Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Qual o passo a passo para ser um estudante internacional

Qual o passo a passo para ser um estudante internacional

Olá, leitor!

Decidiu estudar no exterior, mas não sabe quais são os primeiros passos? Ser um estudante internacional irá te trazer excelentes oportunidades de trabalho e crescimento em sua carreira profissional.

Sabia que o Estados Unidos já atraiu mais de 1 milhão de estudantes internacionais? Essa estatística faz do país a principal escolha quando o assunto é estudar fora.

Diante de tanta procura de intercâmbio no país, o Departamento do EUA criou mais de 400 centros de orientações, os chamados EducationUSA. Essa iniciativa visa ajudar os interessados estrangeiros a estudarem no país com orientações básicas como solicitação de visto estudante, quais são as melhores Instituições, bolsas de estudos, oportunidades de emprego, como se matricular, etc.

É fato que ser um estudante internacional requer muito planejamento e adquirir certos conhecimentos que irão fazer muita diferença no seu futuro profissional. Sendo assim, elaboramos um passo a passo completo de como ser um estudante internacional. Vamos conferir?

Como é ser um estudante internacional?

estudante_internacional

Um estudante internacional é conhecido como aquele que se dedica a viajar e conhecer vários países a busca de conhecimentos. Esses estudantes começam a se prepararem desde cedo para que essa jornada seja bem-sucedida.

A maioria dos estudantes internacionais fazem o Ensino Fundamental e o Ensino Médio em seu país de origem para depois cursarem uma graduação, pós-graduação e mestrado fora.

Porém, durante toda a formação do ensino básico e médio se dedicam ao máximo para obter excelência em notas, pois isso conta muito no exterior. Algumas Universidades, como a Harvard por exemplo, só aceitam alunos com um excelente currículo escolar. Não é à toa que a Universidade é responsável pela formação de gênios fora do comum que fizeram marca na história.

Um estudante internacional tem muitos benefícios fora do país de origem. Além da alta taxa de empregabilidade, o estudante pode sair de uma graduação com uma agenda cheia de contatos importantes, propostas de emprego e um aumento de experiência sem precedentes.

Estudar no exterior é, sem dúvidas, uma vivência única. Só quem já teve a oportunidade de estudar em uma Instituição de renome pode afirmar o quão benéfico foi para seu futuro profissional.

Você poderá trabalhar sendo um estudante internacional?

Dependendo do destino escolhido pelo estudante, o custo de vida pode ser bem alto. Dessa maneira surge uma dúvida comum: Posso trabalhar sendo um estudante internacional?

Existe sim a possibilidade de trabalhar enquanto estuda, mas isso precisa ser decidido muito antes de pensar em estudar fora. Dependendo do tipo de visto escolhido, o aluno poderá somente estudar no país.

É o caso do visto F-1. Esse visto apresenta o aluno ao Governo como um não-imigrante. Dessa forma, há certas restrições como por exemplo, trabalhar em qualquer estabelecimento. Esse é um tipo de visto que é benéfico apenas para fins educacionais.

Contudo, há exceções nesse tipo de visto. Se o aluno entra no país com intenções de trabalhar e estudar, ele deverá seguir algumas normas rígidas que precisam ser cumpridas. Veja quais são elas:

  • Se dedicar aos estudos em tempo integral;
  • Sem permissão de trabalhar fora do campus durante o primeiro ano de estudos;
  • Depois da restrição do primeiro ano, só é possível trabalhar fora do campus, caso o aluno escolha um trabalho dentro de sua área de estudo.

Vale ressaltar que essas são os principais requisitos para trabalhar durante o estudo internacional com o visto F-1. Ainda existem outras cláusulas que são apresentadas ao aluno no próprio programa de intercâmbio.

O visto J-1 permite que o aluno exerça funções trabalhistas enquanto estuda no país. Há também regras como carga horária e área de atuação. Para quem pretende trabalhar, as Universidades oferecem uma série de oportunidades de emprego, prestações de serviços e notificações online. É o chamado departamento de desenvolvimento de carreira, que auxilia e orienta o estudante nas melhores opções de trabalho.

Muitos estudantes internacionais costumam trabalhar como voluntários ou estagiários durante o período de estudos. É uma possibilidade de permanecer na empresa após a formatura. Se o aluno decidir, pode renovar o visto para trabalhar definitivamente no país e posteriormente se tornar um imigrante legal.

Passo a passo para ser um estudante internacional

1 – Faça atividades extracurriculares

Como já sabemos, o preparo para se estudar fora do Brasil é longo e precisa acontecer o quanto antes. Enquanto você estuda no Ensino Médio, precisa se capacitar ao máximo para mostrar que é um aluno exemplar.

Mais do que isso, precisa se dedicar às atividades extracurriculares que são:

  • Trabalhos voluntários;
  • Participação em projetos importantes e inovadores;
  • Medalhas e conquistas escolares;
  • Proficiência em idiomas;
  • Atividades esportivas ou musicais;
  • Participação em oficinas;
  • Grêmio estudantil;
  • Teatro;
  • Atividades sobre profissões para identificar aptidões;
  • Atividades de lazer e cultura;

Para que a experiência estudantil seja bem aproveitada, completa e funcional, essas atividades são fundamentais. A maioria dos estudantes que conseguiram vagas nas melhores Universidades apresentaram muitas dessas atividades.

2 – Se prepare para interagir com as pessoas

Se você quer estudar fora do Brasil, precisa também apresentar excelência no idioma do seu destino escolhido. Se o aluno não tem aulas práticas, levará ao menos três meses para se adaptar a nova cultura. Isso é tempo demais que poderá impactar no resultado dos seus estudos.

Além disso, as melhores Universidades do Estados Unidos, por exemplo exigem 80% de proficiência no idioma para que o aluno seja aceito.

3 – Prepare toda a documentação com antecedência

A primeira coisa que você precisará fazer é preparar a tradução de todos os seus documentos. Há uma taxa pela tradução juramentada, que são preços tabelados de acordo com o idioma.

Além disso outros documentos são fundamentais para que você consiga estudar no exterior. Veja quais são eles:

  • Testes de proficiência do idioma;
  • Projeto de pesquisa;
  • Cartas de recomendação;
  • Cartas de motivação;
  • Currículo;
  • Passaporte e visto de estudante;
  • Histórico escolar e diplomas;
  • Comprovantes financeiros;
  • Carteira de vacinação.

Vale a pena ressaltar que deve-se ter em mãos todos os documentos originais e cópias para eventuais necessidades.

4 – Informe-se sobre bolsas de estudos

As bolsas de estudos facilitam muito a sua entrada em um país estrangeiro. Existem muitas Universidades que dedicam oportunidades especialmente para estrangeiros.

Exatamente por isso que é bom se manter informado sobre as bolsas de estudos para Universidades no exterior. Organize toda a sua documentação e se prepare para a primeira oportunidade que surgir.

5 – O processo de candidatura

A chamada application é quando o aluno decide iniciar o processo de candidatura em uma Instituição do exterior. Para isso um planejamento e organização devem ser priorizados.

O processo de seleção de alunos é rigoroso e bem diferente do vestibular aqui no Brasil. É, na verdade, uma avaliação do perfil do aluno e toda a sua trajetória pessoal até chegar ao processo de candidatura.

Dado que nessa etapa o aluno já tenha em mente a Instituição em que deseja estudar, é hora de entrar em contato com a Universidade e obter os formulários para preenchimento. Após isso, toda a documentação é exigida.

6 – Faça uma autoanálise

Não é porque você conseguiu uma vaga em uma Instituição estrangeira que você precisa parar de se preparar. É nesse exato momento que você precisa fortalecer seus pontos fracos e otimizar suas habilidades.

Uma autoanálise é fundamental para que você consiga criar metas e melhorar seus atributos. Lembre-se que lá fora os padrões educacionais são de excelência e até o momento da candidatura você ainda pode lapidar algumas capacidades.

Boa sorte!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo