Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Tecnólogo e ensino superior: tudo o que você precisa saber

Tecnólogo e ensino superior: tudo o que você precisa saber

Olá, leitor!

Você sabe as diferenças entre um curso de graduação e um curso superior de tecnologia? Onde os tecnólogos podem atuar? Tem dúvidas se tecnólogo pode prestar concurso público?

Para responder a estas questões preparamos este artigo completo com tudo o que você precisa saber sobre os Cursos de Tecnólogos. Você poderá consultar as referências e tomar a decisão se vale a pena fazer um curso tecnólogo ou não.

Esclareça todas suas dúvidas sobre o assunto, confira logo a seguir!

Curso tecnólogo é graduação?

graducao-ou-tecnologo

Sim. De acordo com Resolução CNE/CP nº 3 , de 18 de dezembro de 2002, Art. 4º, “os cursos superiores de tecnologia são de graduação, com características especiais, obedecerão às diretrizes contidas no Parecer CNE/CES 436/2001 e conduzirão à obtenção de diploma de tecnólogo”.

No Brasil existem 134 tipos diferentes de cursos superiores de tecnologia (cursos de tecnólogo) reconhecidos pelo MEC e que integram o CNCST (Catalogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia).

Os cursos de tecnólogo são organizados em 13 eixos temáticos pelo Ministério da Educação (MEC) e compõe a 3ª edição do CNCST:

  • Ambiente e Saúde
  • Apoio Escolar
  • Controle e Processos Industriais
  • Gestão e Negócios
  • Hospitalidade e Lazer
  • Informação e Comunicação
  • Infraestrutura
  • Militar
  • Produção Alimentícia
  • Produção Cultural e Design
  • Produção Industrial
  • Recursos Naturais
  • Segurança

Os Cursos Tecnólogos são cursos de ensino superior com curta duração e com foco na formação de profissionais qualificados para o mercado de trabalho em demandas específicas.

Esse “foco” dos Cursos Superiores de Tecnologia (CST) ajuda a suprir as necessidades do mercado de trabalho que demanda por profissionais que estejam preparados para funções que requerem técnicas atualizadas de processos e serviços.

Regulamentação dos cursos e da profissão de tecnólogo

Veja as legislações específicas que regem os cursos superiores de tecnologia e a profissão de tecnólogo:

  • Decreto Federal nº 2.208/97
  • Decreto nº 5.154/ 2004
  • PL 2245/2007 (Projeto de Lei que visa regulamentar a profissão de tecnólogo)

Onde encontrar os cursos de tecnólogo que estão em alta para 2017?

Você pode acessar o Catalogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia para ver as descrições de cada curso, carga horária mínima que pode ser estabelecida em 1.600, 2.000 e 2.400 horas, campo de atuação e ocupações que os profissionais podem assumir, as possibilidades para continuidade da formação após conclusão do curso de tecnólogo.

Após esta pesquisa prévia, verifique as instituições de ensino que oferecem os cursos que despertaram seu interesse e atente-se para conferir se o curso oferecido é reconhecido e se a instituição de ensino é bem avaliada pelo Ministério da Educação (MEC).

Os CST também são oferecidos na modalidade a distância

Muitos dos cursos de tecnólogo podem ser feitos tanto na modalidade presencial quanto a distância. Na modalidade EAD (Educação a Distância), o estudante receberá o conteúdo numa plataforma virtual de aprendizagem com vídeo aulas, ferramentas de comunicação, contato com professores e tutores. Os encontros presenciais são menos frequentes e a avaliação é realizada presencialmente em algum polo da instituição de ensino.

Tecnólogo pode fazer pós graduação?

Tecnólogo pode fazer pós-graduação (Especialização, MBA, Mestrado, Doutorado, etc)?

Sim! O profissional formado pelos cursos superiores de tecnologia recebe um diploma de graduação e pode cursar uma pós-graduação lato sensu (especializações) e/ou stricto sensu (mestrados e doutorados).

Confira os esclarecimentos do portal do MEC quanto ao diploma dos tecnólogos:

“O diploma de graduação dos tecnólogos tem validade para participação de candidatos em concursos públicos de nível superior, em cursos de especialização e de pós-graduação. A garantia é da área de regulação da educação profissional do Ministério da Educação, diante da dúvida, comum entre os graduandos, quanto à validade do documento.”

“Não há restrição legal quanto ao tecnólogo fazer pós-graduação”, ressalta o coordenador de regulação da educação profissional e tecnológica do MEC, Marcelo Feres.

“É preciso ter em mente também que o egresso pode dar continuidade aos estudos, independentemente de títulos acadêmicos.”

Tecnólogo pode prestar concurso público?

Os profissionais formados nos cursos de superiores de tecnologia recebem o diploma de graduação que tem validade nacional e consequentemente o diploma pode ser aceito em concursos para nível superior.

Verifique no edital do concurso a exigência de graduação de nível superior. Há restrições apenas se o edital exigir graduação com duração mínima de 4 anos ou exigir licenciatura.

A mesma resposta vale para quem tem dúvida se o tecnólogo pode prestar concurso para polícia civil. O candidato graduado em qualquer área poderá concorrer a uma vaga na Polícia Civil, porém se no edital for exigido “bacharelado” ou “licenciatura”, a formação no curso superior de tecnologia não atenderá ao requisito.

Já para os tecnólogos que estão interessados em prestar o concurso para Policial Federal e se sua formação de Tecnólogo é aceita para o concurso de Perito Criminal Federal ou para os cargos de Agente, Escrivão e Papiloscopista, é necessário conferir o Decreto n° 5.116/04, de 24 de junho de 2004, e verificar se a sua graduação está incluída na lista dos cursos aceitos para ingresso no cargo de Perito Criminal Federal. Há outros esclarecimentos e respostas no site da PF.

Curso tecnólogo vale a pena?

Os cursos tecnólogos são mais rápidos, com duração máxima de 3 anos, gerando economia de tempo e também financeira. São estruturados para atender as demandas do setor produtivo.

As áreas que mais empregam a mão de obra dos tecnólogos são:

  • construção civil;
  • logística;
  • telecomunicações;
  • siderurgia;
  • metalurgia;
  • mecatrônica;
  • tecnologia da informação (TI);
  • biotecnologia;
  • alimentos;
  • cadeia de petróleo, gás e biocombustíveis.

Reflita antes de tomar sua decisão por fazer um curso de tecnólogo

Uma pesquisa de qualificação profissional desenvolvida pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 2016 apontou que no Brasil mais de 90% dos tecnólogos estão empregados.

Em meio a um cenário de crise econômica, com baixa oferta de vagas de emprego, esse fator pode ser muito interesse no momento de decidir entre um curso de graduação de 5 anos e um curso de tecnólogo.

Porém é necessário considerar seus objetivos de carreira, pensando não só no agora, mas no futuro: que tipo de cargos e ocupações você pretende ocupar hoje e daqui a alguns anos no mercado de trabalho? Você tem certeza de que deseja se especializar em uma área e ocupação?

Na dúvida, considere a demanda do mercado de trabalho e o currículo oferecido pelos cursos que você tem interesse.

Talvez um curso de graduação seja uma opção melhor para você. Os cursos superiores de bacharelado têm uma duração maior (4 a 5 anos), porém formam profissionais de perfil mais generalista, com conhecimento em diversas áreas, e que por isso podem ter mais opções de atuação no mercado de trabalho.

Por exemplo, um profissional formado em Engenharia Mecânica pode atuar no desenvolvimento, projeto, construção e manutenção de máquinas e equipamentos em diversas áreas, desde bens de capital às indústrias automobilística, aeronáutica e cadeia do petróleo.

Já um profissional graduado num curso superior de tecnologia da área de engenharia mecânica como o Tecnólogo de Automação irá atuar mais especificamente em indústrias ou empresas especializadas em automação industrial, indústrias com processos automatizados e com setores de manutenção com serviços contínuos.

Antes de escolher o curso superior de tecnologia considere as profissões que exigem  diploma de graduação e registro no conselho de classe especifico daquela profissão.

Por exemplo, profissionais de engenharia civil, há atividades atribuídas por lei à profissão de engenheiro civil que só poderão ser exercidas por profissionais com registro no CREA. Assim como os advogados precisam da carteirinha da OAB e os químicos precisam do registro no CRQ.

Então não há como um graduado em Tecnologia do Petróleo fazer uma pós graduação em Direito Ambiental e querer atuar como advogado na área ambiental pois não irá receber a classificação na OAB.

Então para tomar sua decisão, além da demanda de mercado, considere os fatores Tempo, Dinheiro e os seus Objetivos de Carreira.

E você, ainda tem dúvidas se vale a pena fazer um curso de tecnólogo? Deixe nos comentários.

Até logo!

comentários (1)

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo