Você está aqui:Home » Dicas » Professores » Tecnologia na educação: como utilizá-la a seu favor

Tecnologia na educação: como utilizá-la a seu favor

Olá, professores!

A tecnologia é um assunto que gera longos debates, concordam? Enquanto há pessoas que estão mais do que adeptas a utilizá-la em seu dia a dia, há também quem tenha receio de como ela pode impactar negativamente a rotina diária. Essa divergência é comum e faz parte do processo de adaptação dos novos formatos de interação.

Mas se tem um assunto que, de fato, divide opiniões é se a tecnologia na sala de aula é benéfica ou não para o aprendizado dos alunos. Será que vocês, professores, devem temê-la tanto assim? Já adiantamos que não!

À princípio, a tecnologia pode sim causar más impressões – como aquele aluno que não presta atenção na aula, pois só fica mexendo no celular. No entanto, de uns anos para cá, vem beneficiando a maneira como realizamos tarefas e interagimos com as pessoas. Hoje, conseguimos resolver tudo com um clique – e isso pode ser melhor do que você imagina.

Essa revolução tecnológica, que se mostra cada vez mais aderente à nossa rotina, já é a realidade da nova geração. Por isso, inclusive, seu aluno estava mexendo no celular na aula passada: ele está se desenvolvendo em um ambiente tecnológico, no qual interagir por meio de um dispositivo é normal.

Claro, há regras e o respeito deve mesmo ser exigido nessas situações. Mas, ao invés de ficar batendo de frente todas as vezes em que um estudante estiver na internet, que tal não começar a alinhar a tecnologia à educação na sala de aula? Garantimos que os alunos ficarão ainda mais entretidos com um conteúdo interativo e que converse com a sua realidade atual.

MOTIVOS PARA UTILIZAR A TECNOLOGIA NA SALA DE AULA

Ainda não está convencido sobre começar a inserir a tecnologia na sala de aula? A prática, além de levar mais dinamismo para o ensino, traz uma série de benefícios para os próprios alunos.

Alunos prestam mais atenção

Para um aluno, que já nasceu na era tecnológica, é realmente difícil prestar atenção em uma aula ministrada apenas com escritas na lousa. Não é por falta de vontade: ele apenas não está acostumado com esse formato.

Mas, se você, como professor, além de escrever na lousa, também estimular que eles utilizem celulares ou tablets em complemento à aula, vai começar a observar que os estudantes conseguirão prestar muito mais atenção no que está sendo ministrado – absorvendo, inclusive, o conteúdo com ainda mais facilidade.

Conteúdo com melhor qualidade

Ao se propor a utilizar novas metodologias em sala de aula, você, professor, começará a observar que o conteúdo pode ser repassado com ainda mais qualidade aos estudantes. Isso porque há uma gama de opções no universo tecnológico – aplicativos, sites, e-books – e tudo pode ser utilizado como complemento ao material didático utilizado: a informação estará ali, atualizada em tempo real.

Melhora no desempenho dos estudantes

Ao estimular novas práticas de ensino em sala de aula, você começará a perceber um melhor desempenho dos estudantes em relação à sua matéria. Isso porque, com a tecnologia, os alunos poderão ficar conectados com a informação, até mesmo após a aula. Consultar sites, interagir com aplicativos ou ler um artigo online pode integrar a nova rotina dos jovens, fazendo com que aprendam, mesmo sem perceber.

Relação entre estudante e professor também é impactada

Quando você, professor, se propõe a transformar o ambiente da sala de aula para se adaptar à realidade dos estudantes, começa a observar que os alunos passam a confiar ainda mais nos seus ensinamentos.

Isso porque, além de aumentar a socialização e integração entre docentes e discentes por meio da interatividade proposta, a tecnologia também estimula a autonomia e a adaptabilidade nos estudantes, fazendo com que compreendam o conteúdo de forma mais simples e didática.

COMO USAR A TECNOLOGIA EM SALA DE AULA

tecnologia-educacao

Para que o novo formato de aula seja, de fato, efetivo, é preciso, antes de tudo, planejamento. Estudar como é possível inserir a tecnologia no dia a dia de seus alunos é fundamental – não basta, apenas, pedirem para pesquisar algo na internet para que usem seus celulares, toda ação deve ser embasada em algum propósito.

Portanto, pesquise antes de começar a nova prática: todos os alunos possuem celular? A escola disponibilizará tablets? Quais aplicativos os estudantes mais utilizam? Quais assuntos podem ser abordados de forma interativa? Quais aplicativos, sites ou artigos podem ser utilizados para complementar esses assuntos?

Após responder a essas e outras perguntas, é hora de iniciar a implementação da tecnologia em sala de aula.

Comece pela pesquisa em sala de aula

A melhor forma de começar inserindo a tecnologia na sala de aula é estimular a pesquisa na internet durante a explicação. Ao planejar a aula, já pesquise sites e aplicativos que você pode indicar para os alunos e em que momento deve citá-los durante a explicação, de forma que complementem o conteúdo. O material pode ser tanto explicativo, como interativo – um aplicativo que permita que os estudantes desenhem, por exemplo.

É importante, nesse momento, citar para o aluno que as pesquisas realizadas pela internet devem ser feitas em sites confiáveis, de preferência os indicados por você, e que, em nenhum momento, os estudantes devem copiar o conteúdo durante trabalhos e pesquisas. A ideia é ler, interagir, para, então, explicar o que aprendeu.

Estimule o compartilhamento fora da classe

Outra maneira de fazer com que os alunos se adequem ao novo formato da aula, é compartilhando conteúdo e materiais da aula por meio de sites e ferramentas especializadas, como o Google Drive, por exemplo.

Com esses portais, é possível compartilhar, no mesmo dia, tudo o que foi visto na aula e mais materiais complementares, criar fóruns de discussões com alunos, pedir para que os estudantes também compartilhem informações, além de solicitar a entrega de trabalhos e pesquisas.

Indique aplicativos para os alunos

Existem aplicativos para tudo: de palavras cruzadas à análise de temperatura. Escolha o tema da aula e pesquise o que as lojas de aplicativos têm a oferecer em relação ao assunto – de preferência, gratuitos. Teste o aplicativo e pense na dinâmica da aula de forma que os alunos possam utilizá-lo para aprender sobre o tema.

É indicado que o aplicativo escolhido também possa ser utilizado fora da sala de aula, fazendo com que o estudante continue tendo contato com o tema. Por isso, opte por jogos e conteúdos interativos.

Trabalhe com e-books e artigos online

Os e-books passaram a ganhar força no mercado nos últimos anos e são vendidos, inclusive, nos sites das principais livrarias. Como são lidos totalmente online, estudantes têm mais facilidade de compreender o conteúdo que está sendo passado, afinal, ele é, muitas vezes, interativo e pode ser acessado do próprio celular.

Para não exigir, entretanto, que os alunos comprem esses e-books, alguns sites disponibilizam gratuitamente livros que já estão em domínio público ou foram liberados pelo autor/editora. Os principais são o Domínio Público e o Projeto Gutenberg.

Utilize, também, as redes sociais

Não existem pessoas mais ligadas às redes sociais do que os jovens de hoje em dia. Por isso, seria um erro não as incluir na dinâmica da aula. Quando bem aproveitados, os canais podem servir como um ótimo estímulo à educação.

Uma boa forma de alinhar as redes sociais ao conteúdo ministrado, é criando um grupo no Facebook para a classe, por exemplo. Nele, é possível compartilhar o material discutido em aula, conteúdos informativos ou até mesmo tirar dúvidas dos estudantes quando eles estiverem em casa estudando.

Com os grupos, também é possível estimular o debate sobre temas atuais e ajudar os alunos a interagirem uns com os outros, tirando dúvidas e compartilhando informações relevantes.

Criar um blog para a sala também pode ser uma boa opção. Estipular uma periodicidade com os alunos de forma com que cada um contribua um pouco para a construção do canal, escrevendo sobre temas debatidos na sala de aula. Ao invés de escreverem uma pesquisa e entregarem, a atividade pode ser feita por meio da criação de um post explicativo. Interessante, não é mesmo?

Outra ideia bastante efetiva é indicar vídeos e canais educacionais no Youtube ou outras plataformas, que complementem o conteúdo apresentado em sala de aula. Formatos audiovisuais são bem absorvidos por estudantes, que interagem diariamente com figuras públicas que utilizam vídeos para se comunicar com os usuários.

Propor que os alunos criem um canal colaborativo ou, então, entreguem trabalhos em formatos audiovisuais também é efetivo.

CURSO FACILITA ADAPTAÇÃO À TECNOLOGIA

Ainda restaram dúvidas sobre a utilização da tecnologia na sala de aula? O curso online “Novas Tecnologias para a Aprendizagem no Ensino Médio e Fundamental” pode te ajudar.

Totalmente gratuito e, ainda, com certificado reconhecido pelo MEC, o curso auxilia os usuários a criarem um planejamento pedagógico apoiado no uso da tecnologia em sala de aula. O conteúdo, dividido em quatro módulos, abordará a utilização de ferramentas digitais em classe, além de como a tecnologia pode ser utilizada para avaliar os estudantes, estimulando suas competências e habilidades.

Até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo