Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Métodos fônicos grafema e fonema 

Métodos fônicos grafema e fonema 

Olá,

Você já reparou que há diferenças entre a escrita e a fala? Apesar de a escrita ser a representação gráfica da língua que falamos, essa representação não é perfeita. Neste texto abordaremos dois aspectos que dizem respeito a exatamente isso: os grafemas, que dizem respeito à escrita; e os fonemas, que tratam dos sons da fala.

Grafemas

Métodos fônicos

Fonte: Reprodução

Os grafemas são a ideia abstrata por trás dos sinais gráficos que usamos para representar de forma escrita a língua que falamos. Porém, quando falamos em grafemas, vamos além das letras do alfabeto, pois eles englobam também os acentos e demais sinais gráficos que ajudem a exprimir de forma escrita a linguagem falada.

Quando um sinal gráfico é a pura representação do fonema, chamamos apenas de letra, porém, quando o sinal é portador de sentido, damos o nome de grafema. Portanto, toda letra pode ser um grafema, mas não é toda letra que vai ser considerada um grafema. Vejamos alguns exemplos para entendermos melhor.

Nas palavras casa e cada, temos dois grafemas, o s e o d. Pois são, nesse caso, os sinais ou letras que distinguem uma palavra da outra.

Nas palavras dúvida e duvida, temos o acento agudo (acento diacrítico) usado como grafema, pois é através desse acento que diferenciamos uma palavra da outra.

Os grafemas podem ser letras, acentos, sílabas ou ideogramas. Na língua portuguesa, os grafemas são representados pelas letras e pelos acentos. Vale lembrar que o grafema não é a materialização em si do sinal, mas, sim, a sua ideia, pois o grafema tem valor abstrato e não material.

Outros exemplos:

Em medo e meio, temos os grafemas d e i, pois são eles os sinais que distinguem um termo do outro.

Em carro e caro, o grafema será o r que a palavra carro tem a mais que a palavra caro.

Em esta e está, temos acento agudo como grafema, é este acento que faz a distinção entre o pronome esta e o verbo está.

Fonema

O fonema é a menor unidade sonora de uma palavra.

Por exemplo, quando dizemos a palavra casa, pronunciamos os fonemas / c / a / z / a /, portanto a palavra casa possui 4 fonemas. Perceba que, caso houvesse a ausência de algum desses fonemas, não teríamos a palavra casa. Portanto, os fonemas são unidades sonoras que distinguem uma palavra da outra, como em casa e cara (nesse caso, as consoantes s e r são os fonemas distintivos).

Na língua portuguesa, temos três tipos de fonemas, que se classificam em vogais, semivogais e consoantes. A vogal é considerada o elemento básico, pois sem ela é impossível formar uma sílaba. Já as consoantes e as semivogais são consideradas fonemas dependentes, já que só formam sílaba com o auxílio de uma vogal.

É importante não confundir fonema com letra. A letra é uma representação gráfica, enquanto que o fonema é uma unidade sonora. A letra nós usamos para representar a língua na escrita, e os fonemas só podem ser percebidos quando falamos. Outro detalhe importante é perceber que nem sempre a quantidade de letras e de fonemas será igual em uma palavra, isto é, uma palavra pode ter mais letras do que fonemas e vice-versa.

Ex.:

Palavra Letras Fonemas
Táxi 4 5 – /t/a/k/s/i/
Cachorro 8 6 – /c/a/x/o/r/o/
Mesa 4 4 – /m/e/z/a/
Caneta 6 6 – /c/a/n/e/t/a/

 

Você aprendeu neste texto o que são grafemas e fonemas. Vimos que grafemas são elementos percebidos através de sinais gráficos, embora sejam abstratos, e que fonemas são o elemento sonoro básico que produzimos ao pronunciar uma palavra.

Agora que você já chegou até aqui e já estudou toda a matéria, que tal fazer uns exercícios para memorizá-la?

Um grande abraço, e até a próxima!

Exercícios

1 – (PUC-SP) Nas palavras enquanto, queimar, folhas, hábil e grossa, constatamos a seguinte sequência de letras e fonemas:

a) 8 – 7, 7 – 6, 6 – 5, 5 – 4, 6 – 5

b) 7 – 6, 6 – 5, 5 – 5, 5 – 5, 5 – 5

c) 8 – 6, 7 – 5, 6 – 4, 5 – 4, 5 – 4

d) 8 – 6, 7 – 6, 6 – 5, 5 – 4, 6 – 5

e) 8 – 5, 7 – 6, 6 – 5, 5 –  5, 5 – 5

2 – (FAURGS-2004-Oficial Escrevente do TJRS) Considere os fenômenos fonéticos a seguir:

(1) letra que representa mais de um fonema;

(2) letra que não representa nenhum fonema;

(3) correspondência total de fonemas e letras.

Assinale a alternativa cujas palavras apresentam, na ordem em que são citados, os fenômenos fonéticos acima.

a) reflexões – hábito – executada

b) herma – clássica – exceção

c) exceção –fachada – logradouros

d) fachada – recorremos – reflexões

e) pontilhada – herma – clássica

3 – (Escola Naval-RJ) Nas palavras anjinho, carrocinhas, nossa e recolhendo, podemos detectar, oralmente, a seguinte quantidade de fonemas respectivamente:

a) três, quatro, dois, quatro.

b) cinco, nove, quatro, oito,

c) seis, dez, cinco, nove.

d) três, seis, dois, cinco.

e) sete, onze, cinco, dez.

4 –  (PUC-RJ) Um mesmo fonema pode ser grafado de diferentes maneiras. Qual a lista de palavras que exemplifica essa afirmação?

a) Paciente, centro, existência.

b) Existência, meses, batizaram.

c) Projeto, prejudicando, propõe.

d) Quem, quando, psiquiatra.

e) Coisa, incomoda, continuidade.

 

5 – (UFMT) Na expressão “nossa façanha”, você encontra:

a) 12 fonemas e 12 letras.

b) 12 fonemas e 10 letras.

c) 09 fonemas e 10 letras.

d) 10 fonemas e 12 letras.

e) 09 fonemas e 12 letras.

Gabarito

1 – D

2 – A

3 – B

4 – B

5 – D

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo