Você está aqui:Home » Cursos Grátis » Vestibular e Enem » Saiba como fazer uma redação descritiva

Saiba como fazer uma redação descritiva

Olá, leitor!

Escrever é uma tarefa que acompanha o estudante durante toda a vida acadêmica, sendo cobrada inclusive em vestibulares e concursos públicos. Para tornar essa etapa do exame menos complicada, vamos explicar tudo sobre redações descritivas. Confira!

O que é uma redação descritiva?

Redação descritiva

Fonte: Reprodução

Uma redação descritiva tem o objetivo de enriquecer o texto com detalhes sobre pessoas, objetos, lugares e eventos. Como toda redação, uma descrição precisa ser organizada, coerente e fiel ao tema. Assim, o leitor vai conseguir imaginar as cenas exatamente como o autor queria.

Estrutura da descrição

Não é necessário seguir um padrão rígido para escrever uma descrição. A criatividade é sempre muito bem-vinda. Porém, o texto não pode deixar o leitor confuso. Por isso, trazemos a estrutura básica usada nesse tipo de redação. 

Uma descrição precisa ter introdução, desenvolvimento e conclusão, explorando ao máximo as características de fatos, personagens e objetos. Confira a seguir como estruturar esses elementos dentro do texto.

Estrutura de cena: para descrever cenas, tente se basear nesse esquema:

  • Parágrafo 1: Introdução;
  • Parágrafo 2: Cena 1;
  • Parágrafo 3: Cena 2;
  • Parágrafo 4: Cena 3;
  • Parágrafo 5: Conclusão. 

Se você achar melhor, reduza o número de cenas e escreva mais de um parágrafo para cada.

Estrutura de local: para os locais serem bem descritos, use esse modelo:

  • Parágrafo 1: Introdução;
  • Parágrafo 2: Local 1;
  • Parágrafo 3: Local 2;
  • Parágrafo 4: Local 3;
  • Parágrafo 5: Conclusão.

Estrutura de importância: para criar uma hierarquia entre os fatos, faça da seguinte maneira:

  • Parágrafo 1: Introdução;
  • Parágrafo 2: Detalhe de menor importância;
  • Parágrafo 3: Detalhe de média importância;
  • Parágrafo 4: Detalhe mais importante;
  • Parágrafo 5: Conclusão.

Dicas para escrever uma boa descrição

  • Abertura provocante: para chamar a atenção do leitor e atraí-lo para o texto, é recomendado fazer uma abertura provocante. Aqui, é interessante usar a criatividade.
  • Trabalhe com sensações: explore aspectos sensoriais sempre que você for descrever. Não liste friamente as características de objetos, locais e personagens. Pelo contrário, quanto mais detalhes e sensações você colocar, maior a chance de o leitor se identificar com o texto.
  • Descreva em vez de falar: não entregue tudo de uma vez. Não diga do que se trata cada cena, mas descreva elementos que transmitam essas ideias ao leitor.
  • Use substantivos e adjetivos: isso traz mais detalhes para o texto.
  • Utilize verbos de ligação e coordenação de ideias.

Exemplos de textos descritivos

Exemplo 1: descrições permitem explorar novas possibilidades da língua portuguesa. Um jeito de fazer isso é inserindo verbos no pretérito perfeito e no presente do indicativo. Veja o exemplo do trecho de Amor, de Clarice Lispector.

 “Um pouco cansada, com as compras deformando o novo saco de tricô, Ana subiu no bonde. Depositou o volume no colo e o bonde começou a andar. Recostou-se então no banco procurando conforto, num suspiro de meia satisfação”.

(Amor, Clarice Lispector)

 Exemplo 2: para enriquecer o texto, o escritor pode usar metáforas e comparações. 

“Os gestos, calmos, soberanos, eram de um rei — o autocrata excelso dos silabários; a pausa hierática do andar deixava sentir o esforço, a cada passo, que ele fazia para levar adiante, de empurrão, o progresso do ensino publico; o olhar fulgurante, sob a crispação áspera dos supercílios de monstro japonês, penetrando de luz as almas circunstantes — era a educação da inteligência; o queixo, severamente escanhoado, de orelha a orelha, lembrava a lisura das consciências limpas — era a educação moral”.

(O Ateneu, Raul Pompeia)

Exemplo 3: trazer dados históricos sobre o objeto também é uma forma de relacionar suas características. Veja, no exemplo abaixo, a descrição de um clarinete.

Clarinete

“Um elemento clássico e imprescindível num concerto, o clarinete, com seu timbre aveludado, é o instrumento de sopro de maior extensão sonora, pelo que ocupa na banda de música o lugar do violino na orquestra.

O clarinete que possuo foi obtido após o meu nascimento, doado como presente de aniversário por meu bisavô, um velho músico, do qual carrego o nome sem tê-lo conhecido. O clarinete é feito de madeira, possui um tubo predominantemente cilíndrico formado por cinco partes dependentes entre si, em cujo encaixe prevalece a cortiça, além das chaves e anéis de junção das partes, de meta. Sua embocadura é de marfim com dois parafusos de regulagem, os quais fixam a palheta bucal.

Sua cor é confundivelmente marrom, havendo partes onde se encontra uma sensível passagem entre o castanho-claro e o escuro. Possuindo cerca de oitenta centímetros e pesando aproximadamente quatrocentos gramas, é facilmente desmontável, o que lhe confere a propriedade de caber numa caixinha de quarenta e cinco centímetros de comprimento e dez de largura.

Com pouco mais de um século, este clarinete permanece calado, latente, sem produzir sons nem músicas, pois, não herdei o dom de meu bisavô e nunca me interessei por este tipo de instrumento, mas, quem sabe se daqui a alguns anos não aparecerá um novo João Rodolfo, que herde ao mesmo tempo, de seus bisavôs e tataravôs, respectivamente, o instrumento e o dom”.

(João Rodolfo Cavalcanti A. de Araújo)

Para fazer uma boa redação descritiva, é importante não fugir do tema e ter sensibilidade ao falar de objetos, pessoas e lugares. A descrição precisa ser detalhada na medida certa, para não cansar o leitor mas, ao mesmo tempo, fazer com que ele imagine as cenas exatamente como o autor queria.

E então? O que você achou das nossas dicas para escrever uma redação descritiva? Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

Bons estudos e até breve!

Para saber mais sobre os tipos de redação que caem nos vestibulares, clique aqui!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo