Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Qual o seu perfil de estudo e como estudar melhor

Qual o seu perfil de estudo e como estudar melhor

Olá, leitor!

Conseguir manter uma rotina de estudo pra quem busca aprovação em vestibular ou concurso pode não ser fácil. Constantemente ouvimos que um aluno é mais visual, outro já é mais auditivo. O que isso significa? Calma aí que a gente explica para você.

Primeiro, é que cada um tem o seu perfil de estudo. Uma rotina de estudo não se aplica a todos. Alguns conseguem estudar vendo muitos vídeos na internet, outros já mentalizam mais as matérias lendo e fazendo exercícios.

O fundamental é conseguir compreender qual o seu perfil de estudo e depois ajustar o método de estudo de acordo com o seu perfil. Somente assim conseguirá ter uma rotina de estudos mais focada e organizada. Conheça a seguir, os tipos de alunos!

Quais os tipos de alunos

perfil_de_estudo_tecnicas_de_aprendizagem_estudante

Como já falamos, existem tipos de alunos que conseguem estudar de um determinado método. Nós vamos falar melhor quais são e tente perceber qual é o que você mais se identifica.

Alunos visuais: os alunos que se encaixam neste perfil aprendem de forma visual muita rápida. Para estes, ver um slide, gráfico, diagrama, bem como ilustrações e textos ajudam no processo de aprendizado.

Estes materiais são ótimos para serem estudados. Outra dica para alunos que são visuais é realizar resumos gerais, cartazes e fichamentos que facilitam o resgate na memória de assuntos específico.

Importante: os alunos visuais para compreender bem a matéria precisam estudar em lugares tranquilos, sem muito barulho.

Alunos auditivos: mesmo sendo um aluno auditivo isso não quer dizer que este grupo aprenda em meio ao barulho. Eles aprendam com boas explicações dos professores, porém precisam de silêncio e concentração para absorver e compreender bem as informações repassadas.

Uma técnica utilizada por esse perfil é ler em voz alta e repetir as informações anotadas durante a aula, ou curso. Pode-se estudar com a ajuda de livros e documentários em áudio.

Os Podcasts sobre o tema discutido em sala de aula também são bem-vindos. Os alunos auditivos gostam de realizar avaliações orais, usando associação de palavras para relembrar um conteúdo.

Se por vezes o silêncio até atrapalha a concentração, os especialistas também indicam os alunos auditivos escutar uma música calma e instrumental baixa. Ela é capaz de ajudar na concentração.

Alunos cinestésicos: este grupo é conhecido por ‘colocar a mão na massa’. Dessa forma, eles precisam treinar o que estudaram para então memorizar. Este tipo de aluno não consegue se concentrar apenas sentando numa cadeira para estudar. Neste sentido, eles gostam de livros que trazem orientações de ações/tarefas.

O que lhes agrada é também utilizar diversos usos de modelos, projetos, ou demonstrações, ao invés de algo escrito. Aconselha-se também experimentos de laboratório, e usar técnicas de memorização que envolvam gestos.

Importante reiterar que mesmo que descubra qual é o seu perfil de estudo, você precisa começar a planejar uma rotina de acordo com o seu método. Então organize formas que são mais fáceis de aprender.

Também é possível que alguns se identifiquem com estes três perfis de estudo. Para saber qual será o que melhor se adapta a sua rotina, você pode praticar todas as formas até encontrar qual traz os melhores resultados para você.

Perfil de estudante

Há outro tipo de divisão, semelhante ao anterior que classifica os estudantes. São 4 tipos e nós apresentamos agora:

Escritores: quem se encaixa neste grupo tem uma facilidade para escrever e domina muito bem os conhecimentos da gramática e interpretação de textos. Para estudar basta fazer anotações, reler essas anotações é uma forma de aprendizagem.

Exatos: são estudantes que tem a facilidade com matérias como Matemática ou Física e tem um bom raciocínio lógico. Estudar com gráficos, fazer tabelas são uma de suas atividades preferidas.

Visual: eles precisam ver e deixar tudo claro para compreender o que estão usando. Neste caso, indica-se usar canetas coloridas para marcar as informações mais importantes de um assunto.

Musical: como o nome já diz, os musicais são adeptos a olhar vídeos e escutar Podcasts sobre o assunto já que é uma boa ferramenta de estudos. Recomenda-se ainda para este grupo escutar música clássica, pois pode facilitar o aprendizado.

Ajustar o seu método de estudo

Vamos deixar bem claro que não existe uma pessoa mais inteligente do que outras, mas todos nós temos formas diferentes de aprender. E o mais importante é encontrar o seu jeito de aprender. E isso não é tão difícil assim.

É como compreender que tem pessoas que possuem facilidade em estudar pela manhã, outras a tarde e consequentemente umas com mais disposição de estudar a noite.

E quando você descobre qual é seu perfil, também pode colocar em prática o seu método de estudo. Quando não se sabe o perfil, isso acaba sendo uma crítica para as escolas que lecionam o mesmo método para todos os alunos, e por isso muitos não aprendem.

Vamos listar agora alguns métodos de estudo que ajudam. Tente identificar qual é o melhor pra você. Experimente testar cada um até encontrar aquele que você compreende melhor as matérias:

Grifar: grifar partes importantes de um texto pode ser bom desde que faça exercícios, do contrário não é tão recomendado segundo os especialistas;

Interrogação elaborativa: este método consiste em criar explicações que justifiquem por que determinados fatos apresentados no texto são verdadeiros. Perguntas como “Por que” são válidas;

  • Releitura: A dica é reler imediatamente depois de ler, por diversas vezes;
  • Visualização: A utilização de mapas mentais é bem válida;
  • Resumo: Resumos são úteis para provas escritas, mas não para provas objetivas;
  • Estudo intercalado: A intercalação tem utilidade maior em aprendizados envolvendo movimentos físicos e tarefas cognitivas (como ciências exatas);
  • Teste prático: É considerada uma das melhores maneiras de aprendizagem;
  • Prática distribuída: Consiste em distribuir o estudo ao longo do tempo, em vez de concentrar toda a aprendizagem em um bloco só.

Método ensinado por professor

Pensando em fazer algo diferente, um professor criou um método que pode ser usado nas escolas e que desperta o interesse dos alunos.

Segundo Fábio Ribeiro Mendes, formado em Filosofia e Direito, lançou um método que chama-se “ Método de Estudo das Quatro Etapas”. Explicamos como funciona e quem sabe você professor pode aplicar em sala de aula, ou ainda como estudante!

Primeira etapa – Leitura panorâmica (rápida e superficial) do material de estudo;

Segunda etapa – Seleção e marcação dos trechos mais relevantes no texto;

Terceira etapa – Anotações das informações mais importantes;

Quarta etapa – Exercícios (formulados pelo professor ou mesmo com base nas dúvidas dos estudantes), que vão testar o conteúdo aprendido e ajudar os estudantes a sanar dúvidas.

Conforme já defendeu o professor Fábio em entrevistas publicadas, com este método os alunos conseguem fazer o acompanhamento em etapas de ensino, e assim percebem se estão avançando ou não. O mesmo vale se estão estudando em casa sozinhos. Em entrevista ao site El Pais comentou o seguinte:

“Agora com YouTubeGoogleWikipedia, o aluno tem acesso à informação quando quiser. A diferença é que ele não tem ainda a habilidade de saber qual informação é relevante. É aqui que entra o professor como orientador no percurso de transformar informação em conhecimento.”

Você pode fazer algumas perguntas básicas para descobrir o seu perfil de estudo. Destacamos algumas e sugerimos que escreva num papel para refletir e achar maneiras de encontrar o seu método de estudo:

  • Gosto de estudar por vídeo, escrevendo ou explicando?
  • Prefiro aprender anotando tudo no papel e fazendo exercícios para compreender?
  • Prefiro escutar bem para compreender um assunto?
  • Prefiro escrever ou reescrever tudo num papel para saber o que entendi sobre o assunto?

Agora que você viu que existem diversos perfis de estudo, se identificou com alguns, ou ainda ficou confuso, saiba que existem testes que você pode fazer que poderá descobrir qual é o seu perfil.

Em clínicas de consultório e até coaching são aplicados estes testes. Talvez seja interessante marcar uma consulta para verificar qual é o seu perfil e conseguir até dicas de um profissional.

Porque inúmeras vezes os estudantes acabam perdendo muito tempo estudando da forma errada. Estudando de uma maneira que sentem dificuldades de compreender o assunto e consequentemente não conseguem a aprovação.

Então quando você descobre exatamente qual é o seu perfil, tem maiores chances de aprender e memorizar, e assim passar na prova do vestibular ou concurso. Essa é uma tática importante e que funciona!

Descubra qual é o seu método de aprendizagem. Talvez isso demore algum tempo, mas não deixe de experimentar as técnicas que mais gostar. É melhor diversas técnicas do que ficar anos no mesmo método e ter a sensação de que não se aprendeu nada.

Além de aprender e conhecer sobre o seu perfil de estudo, tente descobrir qual é o momento do dia que você sente mais disposição e atenção para estudar. Realmente isso faz muita diferença.

Como já falamos, não existe uma pessoa inteligente, o que existe são pessoas que aprenderam uma técnica. E ai, está preparado para saber qual é o seu?

Até mais!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo