Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Técnicas de memorização de conteúdos poderosas para estudantes

Técnicas de memorização de conteúdos poderosas para estudantes

Olá leitor do Canal do Ensino!

Estudar é bom, mas passar em provas com ótimos resultados é melhor ainda. Porém, nem sempre conseguimos obter o mesmo desempenho entre uma disciplina e outra e muitas vezes isso pode ser fatal. Alguns recursos podem ser usados para auxiliar nesse processo, como as técnicas de memorização.

Selecionamos as técnicas mais poderosas, segundo especialistas em coach e conteúdo para provas, e escrevemos esse artigo para você sair em vantagem nos estudos para exames e concursos. Boa leitura!

Técnicas de memorização poderosas

memorizacao_de_conteudo

As técnicas que trouxemos são consideradas “matadoras”, ou seja, aquelas que mostraram um resultado mais eficiente entre o maior número de estudantes que as aplicaram. Algumas você pode até conhecer, mas terá aqui a certeza que, se usar corretamente, obterá excelentes resultados.

Convém lembrar que você precisa estar preparado para estudar, disposto e focado. Essa atitude facilita na sua pré-disposição à assimilação. Só depois disso que as técnicas surtirão o efeito desejado. Diante desse esclarecimento, vamos às técnicas.

Segundo o coach de concurso, Alessandro Marques, você precisa primeiro aprender o conteúdo, depois se preocupar em memorizar. Precisa ler, estudar, exercitar antes de tentar reter na memória. Assim a memorização será prolongada pois o cérebro é seletivo, guarda o que for mais importante. Se pretender gravar antes de estudar não dará certo.

Alessandro Marques e suas 3 técnicas de memorização:

Repetição

O objetivo dessa primeira técnica é passar da memória curta para a memória de longo prazo o que você aprender. Alessandro afirma que não existe memorização sem repetição e para isso você deverá fazer revisão do que foi aprendido. Resumos e fichamentos são boas opções. Em seu canal ele ensina a fazer resumos. Nós escrevemos sobre revisão para concurso. Vale conferir.

Associação

Após a revisão você deverá fazer associações entre o que está aprendendo com o que já aprendeu. Linkar uma informação nova com outras que já tem guardado na memória, seja dentro ou fora do contexto.

Uma maneira de fazer essa associação é usando mnemônicos como por exemplo o Palácio da memória– acesse o link e saiba dos detalhes dessa técnica. É importante também que memorize um mnemônico usando uma lógica, pois assim fica mais difícil esquecer.

Emoção

Pode parecer curioso usar a emoção como técnica de memorização, mas se você pensar bem não é absurdo. É só parar para pensar um pouco: muitas músicas que você ama, estão ligadas a algum fato ocorrido em algum momento, ou fase de vida.

Outro fato: já reparou como certos perfumes, ao senti-los, faz você lembrar de alguém ou de alguma coisa? Isso se dá graças aos sentimentos envolvidos. Então, quanto mais imbuídos de sentimentos estiver quando estuda, melhor memoriza. Por isso é importante:

  • Gostar de estudar, se você não gostar de aprender já tem um bloqueio. Precisa resolver isso primeiro.
  • Escolher sua melhor forma de estudar: usando cores, gráficos, ilustrações, vídeos e áudios complementando os textos.
  • Tornar seus mnemônicos engraçados: são mais lembradas as coisas que fazem sorrir. Talvez seja por isso que grande parte dos professores de cursinho sejam meio comediantes…
  • Além de engraçados, crie mnemônicos exagerados. Dessa forma estará obrigando seu cérebro a dar mais destaque ao assunto.

Veja agora técnicas baseadas no livro Make it Stick de Peter Brown.

Recuperação da memória

Do que trata essa técnica? Trata-se de reviver, recuperar o assunto que foi memorizado durante determinado período. Parecida com a técnica de repetição, mas é feita em um momento posterior.

Uma estratégia é usar flashcards, cartões instantâneos, que podem ser feitos manualmente com o nome ou pergunta de um lado e a resposta no verso, ou usando uma ferramenta disponível na internet como a do GoConqr.

Alternância

Quando se estuda muito tempo o mesmo assunto, este tende a ficar monótono e o cérebro diminui o interesse. Ao variar o conteúdo, é mais provável que mantenha o interesse e a concentração.

Assim, o ideal é alternar assuntos que goste, dos que tem mais dificuldade e dividir o tempo dedicado às matérias mais complexas em blocos menores, voltando nelas mais tarde.

Por exemplo: Se tem 1 hora para estudar determinada matéria que considerou dar mais tempo a ela, por ser mais cobrada e ter maior peso. Divida esse tempo em 2 blocos de 30 minutos, sendo um pela manhã e outro à tarde.

Essa técnica é muito eficiente principalmente para disciplinas onde a parte teórica é muito cobrada nas provas, por esse motivo está encaixada nas técnicas de memorização.

Geração

Consiste em se antecipar, tentar gerar a uma resposta, enquanto estiver estudando, antes mesmo de obtê-la. Dessa forma, aumenta a probabilidade de aprender o conteúdo e lembrar da solução.

Reflexão

Avalie o processo de aprendizagem. Isso aumenta a produtividade pois permite corrigir o rumo, caso esteja saindo algo errado e até mesmo rever sua metodologia de estudo corrigindo os pontos falhos.

Além dessas técnicas outras muito indicadas por professores de cursos preparatórios são:

Auto-explicação

Fazer uma auto-explicação ou explicar o que estudou para alguém é uma ótima maneira de fixar o que foi aprendido, faz o cérebro processar as informações estudadas ao transferir conhecimento.

Fazer simulados e exercícios

Ao intercalar exercícios com o que está sendo estudado passará a mensagem para o cérebro que ele precisa acessar as informações adquiridas. Assim deixará em um lugar fácil, ou seja, você se lembrará mais facilmente do que estudou.

Mantenha um alto nível de concentração

Em um mundo cheio de distrações como redes sociais, filmes, celulares, fica mesmo difícil continuar focado nos estudos. A neurociência traz algumas sugestões que poderão ser incluídas em seu preparo para estudar.

  • Uma das dicas é tirar um intervalo de 10 minutos após cada 50 minutos de estudo. Como foi sugerido anteriormente a divisão em blocos, uma opção é incluir esse intervalo após cada bloco. O cérebro precisa desse descanso.
  • Outra dica é estar bem alimentado. O cérebro precisa de energia extra gasta quando está estudando, além disso ficar com fome enquanto estuda distrai o cérebro, tira o foco. Aproveite os intervalos para beber água, caminhar e comer algo mais saudável como uma barra de cereais.
  • Ouça música, escolha um repertório mais neutro, que não faça você interromper seus estudos para cantarolar, mas que evite que se distraia com ruídos externos como carros, latidos, entre outros. Escolha músicas que não o deixe muito agitado, ou com vontade de dormir. Que seja agradável.
  • Mantenha seu local de estudo organizado e tome cuidado com sua postura diante do computador, sua cadeira e mesa, preocupe-se em colocar na posição correta para não causar dores futuras e cuidado também com a iluminação para não forçar as vistas.

Essas foram nossas dicas de técnicas poderosas de memorização de conteúdo. Esperamos que as utilize bem e que consiga alcançar seus objetivos com seus estudos. Lembre-se que precisa querer e gostar de aprender em primeiro lugar. Depois tenha foco e disciplina.

Talvez você se interesse também por:

Como estudar Português para concurso público

Curso intensivo de férias: Vale a pena? – 5 dicas para escolher o curso.

Bons estudos e até breve!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo