Você está aqui:Home » Livros Grátis » Literatura Nacional » Plataforma oferece gratuitamente edições raras de obras de Machado de Assis

Plataforma oferece gratuitamente edições raras de obras de Machado de Assis

Olá, leitor(a)! 

Mesmo quem nunca leu Machado de Assis certamente conhece a expressão “olhos de cigana oblíqua e dissimulada”, usada para descrever Capitu — personagem do romance Dom Casmurro (1899). Isso porque, assim como muitas outras produções do autor, a obra foi adaptada para vários meios de fruição, como cinema, televisão e teatro. O escritor é um dos mais estudados do mundo, com textos que fisgam a atenção de distintos(as) leitores(as), independentemente de suas origens. 

Para explicar como os livros machadianos ganharam tanto prestígio e seguem fazendo sucesso na contemporaneidade, a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM), da Universidade de São Paulo (USP), lançou uma plataforma que dá acesso a edições raras do literato. O projeto oferece ao público mostras e catálogos virtuais sobre os primeiros exemplares publicados pelo romancista, entre 1861 e 1908, que estão abrigados no acervo da instituição.  

Primeiras edições e raridades de Machado de Assis 

São quase 50 volumes, dos quais 37 foram integralmente digitalizados para o portal. Além das edições preciosas, a coleção intitulada Machadiana BBM contém histórias e testemunhos, notas de imprensa, recursos gráficos e muito mais. Além disso, o site conta com ferramentas de acessibilidade, como o botão de tradução para Libras e o de aumento do tamanho da fonte.  

A iniciativa surgiu a partir de uma exposição presencial, em 2018, realizada na própria Biblioteca Brasiliana e cuja curadoria foi feita pelo professor doutor Hélio de Seixas Guimarães. Assim, tendo em vista os limites de uma mostra física, a instituição decidiu transformar a ideia em algo mais duradouro e que pudesse ser alcançado por pessoas de qualquer lugar.  

O conteúdo completo do projeto, que está dividido em categorias, pode ser consultado aqui. De toda forma, para que nossos leitores e leitoras entendam um pouco sobre o valor que esse trabalho possui e como ele pode gerar muitos frutos no futuro, nós destacamos seções dele: 

Plataforma oferece gratuitamente edições raras de obras de Machado de Assis

Fonte: Reprodução

1. História Literária

Machado de Assis escreveu em diferentes gêneros textuais e fez muitos ensaios e críticas literárias. Nesta categoria, estão as primeiras edições das obras de poesia, contos, romances e peças teatrais do escritor. São essas produções que fizeram com que a literatura brasileira tivesse projeção mundial e influenciasse diversos(as) outros(as) autores(as). Para acessar, clique aqui. 

2. História da Imprensa

Muitas pessoas não sabem que boa parte dos escritos machadianos foram publicados inicialmente na imprensa, em revistas e jornais. Foi dessa maneira que Machado de Assis ganhou notoriedade e conseguiu lançar suas obras em outros suportes. Esta seção trata um pouco desse processo e mostra alguns desses registros, como os feitos para a Revista Brasileira e o periódico A Estação. Para acessar, clique aqui. 

3. História da Sociabilidade Literária

Na última categoria recomendada, temos acesso ao lado mais íntimo do autor de Quincas Borba (1891). Nela, é possível ler dedicatórias e autógrafos cedidos por Machado de Assis, que revelam muito sobre suas relações profissionais e de amizade. Entre os registros, destacam-se os realizados para o escritor português José Maria Latino Coelho e para o diplomata Joaquim Nabuco. Para acessar, clique aqui. 

Machado de Assis 

Considerado o escritor mais relevante da literatura brasileira, Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 21 de junho de 1839, no Rio de Janeiro. Filho de mãe portuguesa e de pai negro, ele teve uma infância sem muitos recursos, mas com muita vontade e habilidade natural para os estudos.  

Em 1855, alguns meses antes de completar 16 anos, publicou seu primeiro poema na revista Marmota Fluminense. Autodidata, o autor estudou francês e inglês, foi aprendiz de tipógrafo e trabalhou um bom tempo como revisor. Também começou a escrever com frequência para vários veículos de imprensa.  

No ano de 1864, iniciou na cena literária com o livro de poesias Crisálidas. Apesar do exímio talento para a escrita, produzindo em diversos gêneros, Machado de Assis tinha o serviço público como principal meio de subsistência. Lançou Ressurreição em 1872; entretanto, foi Memórias Póstumas de Brás Cubas, publicado quase uma década depois, que deu a ele maior projeção na literatura. 

As obras do escritor não só fazem um retrato crítico e fiel do modo de vida da sociedade da época, como também espelham aspectos da humanidade discutidos até hoje. Machado de Assis foi cofundador da Academia Brasileira de Letras (ABL), ocupando a presidência por anos; concebeu milhares de textos, entre contos, crônicas, poesias e romances; e faleceu em 1908. 

Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin 

Fundada em 2005, a BBM tinha como propósito receber e preservar uma coleção acumulada durante mais de 80 anos pelo casal Guita e José Midlin. São cerca de 60 mil volumes, entre livros e manuscritos, que atribuem ao acervo grande importância — sendo o mais respeitado patrimônio intelectual brasileiro reunido por pessoas físicas.  

Foi somente em 2013, contudo, que esses arquivos ganharam espaço e se tornaram acessíveis para o público geral. Com a missão de se manter sempre viva, a Biblioteca busca adquirir novos exemplares, ampliando seu catálogo com obras que sigam a mesma vertente das que fazem parte dele. Todas elas apresentam a história do Brasil sob diferentes perspectivas. Para saber mais, clique aqui.  

Quincas Borba disse “ao vencedor, as batatas” e nós dizemos que aos amigos e amigas: tudo o que há de bom! Então compartilhe nosso artigo com sua rede de amizades para que eles conheçam esse projeto incrível!  

No Canal do Ensino, leia também: 

Boa leitura e até logo!  

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo