Você está aqui:Home » Concursos & Empregos » Empregos » O que você não deve colocar no currículo na hora de busca emprego

O que você não deve colocar no currículo na hora de busca emprego

Olá, leitor!

O currículo é um fator importantíssimo na hora de conquistar a vaga dos seus sonhos. Afinal, ele é sua carta de apresentação para a empresa, e nele estarão todos os pontos fortes que vão ser fundamentais para a contratação. Por isso, é essencial colocar no currículo todas as informações mais relevantes.

Se fala muito sobre o quê – e como – colocar no seu currículo. Aqui mesmo no Canal do Ensino, você encontra muitas dicas para deixar esse documento muito mais atrativo. Mas você sabia que também existem coisas que você deve evitar escrever?

Cometer erros na hora de eleger quais são as informações que devem ser colocadas no currículo é muito mais comum do que você pensa. Muitas vezes, na intenção de se destacar, o candidato pode acabar se prejudicando sem querer.

Quer mais dicas para preparar um currículo incrível? Leia também esse outro post aqui no Canal do Ensino!

A seguir, você encontra todos os erros mais comuns na hora de elaborar um currículo. Fique de olho para não colocar informações que podem te prejudicar nesse documento tão importante! Continue lendo e confira!

O que nunca deve ser colocado no currículo

nao_colocar_no_curriculo_

Para começar, vamos listar algumas informações que não devem estar no currículo:

  • “Curriculum vitae”: a frase já é considerada ultrapassada, e não é necessário colocar nenhum tipo de título nesse documento. O ideal é que a primeira informação no currículo seja o seu nome;
  • Números de documentos: a maioria das empresas só precisará desses dados no momento de contratação. O RG, CPF e outros documentos não são relevantes na seleção e ocupam espaço valioso no seu currículo;
  • Pretensão salarial: o ideal é só incluir essa informação se a vaga requisitar;
  • Referências profissionais: normalmente, as referências são entregues em uma folha à parte, no momento da entrevista;
  • Assinatura: o currículo não é um documento que exige assinatura;
  • Referências pessoais: são raras as vagas hoje em dia que exigem referências pessoais. Essas informações podem tornar o currículo antiquado e, na maioria das vezes, não serão usadas;
  • Data de nascimento: enquanto é importante que sua idade conste no currículo, não há motivos para incluir a data de nascimento;
  • Informações pessoais: algumas informações precisam, sim, estar no currículo. Não é o caso do nome dos pais, religião e estado civil, por exemplo. Limite-se às informações relevantes para o cargo;
  • Redações: apenas escreva cartas de apresentação se a empresa requisitar. Quando o fizer, evite usar a terceira pessoa, seja breve e objetivo. O currículo, por sua vez, deve sempre estar organizado em tópicos;
  • Datas e mais datas: quando descrever sua experiência profissional, prefira especificar períodos de tempo, e não datas específicas. Evite também colocar a data atual no currículo;
  • Elogios: um erro muito comum é escrever uma sessão do currículo destacando suas qualidades. Essas são informações subjetivas, que serão percebidas pelo entrevistador;
  • Foto: a não ser que o desempenho da função dependa diretamente da sua aparência, como é o caso para modelos ou atores, não é necessário incluir a foto no currículo.

Erros mais comuns ao elaborar um currículo

Agora que você já sabe quais informações não devem constar no seu currículo, vamos revisar quais são os erros mais comuns na hora de elaborar esse documento. Assim, você pode evitá-los e tornar seu currículo ainda mais atrativo! Confira!

Mentir

Mentir no currículo é uma prática muito frequente, infelizmente. Mas, tenha em mente: fazendo isso, você está prejudicando apenas a si mesmo.

Mesmo que a mentira passe despercebida no processo de seleção, o que já é bem raro, depois de conquistada a vaga você precisará das habilidades que disse ter.

Falar sobre a vida pessoal e hobbies

Pode até parecer estranho, mas existem muitas pessoas que discorrem sobre seus hobbies e outras atividades da vida pessoal no currículo.

Lembre-se que esse é um documento profissional. Embora, durante a entrevista, as perguntas sobre esse tipo de coisa sejam comuns, essas informações não devem estar no currículo.

Reserve esse documento apenas para suas experiências profissionais e formações relevantes ao cargo.

Listar as experiências profissionais na ordem errada

Esse é um erro muito comum: ao listar as experiências profissionais, o candidato começa pelo seu primeiro emprego. O ideal é começar pela última experiência, e listar, no máximo, as três mais recentes.

Dessa forma, além do currículo ficar mais chamativo, o entrevistador consegue ter uma ideia melhor do momento profissional em que você se encontra imediatamente.

Experiências profissionais não relevantes

É muito importante contar com bastante experiências anteriores. No entanto, pode ser mais benéfico para você colocar apenas uma experiência no currículo do que cinco que não se relacionam com o cargo ou objetivo profissional.

O mesmo vale para suas formações. Ao invés de citar todos os diplomas e certificados, limite-se aos que são relevantes para o cargo. O currículo deve sempre ser específico e objetivo.

Formações no campo errado

Suas formações acadêmicas se referem apenas à graduações, especializações, pós, mestrado e doutorado. É muito comum, no entanto, encontrar candidatos que colocam os cursos livres e workshops nesse mesmo campo.

É claro, experiências como essas podem ser muito relevantes para o cargo. O ideal, no entanto, é que tenham um campo específico para elas, como “cursos e outras atividades”.

Ausência de objetivo

Muitas pessoas procuram cargos em múltiplos setores ou níveis de hierarquia. Se você for uma delas, é essencial fazer um currículo diferente para cada uma delas.

Todo currículo deve conter um objetivo profissional, além de experiências e cursos relevantes para aquele cargo.

Autoavaliação

A capacidade de se autoavaliar é muito valorizada no mercado de trabalho. No entanto, o currículo não é o local apropriado para fazer isso.

Normalmente, suas qualidades, pontos a serem trabalhados e perfil profissional serão avaliados pessoalmente, pelo entrevistador.

Adicionar informações como “boa comunicação”, “bom em trabalhar em equipe” pode soar pretensioso, além de ocupar espaço valioso no seu currículo.

Currículo muito extenso

Essa é uma dica que sempre vemos, mas um erro que continua acontecendo muito. O currículo precisa ser um documento curto e objetivo, permitindo que o entrevistador tenha uma boa ideia do seu perfil profissional em poucos segundos. O ideal é que ele não passe de duas páginas.

Por isso, use as dicas desse artigo para diminuir o máximo possível seu currículo, deixando apenas as informações mais importantes!

Clichês

Todo mundo já ouviu as frases:

  • Meu maior defeito é o perfeccionismo;
  • Meu objetivo é ajudar a empresa a crescer, me dedicando ao máximo;
  • Sou uma pessoa dinâmica, comunicativa, que trabalha bem em equipe.

Entre outros jargões super comuns em processos seletivos. Se você já está cansado de ver essas frases, imagine os entrevistadores, que revisam centenas de currículos todos os dias. O objetivo dessas falas é normalmente destacar o currículo. O efeito, no entanto, é o contrário.

Evite esse tipo de afirmação e procure ser o mais objetivo possível.

Dicas extras: deixando seu currículo ainda melhor

Veja essa lista com algumas dicas especiais para ter mais cuidado com as informações do seu currículo:

  • Não utilize endereços de e-mail que não sejam profissionais. O ideal é o modelo nome -sobrenome@provedor;
  • Considere que você não sabe o que será feito com o seu currículo e como ele será armazenado ou descartado. Essa é uma ótima maneira de determinar que tipos de dados pessoais não precisam ser divididos no documento;
  • Evite redundância. Por exemplo, se você especificou a idade, a data de nascimento não é necessária;
  • Passe longe dos textos em formato de redação. Organize tudo em tópicos;
  • Seu nome e dados para contato devem estar sempre em destaque, no começo do documento;
  • Tome cuidado com a formatação. Utilize fontes legíveis, com um bom espaçamento entre linhas;
  • Liste conquistas. Nas experiências profissionais, além das atividades exercidas, liste também suas conquistas e avanços na carreira;
  • Sempre faça uma revisão. Erros de digitação e ocasionais problemas ortográficos são inevitáveis. É importante revisar para não arriscar parecer descuidado;
  • Se for incluir formações acadêmicas, forneça dados da instituição, e não apenas o ano de conclusão do curso;
  • Cuidado com modelos prontos. Sempre verifique se os campos padrão estão de acordo com as suas necessidades como profissional e com o cargo que você procura.

Conclusão

Existem muitos fatores que merecem atenção no momento de elaborar um currículo. Além de eleger com cuidado que tipo de informação estará no documento, também é preciso pensar bem sobre os detalhes que podem ser omitidos.

Definir quais informações são importantes é uma habilidade que melhora com a prática. Então, vale à pena ler bastante dicas sobre como se preparar para entrevistas e que tipo de características as empresas procuram nos candidatos.

Além disso, você pode encontrar online modelos de currículo e dicas muito valiosas em sites que oferecem vagas de emprego.

Aqui mesmo, no Canal do Ensino, estamos sempre publicando artigos com ideias e ensinamentos importantes nessa área. Confira alguns deles:

E você, já tem experiência com as informações que devem ou não estar no currículo? Diga para a gente nos comentários se esquecemos de mencionar alguma! Não esqueça também de deixar sua pergunta se ficou com alguma dúvida!

Até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo