Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » O que é linguagem conotativa?

O que é linguagem conotativa?

Olá,

Quando falamos ou escrevemos, podemos tanto usar as palavras com seu sentido literal – aquele que aparece no dicionário – quanto atribuir-lhes sentidos diferentes.

Observe:

  1. Minha mãe é muito brava.
  2. Minha mãe é uma fera.

Perceba que no 1° usamos todas as palavras com o sentido que aparecem no dicionário, que chamamos de sentido denotativo. Já no 2°, temos uma palavra (fera) que teve seu sentido literal modificado. Temos no 2° um exemplo de linguagem conotativa.

Linguagem conotativa

Linguagem conotativa é o uso de palavras ou expressões em sentido figurado, não literal.

Ex.:

Jordânia é uma flor.

Perceba que, levando em conta que Jordânia é uma pessoa, o substantivo flor foi usado em sentido figurado, não literal; pois pessoas não são flores.

Quando usamos a linguagem conotativa ou figurada, atribuímos às palavras significados novos, ampliando o seu sentido literal ou primário.

Lembre-se sempre que, apesar de ter seu sentido modificado ou ampliado, as palavras ou expressões usadas em linguagem conotativa não devem ser usadas aleatoriamente, ou seja, elas devem ter sentido. Portanto devemos sempre nos atentar ao contexto em que essas palavras são empregadas.

Uso da linguagem conotativa

Usamos a linguagem conotativa em várias situações do dia a dia. Quando dizemos, por exemplo, que alguém está há um século atrasado, ou que alguém veio voando por ter vindo muito rápido, estamos usando a linguagem conotativa.

Contudo, é na literatura que esse tipo de linguagem costuma ser mais usado e explorado. Escritores e poetas enriquecem seus textos criando novos significados e sentidos para as palavras. Para fazer isso, geralmente, eles utilizam as figuras de linguagem (metáfora, metonímia, paradoxo, antíteses, personificação, etc.).

Ex.:

“Em vão me tento explicar, os muros são surdos.

Sob a pele das palavras há cifras e códigos.

O sol consola os doentes e não os renova.

As coisas. Que tristes são as coisas, consideradas sem ênfase.” (Carlos Drummond de Andrade)

Nesse trecho do poema A flor e a náusea, de Carlos Drummond de Andrade, temos exemplos de linguagem conotativa em todos os versos. Ao dizer que os muros são surdos, que as palavras têm pele, que o sol consola os doentes, Drummond está fazendo uso da linguagem conotativa.

Conclusão

Você aprendeu nesse texto o que é linguagem conotativa. Agora que tal fazer uns exercícios para treinar?

Um grande abraço, e até a próxima!

Exercícios

Linguagem conotativa

Fonte: Reprodução

1 – Prefeitura de Fortaleza – CE – Professor – Língua Portuguesa (2018) – Os textos publicitários apresentam recursos linguísticos muito interessantes, por isso constituem um material bastante proveitoso para as atividades de interpretação de texto, sobretudo quando, neles, se detecta o caráter polissêmico. O texto seguinte é bem característico desse traço: “BANHO E TOSA – aqui seu cão sai um gato!”. Com base na significação e no contexto de produção desse texto, o aluno deve concluir que:

  1. a) o substantivo gato apresenta um significado conotativo.
  2. b) a palavra cão estabelece uma antítese com a palavra gato.
  3. c) o termo tosa propicia que se estabeleça a ambiguidade do texto.
  4. d) o vocábulo cão foi empregado com base em seu sentido figurado.

 

2 – SP Parcerias – Analista Técnico (FCC – 2018)

Esportes, negócios

Comecinho dos anos 60, nosso professor de educação física, um homem já encanecido (por isso, considerado um velho bem velho, na nossa perspectiva de adolescentes), não tinha dúvida em nos dizer: “Não briguem por causa de futebol. Futebol como esporte não existe mais, desde que se profissionalizou. Só fazia sentido quando todos eram amadores e jogavam só pelo prazer do jogo e pelo amor à camisa”. Era uma opinião radical, mas que nos fazia pensar em sua consistência.

      Por certo o professor estava se referindo a experiências de sua meninice e adolescência, nos anos 30 e 40, quando o futebol ainda era uma espécie de arte pela arte, sem a intromissão decisiva dos chamados “interesses do mercado”. Às vezes acho que a nostalgia de meu professor tinha toda a razão de ser: era possível e desejável gostar de um esporte apenas pelas qualidades intrínsecas desse esporte.

      Altos negócios no mundo das atrações de massa supõem muito dinheiro, plena visibilidade e excesso de celebração. Nada disso falta, hoje, aos esportes de alto rendimento que sejam também negociáveis, isto é, que constituam matéria de interesse para milhões de consumidores. Com isso, perde-se aquela dimensão de gratuidade que havia nos esportistas empenhados numa tarefa em que a competitividade não eliminava o prazer, que por sua vez não se rendia a poderosos empresários. “O que passou passou. / Jamais acenderás de novo / o lume / do tempo que passou”- já desabafou o poeta Ferreira Gullar, num momento de versos céticos. O que é uma pena, diria nosso velho professor de educação física. (Jayme de Souto Albuquerque, inédito)

Considerando-se o contexto, emprega-se em sentido figurado o seguinte segmento:

a) um homem já encanecido (1° parágrafo).

b) todos eram amadores (1° parágrafo).

c) qualidades intrínsecas desse esporte (2° parágrafo)

d) o lume / do tempo que passou (3° parágrafo)

e) a competitividade não eliminava o prazer (3° parágrafo).

3 – COPASA – Técnico de Meio Ambiente II (FUMARC – 2018) – Há linguagem conotativa em:

a) “Conto por meio dos personagens.”

b) “Filho da moça que considerava irmã, mãe solteira.”

c) “Quando ouvir uma fofoca, abra as orelhas.”

d) “Vejam que ligação bonita saber da vida alheia tem com o ato de criar.”

 

4 –  UNIFAP – Assistente em Administração (DEPSEC – 2018) – Na linguagem oral e na escrita, a denotação é o emprego de uma palavra ou expressão em seu sentido próprio, restrito e impessoal. Já a conotação é a utilização de palavra ou expressão com um significado mais amplo, podendo ter vários sentidos, incluindo o valor literário. Assinale abaixo a alternativa que apresenta a ordem CORRETA de sentido denotativo e conotativo (respectivamente) para as palavras em destaque:

a) As estrelas do cinema brilham em cada prêmio recebido/ Nem todas as estrelas do céu podem ser vistas a olho nu.

b) O aluno quebrou a vidraça da escola/ A testemunha quebrou o silêncio.

c) Aquele comerciante é uma raposa nos negócios/ Está aberta a temporada de caça à raposa.

d) A ignorância é a mãe da maldade/ A mãe da aluna ficou furiosa com a direção da escola.

e) A matemática sempre foi uma pedra no meu sapato/ A enorme pedra rolou do barranco causando a tragédia.

 

5 – TJ-SP – Escrevente Técnico Judiciário (VUNESP – 2018) – Assinale a alternativa em que há expressão(ões) empregada(s) em sentido figurado.

a) Oscar Wilde, por exemplo, dizia de George Moore: escreveu excelente inglês, até que descobriu a gramática.

b) Aliás, inglês eu não aprendi na escola. Foi lendo as revistas MAD e outras que vocês podem imaginar.

c) Este pouco de gramática que eu sei, por exemplo, foram Dona Maria de Lourdes e Dona Nair Freitas que me ensinaram.

d) Ora, dirão os professores, vida é gramática. De acordo. Vou até mais longe: vida é pontuação.

e) Simples: tenho em minha biblioteca três livros contendo exclusivamente citações.

 

Gabarito

1 – A

2 – D

3 – C

4 – B

5 – D

comentários (1)

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo