Você está aqui:Home » Dicas » Idiomas » Principais segredos dos poliglotas que você pode usar para aprender um idioma

Principais segredos dos poliglotas que você pode usar para aprender um idioma

Olá, leitor!

Saber mais do que um idioma já é considerado uma obrigação. Saber duas, três, ou mais pode ser o diferencial que você precisa para deslanchar na carreira. Quer conhecer os segredos dos poliglotas para aprender tantos idiomas? Descobrimos os principais e trouxemos para você. Acompanhe!

Principais segredos dos poliglotas para você aprender um idioma

aprender_idiomas_poliglotas-01

Aprender um idioma não é tão difícil, principalmente depois de adquirir fluência no inglês, o idioma mais procurado depois da língua nativa. Mas talvez você não tenha a mesma facilidade para aprender espanholfrancês, chinês ou mesmo coreano.

Embora exista uma infinidade de cursos de idiomas, aplicativos, gratuitos ou não, para aprender uma nova língua exige uma certa metodologia que se você não estiver ciente, poderá desanimar e acabar desistindo de aprender.

Pensando nisso, buscamos informações de alguns dos maiores poliglotas do mundo, dadas por eles em entrevistas ou em seus sites. Concentramos aqui essas dicas que certamente auxiliarão você a aprender muitos idiomas.

Brendan Lewis

Também conhecido como Benny Lewis, sabe mais de 11 idiomas, criou um site Fluent in 3 months onde ensina seu método “12 Regras de Ouro” para aprender qualquer idioma em apenas 3 meses.

  1. Vocabulário: a primeira regra é memorizar as palavras mais usadas no idioma, usando técnicas de memorização, fazendo cartões com ilustrações e nomes onde pode aprender de forma lúdica, usando aplicativos;
  2. Cognatos e falsos cognatos: essa é a segunda regra, memorizar as palavras semelhantes ao nosso idioma, em escrita e significado, e as palavras que embora sejam semelhantes ao português na escrita não tem nada a ver no significado;
  3. Mergulhar no idioma: procurar se envolver no idioma não só viajando ao país referente à língua estudada, mas conhecer seus costumes, cultura, história e comidas típicas. Sempre que possível falar, ler, pensar no idioma;
  4. Conversação: além de memorizar as palavras principais, para aprender um novo idioma é essencial conversar no idioma. Converse com amigos que também estejam estudando, mas o ideal é conversar com alguém que já saiba o idioma, principalmente os nativos;
  5. Aproveitar material gratuito de estudo: segundo ele, não precisa gastar rios de dinheiro em cursos de línguas para saber falar e entender outro idioma. Aproveite os recursos oferecidos gratuitamente na internet. Existe muito conteúdo gratuito de qualidade, só procurar com calma;
  6. Aceleração de aprendizagem: a medida que for aprendendo se perceber que pode acelerar o ritmo não perca tempo. Pode acontecer de você ter mais facilidade em algum idioma e conseguir aprender mais rápido que a orientação de seu material de estudo. Se sentir isso, adiante-se sem problema;
  7. Estímulo visual: a memorização visual costuma ser o recurso mais utilizado por estudantes de idiomas e não é a toa – realmente funciona. O cérebro tem facilidade em associar imagens com o que está aprendendo, então abuse das tirinhas, cartões, memes, figuras com legendas;
  8. Aprenda errando: não deixe de conversar, escrever, ler, por medo de errar. Esse é um dos maiores limitadores para quem está aprendendo uma língua estrangeira. Errar é a oportunidade de aprender. Quando se erra, ao detectar o erro, existe uma maior chance de não repeti-lo e assim aprender efetivamente;
  9. Crie metas: aprender um idioma também requer metas, pois você fica determinado a aprender enquanto não tiver alcançado o objetivo que pode ser a fluência da língua. Muitas pessoas desistem antes de aprender por não ter feito isso;
  10. Domínio da língua: essa regra fixa a necessidade de interagir com nativos no idioma. Mesmo que tenha evitado, ou dado um jeito conversando com outros estudantes do idioma, mais cedo ou mais tarde, precisará atingir esse estágio pois só assim conseguirá aprender o idioma fluente;
  11. Sotaque e pronúncia: essa regra se utiliza um pouco da anterior pois ao conversar com nativos poderá aprender o jeito de falar a língua, além de gírias, expressões diferentes, dialetos. Outra forma é por meio de filmes, rádios, documentários com pessoas do país de origem do idioma;
  12. Linguística: a última regra de grande importância é aprender sobre a linguística, a estrutura sintática: sujeito, verbo e objeto. Os idiomas mudam a ordem desses elementos, por isso é importante saber quais são as regras do idioma que está estudando.

Rafael Lanzetti

Professor brasileiro que domina 11 línguas deu algumas dicas de como aprender um novo idioma:

  • Tenha disciplina – segundo ele, 15 minutos por dia são suficientes. Se conseguir criar o hábito de estudar todos os dias durante esse tempo, aprenderá mais rápido do que estudando em um curso de línguas em duas aulas por semana;
  • Tenha motivação – você precisa encontrar um objetivo para aprender determinada língua: viagem, trabalho ou amor, mas seja qual for, esse será seu motivo para não desistir no meio do caminho;
  • Comece cedo – ele se apoia nas pesquisas científicas que mostram que as crianças tem capacidade de aprender muitas línguas mais rápido. Então treine com as crianças, seus filhos, sobrinhos. Não tenha vergonha por isso;
  • Não existe língua difícil – existem línguas mais distantes. O brasileiro tem em média 200 palavras conhecidas de inglês mesmo sem estudar o idioma, só pela proximidade. Então tudo só dependerá de sua dedicação. Procure se aproximar mais do idioma que pretende aprender: músicas, filmes, livros, pessoas;
  • Escreva, fale e ouça – no aprendizado de um idioma utiliza-se as atividades passivas: entender e ler e as ativas: escrever e falar. Procure ao estudar, equilibrar as duas;
  • Seja persistente – por mais difícil que um idioma pareça você poderá aprender se esse for seu objetivo;
  • Não tenha medo de errar.

Steve Kaufmann

Criador da plataforma LingQ aprendeu 18 línguas sendo que 9 delas aprendeu em 45 anos e as outras 9 em apenas 10 anos utilizando suas técnicas. Segundo ele, todos podem aprender quantas línguas quiserem, não é nenhum talento especial. Quanto mais se aprende, mais fácil se torna aprender. Para isso precisa de 3 chaves importantes:

  1. Sua atitude: você quer aprender, acredita que pode utilizando o método e se posiciona positivamente para isso;
  2. Encontrar tempo: precisa dedicar um tempo para estudar, 10 ou 15 minutos no lingQ;
  3. Desenvolver a capacidade de perceber o que está acontecendo no entendimento do idioma, mas isso será com o tempo.

Outras dicas do seu método

  • Ir em busca do conteúdo: por meio de muita leitura e escuta. No lingQ você obterá lições, textos, mas terá que ter a inciativa de buscar o material que mais lhe agrade. Utilize seu tempo da melhor forma para isso. Leia, escute e com o tempo, seu cérebro se acostumará ao idioma;
  • Aprender palavras-chave de acordo com um contexto: seguindo seu sistema, você obterá o maior vocabulário ao conhecer as palavras contextualizadas e salvando-as ao utilizar LingQ;
  • Revisar: a medida que for aprendendo terá oportunidade de revisar;
  • Aprenda frases com as palavras salvas. por meio do aplicativo poderá aprender frases com as palavras que aprendeu. Lerá, ouvirá e terá a tradução. Depois também deverá revisá-las e salvá-las;
  • Nessa plataforma poderá acompanhar seu progresso, ter contato com comunidades, salvar e traduzir material.

Trouxemos também no Canal do Ensino 4 Dicas da Neurociência para aprender qualquer idioma mais rápido. Vale a pena conferir!

Essas foram as dicas mais importantes de alguns dos maiores poliglotas do mundo. Como pode ver, não é tão difícil desde que você esteja determinado, tenha disciplina e não desista. Escolha o método que mais funcione com você.

Aproveite nossas dicas de cursos gratuitos e aplicativos e crie suas metas. Certamente conseguirá aprender mais línguas, tornar-se um poliglota ou até mesmo um hiperpoliglota desde que seja esse seu objetivo.

Até breve!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo