Você está aqui:Home » Concursos & Empregos » Empregos » Passo a passo para criar uma carta de recomendação

Passo a passo para criar uma carta de recomendação

Olá, leitores

Apesar da constante modernização e informatização, os métodos impressos ainda são altamente valorizados durante a busca de um emprego e as entrevistas feitas para entrar no mercado de trabalho.

Entre os principais documentos utilizados no dia a dia de quem procura por emprego está a Carta de Recomendação. Ela é geralmente pedida pelas empresas com vagas abertas e é feita por ex-coordenadores ou ex-chefes do candidato à vaga de emprego.

Já na área educacional, as cartas de recomendação são muito comuns para quem está procurando por intercâmbio.

As cartas de recomendação são bem comuns. Porém, mesmo com a relevância deste documento, ainda não é todo mundo que sabe fazer este tipo de carta, até mesmo entre os encarregados e chefes de empresa.

A carta de recomendação pode ser bem pessoal, sendo sempre diferente de uma pessoa para a outra. Mas é possível seguir uma fórmula e algumas dicas para criar uma carta de recomendação sem erros. E este é um ponto importante para causar uma boa impressão no recrutador.

A carta de recomendação não precisa ser extensa, muito menos cheia de enfeites e elogios desnecessários. Ela precisa ser redigida com honestidade e uma certa objetividade, garantindo um texto fluído e que capte a atenção do leitor.

Redigindo uma carta de recomendação

carta-recomendacao

A carta de recomendação pode ser dividida em duas partes diferentes, a Identificação e o Conteúdo. Estes são os principais elementos para fazer uma boa carta de recomendação.

Outro detalhe importante é que as cartas de recomendação não devem ser feitas a mão. Elas devem ser redigidas no computador e impressas posteriormente para as devidas assinaturas.

Identificação

A carta de recomendação deve ser sempre iniciada pela identificação. Como estes documentos são geralmente redigidos por alguém com uma relação profissional direta com o candidato (antigos professores, ex-entidades empregadores, oficiais do serviço militar, coordenadores de pesquisa em que o candidato trabalhou, etc) é necessário que a carta comece com a identificação de quem esta redigindo.

Esta identificação pode ser feita através de um pequeno cabeçalho contando com o nome do remente, seu cargo e empresa, meios de contato, data da redação do documento.

Logo após este cabeçalho é necessário também identificar o destinatário (se for do conhecimento do redator, claro). Em casos comuns, onde não está se direcionando à juízes, oficiais das forças armadas ou acadêmicos com doutorado pode se apostar na saudação formal como “Exmo. Sr. – “.  Nos casos citados, é necessário usar o cargo ou nível acadêmico do destinatário, exemplo: “Exmo. Dr.” “Exmo. Sr. (Dr.) Juiz”, “Exmo. Sr. Coronel”, etc.

Conteúdo

Após a identificação devidamente feita é hora de fazer a recomendação em si. No corpo da carta é onde vão todas as informações do candidato, tendo em mente que a proposta é ajudar que ele consiga o emprego. Lembrando mais uma vez que não se deve cometer exageros, assim como não deve ser vago nas informações.

É preciso mencionar especificamente quais as qualidades do candidato, quais os seus pontos fortes, promoções, metas alcançadas, benefícios trazidos à empresa e qualquer outra informação ligada ao período profissional do candidato na empresa anterior.

A carta de recomendação também deve conter informações claras sobre o período que o funcionário trabalhou na empresa, quais foram as funções exercidas, as atividades executadas dentro da sua função e o desempenho do candidato durante o tempo trabalhado.

Antes de terminar a carta é preciso fazer uma recomendação firme e direta do candidato, garantindo com suas palavras que a pessoa foi um bom funcionário e que ele possui sua total confiança para exercer um bom trabalho.

Exemplo de carta de recomendação

Confira um exemplo de carta de recomendação utilizando nome e cargo fictício:

Nome do remetente

Cargo/Empresa

Endereço

Contato

Data

Exmo. Sr/Dr

(Aqui deve começar a identificação do cargo, funções, data trabalhada e outros detalhes sobre a antiga experiência profissional do candidato).

O Sr X trabalhou na nossa empresa sob a minha supervisão e coordenação como redator para rede sociais e blogposts de 1 de abril de 2010 até 29 de fevereiro de 2016. O seu trabalho incluía, entre outras atividades, realizar pesquisas para várias publicações para a internet, verificação de dados e métricas, redigir e executar tarefas administrativas. Enquanto ele trabalhou com a gente, provou ser um excelente funcionário e um talentoso colega de equipe.

(Após uma breve introdução sobre as funções e experiência do funcionário escreva uma pequena nota pessoa sobre as suas impressões sobre as capacidades dele).

Como supervisor, fiquei impressionado com a capacidade e X em finalizar suas tarefas de forma eficiente e dentro dos prazos estipulados.

Além disso, o candidato também tinha uma atitude proativa e muita atenção nos detalhes de suas pesquisas e na busca por fatos verdadeiros e verificados.

(A última parte da carta deve conter uma recomendação firme e direta, afirmando que o funcionário será valioso para a próxima empresa).

Garanto que o funcionário é um trabalhador preciso e atento a todos os pontos necessários para a execução da sua função. Tenho completa certeza que o Sr. X será um redator de alta qualidade e que trará valor à sua empresa. Recomendo-o com plena consciência de que ele está apto para realizar qualquer função de redação da qual ele seja incumbido.

Estamos à disposição para mais detalhes.

São Paulo, 25 de dezembro de 2017.

Assinatura logo abaixo da data.

Seguindo este modelo não há erro na hora de fazer uma boa carta de recomendação.

O que acharam destas dicas leitores? Possuem alguma informação que querem compartilhar com a gente? Escreva nos comentários.

Até mais!

Deixe um comentário

© 2012-2017 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo