Você está aqui:Home » Cursos Grátis » Vestibular e Enem » Principais diferenças entre a redação do Enem e dos vestibulares

Principais diferenças entre a redação do Enem e dos vestibulares

Descubra as principais diferenças entre a redação do Enem e a redação dos vestibulares para mandar bem em todas as provas e conseguir aquela tão sonhada vaga na universidade.

Olá, leitores!

A vida de quem luta e corre atrás de seus sonhos não é fácil. São estudos e mais estudos. Essa é a vida do estudante em qualquer lugar no mundo, que batalha para ser bem sucedido.

Nós, estudantes do Brasil, temos o tão conhecido Enem, prova que avalia nossos conhecimentos ao concluirmos o Ensino Médio e pode servir como chave de entrada para muitas faculdades. No entanto, esta não é a única opção.

Muitas faculdades aceitam a nota do Enem para o aluno concorrer uma vaga no curso desejado. Porém, também oferecem a possibilidade de o estudante tentar ingressar no curso através de um vestibular, prova oferecida pela própria faculdade.

A grande dúvida de muitos é a diferença entre as provas do Enem e dos vestibulares, principalmente quando se refere à redação, que é praticamente decisiva nas notas finais. Esse fato tira o sono de muitos e tem sido o principal foco dos estudantes em seus preparos para as provas.

Muitos acreditam que a redação dos vestibulares são inteiramente semelhantes à redação do Enem, mas isso não é verdade.

As redações possuem sim algumas semelhanças, mas são justamente as diferenças entre elas que podem ser decisivas no seu resultado.

Então vale a pena saber quais são as diferenças e semelhanças, para melhorar suas redações e garantir um melhor desempenho.
Começando pelas semelhanças entre a redação do Enem e dos vestibulares:

  • A linguagem deve ser sempre formal. Nada de gírias, abreviações ou linguagem coloquial. Mantenha-se atento ao uso de pronomes como “eu você, sua, seu” para não parecer um diálogo;
  • O foco em construir uma introdução atraente bastante definida, pode ser a chave para desenvolver uma boa redação. Deixar claro a sua posição ainda dentro da introdução é muito importante em ambos os casos;
  • Fugir do tema proposto pode ser fatal. Em ambos, a banca pode atribuir a nota Zero à prova que eles considerarem incoerente ao tema/proposta;
  • Tangenciar o tema com algum assunto diferente pode ser “arriscado” caso seja feito de modo superficial. Se deseja fazer isso, é importante que consiga se aprofundar no assunto tangenciado também, deixando sempre claro a relação que ele possui com a proposta da redação;
  • Utilizar informações com estatísticas, fontes científicas e dados reais, fortalecem o seu argumento. Quando bem organizados na redação, essas informações aprofundam os seus argumentos e os tornam mais efetivos e distantes da superficialidade.

Agora vamos citar as diferenças entre a redação do Enem e a dos vestibulares para que você possa se preparar melhor:

lapis-florescendo

  • Logo de cara, a diferença básica é que o Enem não exige um título para suas redações, enquanto nos vestibulares é obrigatório o uso de títulos.
  • No Enem é normal que o tema já seja utilizado como título, sendo um tema mais “fechado”. Enquanto nos vestibulares, eles oferecem um tema mais aberto e menos delimitado para que o candidato defina a direção que sua redação abordará. Assim, dentro de um imenso leque de possibilidades é você que decide o título da redação.
  • Exemplo:
    Enem (2015): A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira.
    UEA (Universidade do Estado do Amazonas): Violência contra mulher.

  • O Enem sempre exige uma proposta de intervenção para seus temas. Porém os vestibulares nem sempre exigem. A Fuvest, por exemplo, tem como exigência um posicionamento do candidato, que seja crítico sobre o tema. De certo modo, dispensa que o candidato proponha uma solução a algum problema;
  • O Enem exige sempre do candidato uma redação dissertativa-argumentativa. Alguns vestibulares ainda oferecem a opção ao candidato de escrever sua redação em dissertação, narração, carta, ou texto em estilo jornalístico. Ou seja, para isso é importante que você entenda a diferença entre alguns tipos de redações e se prepare para qualquer tema.
  • Os temas do Enem e dos vestibulares tem seus focos em pontos diferentes. O Enem tem seus temas ligados a questões sociais que costumam envolver debates sobre os direitos humanos. Enquanto nos vestibulares, encontramos temas atuais que debatem a fundo os conhecimentos como a sociologia, ética e cultura, costumando tangenciar as ciências sociais;
  • Erros ortográficos e gramaticais que podem ser feitos “vista grossa” nas redações do Enem, não passam despercebidos nos vestibulares. Então muito cuidado com as conjugações de modos e tempos verbais. Os famosos “mas/mais, mal/mau, a gente/agente” costumam castigar muitas pessoas nas correções.
  • E por último, porém não menos importante, as brincadeiras no meio dos textos. Este tipo de comportamento que vimos no Enem de alguns anos atrás, nunca foi/será tolerado nos vestibulares. Se não pretende tirar um zero na redação é bom deixar as brincadeiras em casa e levar a sério a prova que pode abrir as portas do seu futuro.

Bom, agora que você tem todas essas informações em mãos é hora de buscar a sua melhora na prática. Você pode encontrar provas do Enem ou de vestibulares anteriores e tentar fazer as redações em casa, baseando-se nos temas oferecidos.

É de grande ajuda conseguir o acompanhamento de um professor que possa analisar e avaliar a sua redação, assim você poderá melhorar em cada ponto que ele considerar, e se preparar melhor até que chegue o dia das provas.

Esperamos tê-los ajudado, até a próxima!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo