Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Literatura de Cordel: guia detalhado sobre o gênero literário

Literatura de Cordel: guia detalhado sobre o gênero literário

Olá!

Você com certeza já ouviu falar em literatura de cordel, não é mesmo?

A literatura de cordel se disseminou no Brasil por volta do séc. XIX. Trazida pelos portugueses, esse gênero textual se adaptou e se espalhou pelo Brasil, mais precisamente na região nordeste.

Esta maneira de fazer poesia se adequou a realidade brasileira e com o passar das décadas passou a ganhar novas faces. Comunicava casos, notícias e arte em poesia de determinadas cidades. Também, inspirou outras formas de arte como o roteiro de novelas televisionadas, como a obra de Dias Gomes: Saramandaia, inspirada no romance de Cordel, Pavão Misterioso.

A literatura de Cordel é mais evidente e também produzida até os dias atuais, na região do nordeste do Brasil. Mas, é possível encontrá-las também nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Caracterizada pela xilogravura, está arte se tornou particular em comparação a outros tipos de poesias. O nome “cordel”  é pelo fato de que, em tempos antigos, os folhetos eram expostos em cordões para serem vendidos nas feiras populares.

Antigamente, em especial na região do nordeste, os cordéis eram também recitados em praça pública em forma de canção. Hoje, essa maneira de fazer poesia de cordel tomou novas estradas. As recitações tornaram-se o repente: canção rápida e de rima improvisada, sobre determinados aspectos de tempo, espaço, personagens e situações.

Existe muita história, em muito mais que 500 anos de literatura de cordel. Vamos agora, mergulhar um pouco na história, conhecer como e onde surgiu este gênero literário e como chegou até nós.

Vamos conhecer também como são estruturadas as rimas e onde encontrar a literatura de cordel gratuitamente, online. Preparada(o) para essa viagem ao tempo? Vamos lá!

Como surgiu a literatura de Cordel?

literatura-cordel

Imagine que você está entrando em uma pequena vila portuguesa do tempo medieval (aproximadamente no ano de 1189) . Ao adentrar a vila se depara com alguns artistas, eles usam instrumentos estranhos e cantam versos sobre a dor de amar e não ser correspondido. Você logo pensa: “Será uma versão medieval da sofrência de Pablo?!”

Sua imaginação acaba que te levar para as origens do Cordel, que neste tempo era conhecido como Trovadorismo. Este estilo de literatura era muito disseminada em tempos medievais, compostas, cantadas e tocadas pelos artistas nobres da região da Península Ibérica (sudoeste europeu que abrange Portugal, Espanha e algumas regiões da França).

As composições eram manuscritas e reunidas em livros, conhecidos como cancioneiros. Como nesse período não existia as técnicas de tipografia e conteúdos impressos, poucos registros se tem dessa literatura, resumindo-se em manuscritos da época, alguns ainda sobrevivem nas bibliotecas em Portugal e Espanha.

Vamos fazer um resumo sucinto para que você entenda a evolução dos versos deste estilo literário, e como foi transferido para a cultura brasileira e se tornado no que hoje conhecemos por Cordel. Primeiramente, vamos aos estilos em que os versos eram argumentados em tempos medievais.

As poesias cantadas eram divididas em, basicamente, 4 estilos diversos, são eles:

  • Cantiga de Amor: Versava o sofrimento de um homem por um amor não correspondido. Nessa cantigas exaltava-se as qualidades da amada, no verso aquele que amava se dizia na figura de um vassalo que amava uma mulher hierarquicamente, mais nobre (apreende-se esta ideia sobre um contesto do sistema feudal).
  • Cantiga de Amigo: Em tempos medievais essa literatura tratava amigo, como uma namorada. Então, se falava de uma mulher/amigo e seu sentimento sobre a saudade que sentia de seu amado.
  • Cantiga de Escárnio: Esses versos falavam sobre aspectos de pessoas importantes da sociedade, porém de forma implícita. Usava-se uma linguagem ambígua para retratar aspectos e comportamentos daquela sociedade.
  • Cantiga de Maldizer: Cantava-se em linguagem agressiva, uso de palavrões e sátiras diretas para falar de pessoas.

A literatura de Cordel como conhecemos hoje, só foi concretizada depois da mistura de cultura. Os europeus trouxeram alguns folhetos manuscritos para continuar suas maneiras de entreterem-se em terras brasileira. No final do séc. XIX a literatura medieval ganhou novas formas através da tipografia. A partir desse momento, a literatura de Cordel passou a ganhar o interesse da população e ser produzido com maior frequência.

Aconteceu também a diversificação das formas de produção, com o tempo a literatura ganhou argumentos noticiosos, a arte da xilogravura e se tornou tão popular a ponto de ser comercializado em mercados e feiras públicas, onde era pendurados e expostos em cordas. Daí o nome Cordel.

Como a literatura de Cordel chegou ao Brasil?

Apesar do peso histórico, artístico e cultural contido na literatura de Cordel, o interesse e cuidado por esse patrimônio intangível vem diminuindo. Além de não ser difundido pelo Brasil, passa a impressão de pouco ou nenhum interesse em algumas regiões e até mesmo no nordeste.

No Brasil, a literatura de Cordel tem impacto forte por vários motivos. Elencamos alguns deles:

  • Representação de como era a literatura no Período do Brasil Colonial;
  • Deu origem ao repente;
  • As bases do Rap nordestino tem raízes repentistas;
  • Representação da xilogravura, arte alocada às manifestações literária europeias.

Como já havíamos  mencionado, a Literatura de Cordel chegou ao Brasil pela mão dos portugueses. Ao chegar em território brasileiro foi se desenvolvendo de acordo com o resultado da mistura cultural.

Com passar do tempo a literatura de Cordel influenciou também a teledramaturgia e o cinema. Podemos perceber a influência do cordel na novela televisionada (1976), ou nas obra cinematográficas como: O Auto da Compadecida (Ariano Suassuna).

Na musicalidade brasileira, a literatura de cordel influenciou no modo de fazer canções de Lirinha (ex-vocalista do Cordel do Fogo Encantado), Alceu Valença e outros.

Essa maneira de fazer arte em forma de verso e abrindo a ela, múltiplas possibilidades como: cantar poesia, por exemplo. A literatura de cordel dá asas ao imaginário popular de uma maneira tão intensa que é possível que dele se extraia personagens belos e marcantes como o Pavão Misterioso, Chicó e João Grilo e muitos outros.

Conheça a estrutura e aprenda a fazer os seus versos de cordel

Para aprender a realizar os versos de Cordel é necessário saber que ele pode ser composto por estrofes de 6 versos, outros de 8, outros até de 10. Com relação às rimas, também existem diferenças, pois os versos rimam na última palavra. Veja esse exemplo de um dos mais famosos cordéis.

(Pavão Misterioso) 

Eu vou contar uma história
De um pavão misterioso
Que levantou vôo na Grécia
Com um rapaz corajoso
Raptando uma condessa
Filha de um conde orgulhoso.

2
Residia na Turquia
Um viúvo capitalista
Pai de dois filhos solteiros
O mais velho João Batista
Então o filho mais novo
Se chamava Evangelista.

Todos os versos desse cordel podem ser encontrados na Biblioteca Virtual da Universidade Estadual da Paraíba, onde existe o maior acervo de Cordeis da América Latina. E sobre isso que se trata o nosso próximo tópico, acompanhe.

Saiba onde encontrar a literatura de cordel online

A biblioteca da Universidade estadual da Paraíba (UEPB), conhecida como Biblioteca Atila Almeida, possui em seu acervo obras raras, e dentro deste universo rico em literatura possui mais de 18.000 exemplares de cordéis de títulos variados.

Com o intuito de expandir as possibilidades de pesquisas e estudos sobre a literatura de Cordel, a cada ano a UEPB aumenta seu acervo.

A biblioteca é detentora do maior acervo de cordel da América Latina.

Recapitulando o conteúdo

Recapitulando a nossa prosa, hoje abordamos um tema muito interessante sobre a literatura de cordel.

Agora você já sabe que esta é uma arte típica, que prevalece até os dias atuais, mais assiduamente, no nordeste do Brasil. Essa arte deu origem ao repente.

Esse tipo de literatura surgiu na Europa e chegou até o Brasil por intermédio dos portugueses. Enquanto, arte exclusivamente européia, ou seja, antes de atravessar continentes e chegar até o Brasil, a literatura de cordel surgiu em meio aos trovadores que faziam canções rimadas, de amor, comédia e drama... Ao chegar em nosso território essa arte ganhou o gosto popular dos brasileiros e se diversificou de acordo com a nossa realidade.

Conforme mencionamos no tópico anterior, a estrutura de literatura de cordel tem suas particularidades, de rima, de estrofes e etc.

E por fim, apresentamos a biblioteca da Universidade estadual da Paraíba, que desde 2010 é considerado o maior acervo de literatura de Cordel da América Latina. E desde 2011 o acervo da UEPB está sendo digitalizado para difundir o acesso e preservar o acervo físico.

Se você gosta de literatura de cordel, aproveite este conteúdo e deixe uma pequena estrofe feita por você em nossos comentários, sobre o que achou do conteúdo.

Compartilhe conhecimento.

Até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2017 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo