Você está aqui:Home » Dicas » Professores » Saúde mental do professor: 11 dicas para manter a saúde emocional

Saúde mental do professor: 11 dicas para manter a saúde emocional

Olá, leitor!

Todos nós sabemos o que é preciso para manter uma boa saúde física: alimentação equilibrada, praticar exercícios regularmente, beber bastante água, etc.

E a saúde mental de uma pessoa? Como não pode “ser vista” ainda existe um tabu em relação a falar sobre problemas de saúde mental. O que torna mais difícil ainda para os professores, que vivem desafios que estão prejudicando sua saúde emocional.

Hoje vamos conversar sobre esse tema e abordar sobre a saúde mental do professor. O ambiente da escola e sala de aula é impactado pela estabilidade emocional do professor. Mas o impacto não fica somente dentro dos muros da escola, toda a vida do professor é atingida pelo seu esgotamento, com efeito prejudicial para ele, família, amigos e comunidade em que vive.

O que dá vários motivos para todos os educadores se tornarem cada vez mais conscientes do problema, e se motivarem a lutar para uma maior saúde emocional de todos os professores.

Como está a saúde mental do professor?

saude_mental_professor

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a saúde é um estado de bem-estar físico, mental e social.

Os conceitos especificamente de Saúde Mental, envolvem o bem estar que proporciona autonomia intelectual e realização do potencial e emocional do indivíduo na vida particular e no trabalho.

A saúde mental do professor depende de ações positivas em relação a si mesmo e em relação aos alunos, colegas de trabalho, família, especialmente em relação às interações no ambiente escolar. Estas interações quando estão em harmonia vão impactar diretamente na qualidade de vida do professor tornando-o menos susceptível a transtornos mentais.

Já quando estas interações estão em desequilíbrio por algum fator, o estresse e o esgotamento emocional aumentam. O estresse afeta o funcionamento do cérebro e do sistema nervoso e consequentemente todo o corpo e metabolismo.

Os mecanismos cerebrais responsáveis por processos cognitivos críticos ficam prejudicados, e neste momento surgem sintomas como falhas e perda de memória, baixa criatividade, baixa concentração e baixa energia de acordo com os médicos Rollin McCraty e Robert A. Rees do Institute of HearthMath.

Adicione esse esgotamento da capacidade mental, com os efeitos no corpo, como dores de cabeça, doenças psicossomáticas, irritabilidade e depressão.

E entendendo isso, você pode imaginar como fica a saúde do professor quando está emocionalmente esgotado e estressado.

A síndrome de Burnout e os professores

A síndrome de Burnout é um estado mais profundo de estresse. No estado de estresse existe a  luta do organismo no sentido de recuperar o equilíbrio físico e mental, já na síndrome de Burnout, a pessoa sente que já não consegue fazer nada para combater os estressores presentes no seu cotidiano de trabalho. A pessoa com Burnout está fisicamente no seu trabalho, fazendo as atividades no automático sem se envolver emocionalmente com o que faz.

Para se ter ideia de como é um problema grave, de acordo com uma pesquisa realizada pela psicóloga Nádia Maria Beserra Leite, da Universidade de Brasília (UNB), com mais de 8 mil professores da educação básica da rede pública na região Centro-Oeste do Brasil, revelou que 15,7% dos entrevistados apresentam a síndrome de Burnout.

É um numero muito grande de professores esgotados emocionalmente. O que faz com que medidas sejam tomadas no sentido de minimizar as chances de um professor desenvolver Burnout, e todas são bem vindas, principalmente as estratégias que ajudem o professor a lidar com o estresse.

Qualquer pessoa na verdade, que aplique técnicas de gestão das emoções que ajudam a criar energia positiva, e respostas úteis aos desafios diários e do seu trabalho, irão enfrentar melhor as dificuldades da profissão e reduzir o estresse.

Preparamos algumas estratégias de bem-estar que possibilitam alcançar um melhor equilíbrio entre o trabalho e a vida.

E aqui vai um recado para você que é professor: tenha calma e dê um passo de cada vez. Experimente colocar as dicas em práticas uma de cada vez.

11 formas do professor evitar o estresse e manter a saúde mental

1 – Conheça suas emoções

Se você não tem certeza sobre como se sente em relação ao seu trabalho como professor, escreva sobre os sentimentos que vêm à mente quando você pensa que precisa ir para escola.

Como você está? Há muitas palavras negativas que indicam estresse?

Fique atento e procure identificar sinais de depressão ou ansiedade, agende uma consulta com um profissional para avaliar sua saúde emocional.

“A prova de que estou recuperando a saúde mental, é que estou cada minuto mais permissiva: eu me permito mais liberdade e mais experiências. E aceito o acaso. Anseio pelo que ainda não experimentei. Maior espaço psíquico. Estou felizmente mais doida.”

(Clarice Lispector)

2 – Desenvolva sua resiliência emocional

A resiliência é muito importante para as pessoas que trabalham em profissões que lidam com muitas pessoas, como é o caso dos professores. O trabalho de ensinar é com certeza gratificante, mas também pode ser estressante. Uma das formas de aumentar sua resiliência e evitar o estresse é obter apoio de outras pessoas. Invista em relacionamentos que te fortaleçam.

3 – Obtenha seu equilíbrio entre trabalho e vida pessoal

Você já pensou quantas horas você dedica ao seu trabalho? Quais são as atividades que mais tomam tempo nas suas responsabilidades como professor?

Procure aprender sobre gestão do tempo e reflita sobre formas de dividir a vida profissional e a vida familiar.

Veja esse artigo que compartilhamos dicas de gerenciamento do tempo para os professores.

4 – Aprenda a dizer não

Você tem o hábito de “aceitar” compromissos extras? Não consegue dizer não para quem te pede um favor, além do que você pode cooperar?

Ensaie mentalmente as situações mais desafiadoras, em que você pode enfrentar novamente um evento assim sendo que sua resposta será não. Quando uma situação surgir ficará mais fácil dizer não.

5 – Aprenda a lidar com a preocupação e previna a ansiedade

“Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.”

– Dalai Lama

A melhor técnica para lidar com a ansiedade, de acordo com o autor Dale Carnegie se baseia em 3 passos:

  • Analise a situação com honestidade e descubra o pior que pode acontecer, como resultado do que está te preocupando;
  • Aceite o pior resultado;
  • Calmamente, reflita sobre alternativas para melhorar a situação.

Com esse exercício você passa a direcionar energia para encontrar soluções e tira o foco do problema que as vezes nem se concretiza.

6 – Reflita sobre como gerencia seu tempo

Já abordamos sobre isso na dica nº 3, mas vamos reforçar. Reflita sobre seus hábitos, por exemplo, você costuma fazer a preparação de aulas até tarde da noite? Neste caso como anda sua vida social e seu sono?

Leve a sério essa dica e pense se existem outras formas de gerenciar as demandas de trabalho e seu tempo. Talvez aproveite a oportunidade para conversar com seu diretor sobre isso.

7 – Evite a deprê do domingo

Se está estressado, já sabe sobre o que isso significa, chega o domingo e a lembrança de que deve voltar para a escola no dia seguinte. E você ainda está terminando de preparar o plano de aula para a semana, atividades da semana anterior, e inserindo notas em cadernetas.

Talvez seja a hora de você mudar isso, o que você acha de fazer um esforço para deixar preparado na sexta-feira, para poder desfrutar o fim de semana completo sem se preocupar com a escola?

É importante relaxar em casa e aproveitar o tempo cuidando de você e com sua família.

8 – Encontre um colega com quem você possa conversar

Encontre um colega professor capaz de entender os problemas que enfrenta, e além de desabafar procure conversar sobre ideias e soluções. É importante passar o tempo de conversa positiva em vez de ter uma sessão de lamentação sobre o quão ruim está sendo trabalhar como professor.

“Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.”

– Cora Coralina

9 – Tenha metas e objetivos realizáveis

Todos nós fazemos planos para conseguir conquistar grandes sonhos, mas muitas vezes, é melhor fazer mudanças em pequenos passos, pois alcançar pequenos objetivos geralmente podem gerar sentimentos fortalecedores que podem ajudá-lo a enfrentar os desafios maiores.

Anote como você se vê daqui a 6 meses, 1 ano, 5 anos ou 10 anos. Escreva objetivos grandes e objetivos menores a partir de agora. Compartilhe suas ideias com alguém que você confia.

Para manter-se motivado durante a jornada, comemore e se dê recompensas, por menor que seja, quando você atingir seus objetivos.

10 – Faça exercícios de gratidão

Comece anotar e escrever coisas que lhe trazem alegria. Você irá mudar sua mentalidade e se tornará mais feliz.

Várias pesquisas já demonstraram os benefícios para a saúde (física, mental e emocional) de se fazer exercícios de gratidão.

Listar 3 a 5 motivos de gratidão por dia, farão você se sintonizar mais com as coisas boas como a palavra de carinho recebida, o tempo divertido que você teve com o cachorro, o jantar romântico que você teve na noite passada, o telefonema surpresa de um velho amigo.

Todos nós temos momentos de alegria, o que falta é percebê-los.

11 – Cuide de sua saúde física e sua mente irá agradecer

“Mens sana in corpore sano”

Todos nós conhecemos esta famosa e antiga frase em latim, um corpo são proporciona ou sustenta uma mente saudável e vice-versa, então invista nisso.

Faça do sono uma prioridade

Não sabote suas horas de sono, a perda de sono torna mais difícil pensar, prejudica sua saúde e piora seu humor.

Lembre-se de se hidratar

Beba um copo inteiro de água no início do intervalo da aula e almoço. A água potável deve se tornar parte de seus hábitos.A desidratação impacta negativamente seu humor e processos cognitivos. Os efeitos da desidratação são reais e especialmente prejudiciais aos professores que devem permanecer positivos e pensar com clareza.

  • Se alimente de refeições bem equilibradas
  • Evite cigarro, álcool ou outras drogas.
  • Pratique exercícios físicos

Apenas cinco minutos de exercício lhe dão um impacto positivo para o humor, pesquise sobre tipos de exercícios e alongamentos, procure ajuda de um profissional e coloque na sua rotina. Exercitar o corpo melhora o seu humor ainda mais.

Reserve um dia de saúde mental

Os professores recebem horas para serem abonadas, muitos professores deixam para tirar numa situação especial. Você pode aproveitar esse dia para cuidar da sua saúde mental.

Se prepare para fazer neste dia coisas que você gosta e que são boas para você.

Agende uma consulta médica e também com um profissional de psicologia

O diagnóstico da síndrome de Burnout, pode ser feito por exame clínico, com um profissional da área de saúde (médico, psicólogo) e por meio de instrumentos psicológicos elaborados especificamente para essa avaliação. É importante que por menor que seja o estresse, a avaliação seja feita por profissional com formação adequada.

Manter estas dicas úteis em mente, irá ajudar a aliviar o estresse e pode contribuir para melhorar a saúde mental do professor.

Os professores que se sentem muito estressados devem procurar conversar com colegas para obter ideias adicionais. É importante conversar sobre esse tema com aqueles que nos rodeiam na mesma profissão, pois, compartilham dos mesmos desafios e juntos podem encontrar formas de lidar com suas frustrações.

O apoio dos professores colegas e da direção da escola é muito importante. A direção da escola tem papel fundamental no sentido de minimizar problemas como por exemplo, condições de trabalho inadequadas e atividades que impactam a carga de trabalho do professor.

Veja o infográfico sobre a saúde mental do professor

infografico_saude-mental-do-professor-11-dicas-para-manter-a-saude-emocional-01

Deixe um comentário sobre seus desafios e quais estratégias tem colocado em prática para lidar com o estresse encontrado no dia a dia.

Até breve!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo