Você está aqui:Home » Concursos & Empregos » Empregos » Por que algumas profissões deixaram de existir

Por que algumas profissões deixaram de existir

Olá, leitor!

Hoje vamos conversar um pouco sobre história e entender o porquê de alguns empregos comuns há poucos anos, estão desaparecendo, como o Datilógrafo, já ouviu esse termo?

Por que algumas profissões deixaram de existir? Algumas profissões (que nem ao menos você imaginava que existiram em outra época) simplesmente desapareceram? Por que isso ocorreu? Confira!

Algumas profissões que deixaram de existir

Por_que_algumas_profissoes_deixaram_de_existir_profissoes_antigas_extintas_por_causa_da_tecnologia_profissoes_que_nao_existem_mais_no_Brasil_profissoes_extintas_ou_em_extincao_profissoes_que_estao_desaparecendo

Veja algumas profissões antigas que deixaram de existir e irá começar a entender a razão delas terem desaparecido:

Operador de Telégrafo

O operador de telegrafo usava o código Morse e outros códigos para enviar mensagens que eram transmitidas por meio do telégrafo elétrico. Os operadores de telégrafo trabalharam muito durante os anos da Primeira e Segunda Guerra Mundial.

Você provavelmente já assistiu pelo menos a um filme que retrata esse período, com cenas com um operador de telégrafo e um piloto de avião ou marinheiro que se comunicavam por meio de Código Morse.

O código Morse é ainda utilizado por radioamadores, mas foi substituído por outros aparelhos com a invenção do telefone e os avanços nas telecomunicações.

Operador de central telefônica

Seu trabalho era parecido com o do Operador de Telégrafo. O operador precisava ligar fios para que a ligação fosse executada.

Hoje a operadora de telefonia, chamada por telefonista em algumas empresas, ainda fazem a distribuição das chamadas, transferindo ligações para o ramal desejado, e é uma função que também está desaparecendo.

Operador de Mimeógrafo

Os aparelhos de mimeógrafos faziam cópias e eram acionados por um operador, que fazia as cópias e podia também entregar para outros funcionários.

Os mimeógrafos foram substituídos por máquinas digitais, copiadoras automáticas que operam acionando apenas um botão de um computador ou até mesmo via WiFi.

Pregoeiro

Esta profissão também foi bastante retratada nos filmes do século XVIII, provavelmente você já viu alguma cena em que um jovem com jornal na mão grita bem alto “Extra! Extra!…”.

Esta era a função do pregoeiro da cidade que ficava encarregado de anunciar as manchetes de jornais nas esquinas e praças.

Leiteiro

Hoje quando você quer tomar um copo de leite no café da manhã, você abre sua geladeira e pega uma caixa de Leite, não é mesmo?

Mas nos anos 50 era bem diferente, o leiteiro era o profissional responsável pela entrega do leite na casa das pessoas, o leite era embalado geralmente em garrafas e entregue diariamente no mesmo horário.

O leite continua sendo consumido, mas o profissional leiteiro deixou de existir.

Entenda a seguir por quais motivos várias profissões como essas ilustradas acima deixaram de existir.

Por que algumas profissões deixaram de existir?

Avanços da tecnologia

Ao observar a história do trabalho e da produção do ser humano podemos perceber que a tecnologia sempre esteve presente desde a Idade da Pedra, quando o ser humano utilizava objetos para fazer alguma tarefa.

E com os avanços da tecnologia os instrumentos de trabalho evoluíram. Isso fez com que tarefas antes realizadas por uma ou mais pessoas fossem substituídas por ferramentas, máquinas e aparelhos.

Para entender os motivos e o porquê de muitas profissões deixarem de existir você vai precisar se recordar um pouco das suas aulas de história. Você se lembra quando aprendeu sobre a 1ª Revolução Industrial ocorrida entre 1760 a 1860, na Inglaterra?

Nessa época surgiram as primeiras indústrias e o aparecimento das máquinas a vapor contribuiu para a segunda fase da Revolução Industrial entre 1860 a 1900, que avançou ganhando força em países como Alemanha, França, Rússia e Itália.

Invenções como o motor a explosão, locomotiva a vapor, produção de petróleo e energia elétrica foram grandes inovações dessa fase.

As profissões de operador de telégrafo e pregoeiro surgiram nessa época, mas com o avanço da revolução industrial na sua terceira fase foram substituídas por outras inovações.

O surgimento do computador, do aparelho de fax, de várias engenharias, do rádio e da televisão marcaram os avanços da tecnologia da área de comunicação na 3ª revolução industrial.

Consequentemente as profissões na área de Publicidade e Propaganda também evoluíram, e agora estamos vivendo o período de outras tecnologias inovadoras na 4ª revolução industrial.

Hoje a publicidade na internet ultrapassou a televisão, a telefonia móvel e tecnologias mobile evoluem rapidamente a cada ano, e a robotização já ganha espaço até nas aulas de educação infantil com o uso de tecnologia em sala de aula.

Mudanças de comportamento da sociedade

Outra razão de muitas profissões perderem espaço se deve a mudança do comportamento das pessoas, é possível perceber isso atualmente, por exemplo, com o uso dos aplicativos e internet para realizar operações bancárias, pela comodidade, facilidade de acesso, e por vários motivos as pessoas estão deixando de fazer operações nos caixas de banco.

A forma como as pessoas se comunicam e buscam informações também explica o porquê da profissão de pregoeiro desaparecer na área de publicidade e propaganda.

As manchetes apregoadas pelas vozes desses profissionais nas praças das cidades deram lugar agora aos anúncios de rádio, da TV, anúncios no outdoor e até pelas mensagens em redes sociais como o Twitter.

Atualmente aqui no Brasil existe outra ocupação profissional com o título de pregoeiro. Este profissional atua como servidor público e trabalha com a equipe de apoio em pregões para conceder licitação.

É função do pregoeiro receber as propostas e lances, fazer a análise e classificação do licitante vencedor. Uma profissão bem interessante para um concurseiro avaliar, não acha?

O comportamento da sociedade e o avanço da tecnologia fez desaparecer ocupações como do Leiteiro que citamos anteriormente, mas também fez surgir novas profissões, como essa do pregoeiro nos leilões públicos, e também outros cargos públicos concursados como os fiscais agropecuários e fiscais do Serviço de Inspeção Federal (SIF).

Com a modernização da cadeia produtiva do leite e com a aprovação do decreto que implantou o Riispoa (Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal) tornando obrigatória a pasteurização do leite, a inspeção e o carimbo do SIF surgiram outras profissões.

Muitas delas atreladas às funções regulatórias e também ao processo de produção, como os operadores de máquinas de pasteurização, controle de qualidade do leite como os microbiologistas, vendedores técnicos de equipamentos, mecânicos especializados nas modernas máquinas de pasteurização de leite UHT e das máquinas de leite em pó.

E a evolução continua, com a revisão do RIISPOA ocorrida em 2017, que contempla a implantação de novas tecnologias.

Debate sobre as profissões e o surgimento de novas ocupações

O avanço da tecnologia faz com que muitos profissionais fiquem com medo de perder o emprego, temendo que o uso acelerado de modernas máquinas propície a substituição de sua mão de obra por robôs.

Há vários estudos realizados na Europa e nos Estados Unidos que indicam as profissões que vão desaparecer nos próximos anos e quais delas tem o maior sob risco de desaparecer.

A empresa chinesa Shenzhen Evenwin Precision Technology Co., que fabrica partes de telefones e outros eletrônicos, é um exemplo que faz com que mais pessoas temam pela perda de seu emprego para um robô.

Esta empresa investiu US$322 milhões na construção de uma fábrica em Donguan e irá ter a linha de produção totalmente robotizada!  Será possível uma revolução industrial robótica?

Muitos especialistas afirmam que essa substituição pode aumentar o número de desempregados num primeiro momento, mas que em longo prazo, funções e profissões extintas serão aos poucos substituídas por outras que nem existiam.

Profissões como os Desenvolvedores de aplicativos e o Especialista em computação em nuvem, que ganharam espaço nos últimos anos com a expansão do uso de aplicativos e “computação em nuvem“.

Outra profissão que é totalmente nova é do gerente de mídias sociais, que em 2000 nem era requisitada, mas agora com plataformas como o Facebook com mais de 1,5 bilhão de usuários em todo o mundo, tornou-se uma profissão de marketing indispensável na área de comunicação.

Não é possível afirmar com certeza quais serão as profissões que irão surgir com as novas tecnologias, há muitas previsões sobre as que estão em baixa e as profissões em processo de extinção.

No entanto, é possível afirmar que irão impactar a forma de trabalho na sociedade como já ocorreu com as profissões que utilizamos como exemplo para te explicar o porquê muitas profissões antigas deixaram de existir.

Com a era da 4ª Revolução Industrial os profissionais irão lidar com robótica avançada, transporte autônomo, inteligência artificial, biotecnologia e genômica.

Para isso precisarão ter habilidades e competências que acompanhem esses avanços, habilidades como a alfabetização tecnológica.

É o caso do pregoeiro concursado que além de habilidades como liderança, carisma e comunicação, precisa saber lidar com informática, saber navegar pela Internet e operar sistemas provedores das licitações para poder fazer o pregão eletrônico.

Outra competência que fará diferença na carreira e no ambiente de trabalho é a inteligência emocional, com certeza será essencial para todos os profissionais de todas as áreas.

E com certeza podemos afirmar que para se sair bem no mercado trabalho atual é preciso investir em atitudes como a proatividade e se capacitar com cursos para aproveitar as melhores oportunidades.

E você, já pensou em como o avanço da tecnologia e as rápidas mudanças da sociedade irão afetar a profissão que você escolheu? Deixe sua opinião nos comentários!

Até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo