Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Conheça os tipos de variações linguísticas

Conheça os tipos de variações linguísticas

Olá,

Você já deve ter percebido por meio de livros ou até mesmo em novelas que antigamente as pessoas falavam diferente da forma como falamos hoje. Além do tempo, vários outros fatores influenciam no modo como as pessoas falam ou escrevem. Isso se dá porque a linguagem humana é algo bastante dinâmico, permitindo que uma mesma língua apresente diversas variações linguísticas.

As variações linguísticas podem ocorrer por determinação de fator histórico ou cultural. Dependendo da idade, do meio social ou sociocultural, da profissão ou região de um indivíduo, ele usará uma variação da língua que é falada em seu país. Além disso, o contexto também influencia, pois um mesmo indivíduo pode, por exemplo, usar uma determinada linguagem com seus amigos, entretanto com o seu chefe ele usará uma linguagem diferente.

Confira abaixo alguns tipos de variações linguísticas.

Tipos de variações linguísticas

Variação linguística

Fonte: Reprodução

Histórica

A variação histórica acontece no decorrer do tempo. Por ser algo dinâmico, a língua sofre transformações de um período para outro. Quando lemos um livro escrito há, por exemplo, dois séculos, encontramos palavras que não são mais usadas, ou mesmo palavras que hoje são grafadas de outra forma.

Ex.: Vossa Mercê / você

Cousa / coisa

Pharmacia / farmácia

Diafásica ou situacional

A variação diafásica ocorre dependendo do contexto comunicacional. Nesse tipo de variação, a situação, as pessoas e o lugar determinam a variedade que o indivíduo vai usar ou deve usar. Geralmente, dividimos a variação diafásica em formal e informal.

Linguagem formal

A linguagem formal é a que usamos em contextos mais sérios, como uma entrevista de emprego, por exemplo, ou com pessoas com as quais temos pouca intimidade. Geralmente, a linguagem formal segue as regras determinadas pela gramática, que chamamos de norma-padrão.

Ex.: cê, tá, a gente, pra

 Linguagem informal

Usamos a linguagem informal em situações de descontração, com amigos ou familiares. A linguagem informal é a que geralmente não obedece com exatidão às regras presentes na norma padrão.

Ex.: você, está, nós, para

Diastrática ou social

A linguagem diastrática é determinada pelo contexto social ou cultural no qual o indivíduo está inserido. Nesse caso, a profissão, a idade, a classe social ou o grupo em que a pessoa está inserida são fatores que influenciam em sua linguagem. Dois exemplos comuns de linguagem diastrática são as gírias e os jargões.

Ex.: mano, véi, colé, rolé

Diatópica ou regional

A variação diatópica, também conhecida como regional, é determinada pela localização geográfica. No Brasil, por exemplo, temos várias palavras para denominar uma mesma coisa, variando de acordo com a região. Outro exemplo que temos em nosso país é o famoso dialeto caipira, que é uma maneira de falar marcante e que se diferencia bastante da forma como falamos nos grandes centros urbanos.

Ex.:

“Para dizerem milho dizem mio
Para melhor dizem mió
Para pior pió
Para telha dizem teia
Para telhado dizem teiado
E vão fazendo telhados”. (Oswald de Andrade)

 

Você viu nesse texto o que é variação linguística e seus principais tipos. Agora, resolva os exercícios abaixo e teste seus conhecimentos.

Um grande abraço, e até a próxima!

Exercícios

1 – [ENEM] “Todas as variedades linguísticas são estruturadas e correspondem a sistemas e subsistemas adequados às necessidades de seus usuários. Mas o fato de estar a língua fortemente ligada à estrutura social e aos sistemas de valores da sociedade conduz a uma avaliação distinta das características das suas diversas modalidades regionais, sociais e estilísticas. A língua padrão, por exemplo, embora seja uma entre as muitas variedades de um idioma, é sempre a mais prestigiosa, porque atua como modelo, como norma, como ideal linguístico de uma comunidade. Do valor normativo decorre a sua função coercitiva sobre as outras variedades, com o que se torna uma ponderável força contrária à variação.” Celso Cunha. Nova gramática do português contemporâneo. Adaptado.

A partir da leitura do texto, podemos inferir que uma língua é:

a) conjunto de variedades linguísticas, dentre as quais uma alcança maior valor social e passa a ser considerada exemplar.

b) sistema que não admite nenhum tipo de variação linguística, sob pena de empobrecimento do léxico.

c) a modalidade oral alcança maior prestígio social, pois é o resultado das adaptações linguísticas produzidas pelos falantes.

d) A língua padrão deve ser preservada na modalidade oral e escrita, pois toda modificação é prejudicial a um sistema linguístico.

2 – [ENEM] Até quando?

Não adianta olhar pro céu

Com muita fé e pouca luta

Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer

E muita greve, você pode, você deve, pode crer

Não adianta olhar pro chão

Virar a cara pra não ver

Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus

Sofreu não quer dizer que você tenha que sofrer!

GABRIEL, O PENSADOR. Seja você mesmo (mas não seja sempre o mesmo).
Rio de Janeiro: Sony Music, 2001 (fragmento).

As escolhas linguísticas feitas pelo autor conferem ao texto

a) caráter atual, pelo uso de linguagem própria da internet.

b) cunho apelativo, pela predominância de imagens metafóricas.

c) tom de diálogo, pela recorrência de gírias.

d) espontaneidade, pelo uso da linguagem coloquial.

e) originalidade, pela concisão da linguagem.

3 – (Enem – 2014)

Óia eu  aqui de  novo xaxando
Óia eu aqui de novo pra xaxar

Vou mostrar pr’esses cabras
Que eu ainda dou no couro
Isso é um desaforo
Que eu não posso levar
Que eu aqui de novo cantando
Que eu aqui de novo xaxando
Óia eu aqui de novo mostrando
Como se deve xaxar.

Vem cá morena linda
Vestida de chita
Você é a mais bonita
Desse meu lugar
Vai, chama Maria, chama Luzia
Vai, chama Zabé, chama Raque
Diz que tou aqui com alegria.

(BARROS, A. Óia  eu  aqui de  novo. Disponível  em <www.luizluagonzaga.mus.br > Acesso em 5 mai  2013)

A letra da canção de Antônio Barros manifesta aspectos do repertório  linguístico e  cultural do Brasil. O  verso que singulariza uma  forma do falar  popular  regional é

a) “Isso é um desaforo”

b) “Diz que  eu  tou aqui com alegria”

c) “Vou  mostrar pr’esses cabras”

d) “Vai, chama  Maria, chama  Luzia”

e) “Vem  cá, morena linda, vestida de chita”

 

Gabarito

1 – A

2 – D

3 – C

Bons estudos e até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo