer concurso público?

Vale a pena fazer concurso público?

Olá, leitor!

Todos os anos cursinhos e sites de estudos divulgam a promessa de novos concursos públicos com sua estabilidade, seus salários altos e suas oportunidades de carreira no serviço público.

Se você não fez, provavelmente ainda fará. Afinal, ter um emprego garantido sem correr o risco de ser mandado embora é o sonho de muita gente. Pode não ser simples assim! Pergunte a qualquer concurseiro e verá que são anos dedicados ao estudo, adquirindo certa prática em fazer concursos.

Diante dessas questões e de mudanças ocorridas recentemente no mundo do trabalho, vale a pena fazer concurso público? Com esse artigo tentaremos responder a essa pergunta que ajudará a traçar seu objetivo de vida e focar seus esforços para o que realmente pretende. Confira!

Vale a pena fazer concurso público?

fazer_concurso_publico

Existem vantagens e desvantagens na corrida para obter um cargo público por meio de concursos. Separamos aqui algumas. Se você se encontra nesse questionamento, veja nossa lista. Leia, reflita, tire suas próprias conclusões sobre os objetivos de vida e se decida.

Vantagens

Horários

Os servidores públicos são regidos pela lei 8112/90. Devem cumprir a jornada de 40 horas semanais, 8 horas diárias máximas (segunda a sexta). Existe a possibilidade de flexibilidade de escalas diferenciadas de trabalho, seja em função da profissão ou por opção do funcionário.

Segundo o decreto 1590/95, cabe ao chefe máximo do órgão, cujo servidor faça parte, autorizar a redução em 6 horas diárias e 30 semanais, dispensando o intervalo das refeições por estar atendendo ao público ou trabalho noturno devido à prestação de serviços de longa duração.

Conforme artigo 5º da medida provisória 2174-28/01, o servidor da administração pública, de cargo efetivo, sendo do interesse da administração, poderá ter sua jornada de trabalho reduzida para 6 ou 4 horas diárias e 30 ou 20 horas semanais, com remuneração proporcional.

Vale lembrar que profissões cuja jornada de trabalho é específica, são tratadas em lei especial. É o caso de profissionais da área de saúde, carreiras de magistério e policiais, entre outras.

Em 2017, foi criada outra medida provisória sobre o programa voluntário de aposentadoria e redução de jornada de trabalho, mas está sendo reeditada.

Vários concursos são publicados

Uma questão importante a ser considerada é que todos os anos, vários concursos são publicados, uma vez que para assumir um cargo cuja vaga foi aberta por aposentadoria ou por outro motivo, deverá ser proveniente de concurso.

Essa vagas poderão ser oferecidas assim que vence o prazo do concurso anterior – em torno de um ou dois anos. Existe uma quantidade fixa de servidores para cada cargo, abrindo a vaga, deverá ser feito o concurso assim que possível.

Muitos sites especializados em concurso mostram quais setores estão necessitando de vagas, ou terão em breve. Já sabem quais estão perto de lançar edital ou que há muito tempo não fazem concurso. Seguindo eles, o candidato pode escolher qual cargo dedicar mais seus estudos.

Em 2017, houve um certo receio de que os concursos públicos acabassem depois da lei 13429/17 sobre empregos temporários e terceirizados. Temia-se que seriam substituídos funcionários públicos por contratados de empresas privadas.

Isso não irá acontecer, pois a Constituição prevê que para contratar funcionário público deverá haver concurso.

Depende do seu esforço

Conseguir um emprego no setor privado pode parecer mais fácil do que passar num concurso. A primeira vista é mesmo. Basta você ter um currículo adequado à profissão. Muitas empresas abrem (e fecham) todos os dias, uma vaga pode ser sua.

Primeiro ponto: ter um currículo adequado. Ao estar adequado, você conhece seus méritos, sabe que pode aprender e melhorar ainda mais. Mas o empregador poderá ter dezenas de pessoas com um currículo melhor que o seu, a vaga poderá ser de um deles.

Outro ponto: se seu currículo for exímio, você acumula experiência, cartas de recomendações, mostrando ser excelente profissional – pode perder a vaga para alguém não tão excelente, mas que tem maior probabilidade de aceitar um salário menor do que você merece.

Se você acha que estudar para concurso é perder tempo e ainda correr o risco de não passar, o que dizer de mandar currículos para centenas de empresas esperando ser chamado, enfrentar horas em filas, responder várias entrevistas e não ser contratado?

Passar num concurso, segundo vários especialistas, requer muito mais de você acima de qualquer outra coisa. Você estuda, faz a prova e se seu resultado for acima da média, praticamente está dentro.

Se não foi nesse concurso, haverão outros. Será questão de tempo. Precisará que você tenha disciplina, estude muito e tenha o objetivo de passar.

Estabilidade

A estabilidade do funcionário público significa garantia de permanecer no serviço público sem correr o risco de ser mandado embora.

Esse direito só será garantido depois de passar pelo estágio probatório de 24 meses, após 2 anos de de efetivo exercício, conforme artigo 41 da Constituição Federal.

Segundo este artigo, o servidor só perderá o cargo “em virtude de sentença judicial transitada em julgado, mediante processo administrativo em que lhe seja assegurado ampla defesa, mediante procedimento de avaliação de desempenho, na forma de lei complementar, assegurada ampla defesa”.

Essa estabilidade tão almejada pelo concurseiro, prevê mudanças com o projeto de lei 116/17 que está em trâmite no Senado.

O projeto tem como objetivo detalhar como será essa avaliação e por quem será feita. É nesse ponto que surge a dúvida da imparcialidade de quem será o responsável por essa avaliação.

A princípio, o candidato que preza pela honestidade, ética, pretende trabalhar conforme as regras inerentes ao seu cargo não deverá se sentir ameaçado, já que o projeto de lei visa avaliar um provável funcionário ruim, que esteja dificultando a realização do serviço público.

Salário

Normalmente os salários dos servidores públicos costumam estar acima da média, em relação à iniciativa privada.

Além dos valores salariais, somam-se os benefícios: vale alimentação, auxílio-creche, gratificações, adicionais, licença prêmio, licença para cursos.

Pode acrescentar nesse quesito salário, facilidades que o funcionário público possui no mercado: financiamento de casa e carro, por exemplo.

Programas de crédito também são oferecidos, planos de saúde e outras vantagens que são ofertadas ao trabalhador ao se confiar na estabilidade no serviço.

Desvantagens

Muito tempo de preparação

Como desvantagem maior que os prováveis candidatos relatam, é o tempo que se dedica para conquistar uma vaga no serviço público. Muitos estudam o dia inteiro, abrindo mão de finais de semana, férias e feriados.

Quem ainda depende dos pais tem esse tempo para se dedicar, mas quem precisa trabalhar para cumprir com as obrigações financeiras, sente falta disso.

Há quem abra mão de viagens, trabalhos, levando uma vida entre cursinho e casa, casa e cursinho e ainda se fecha num quarto sem redes sociais, telefone ou encontros.

Agindo assim, pode até conseguir passar no concurso, mas pode estar perdendo saúde, amigos e oportunidades de aprender com a vida. Se você é um desses, cabe repensar sua vida.

Agora se você não consegue se concentrar em algumas horas – por motivo de cansaço, por questões familiares ou profissionais- também deve considerar se vale a pena se inscrever nos concursos.

Muitas pessoas apostam em concursos como se fossem loterias e não separam um tempo para se dedicarem de verdade aos concursos. Dificilmente passam.

Promoção difícil

Outra questão que costuma ser reclamada é o fato de que no serviço público a promoção é dificultada. Pra subir de cargo provavelmente terá que fazer outro concurso público.

Como muitos já estão cansados com a jornada que enfrentaram antes de entrar, ficam estagnados, acomodados.

Pessoas que gostam de mudanças

Pessoas que são muito ativas, querem crescer em suas funções rapidamente, que gostam de mudanças, costumam não se adaptar ao sistema de trabalho público.

Precisam seguir a burocracia, não podem burlar as regras ou pular etapas. Isso costuma incomodar quem não obedece normas.

Quem é competitivo, adora desafios e pretende fazer fortuna com seu trabalho, pode também ser difícil de se adaptar.

Gestão e equipamentos públicos por atrás da iniciativa privada

Esse item também incomoda quem pensa se vai ou não concorrer ao serviço público. Devido o investimento alto em busca do sucesso nos negócios, as empresas privadas costumam estar bem à frente em questão de gestão e equipamentos.

As novidades no mundo tecnológico e científico, as atualizações no campo de gerenciamento são sempre notadas na rede particular. Quem preza por serviços de alta qualidade certamente sente esse problema.

O que você quer pra você?

Essas foram as vantagens e desvantagens que deverá levar em conta antes de iniciar, ou dar continuidade ao seu objetivo de fazer concurso. Leia, releia, reflita. Será que vale a pena tanto investimento?

O que você quer pra você“- foi a pergunta que William Douglas, professor, juiz e autor do livro: Como passar em provas e concursos, fez em um de seus vídeos na internet. Segundo ele é possível ser empreendedor sendo concursado – desde que seja esse seu objetivo de vida.

Esperamos que tome essa decisão com consciência para se tornar um ótimo profissional, seja qual for a área de escolha: serviço público ou iniciativa privada.

Bons estudos e até logo!

comentários (1)

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo