Você está aqui:Home » Dicas » Intercâmbio » GRE e GMAT: qual devo escolher?

GRE e GMAT: qual devo escolher?

Olá, leitor!

Se você está planejando fazer uma pós-graduação no exterior, pensando em fazer um MBA em negócios ou direito – ou apenas explorando suas opções – você está dando um importante passo em direção ao seu futuro.

É uma estratégia optar por fazer os exames para mostrar às escolas o seu melhor desempenho e com o GRE e GMAT você pode destacar seus pontos fortes, simular e fazer os testes até conseguir a pontuação mínima antes de fazer a aplicação na universidade!

Os testes GRE e GMAT são aceitos em centenas de instituições e universidades do mundo de pós-graduação, incluindo principalmente cursos de administração, negócios e direito, mas há também departamentos e divisões dentro das áreas de matemática, química e biologia.

Se você sonha em fazer uma pós-graduação em Harvard, Stanford, MIT (Massachusetts Institute of Technology), Johns Hopkins ou em outra renomada universidade no exterior esta pode ser sua oportunidade. Confira!

O que é GRE? O que é GMAT?

GRE e GMAT

Fonte: Shutterstock

São exames padronizados utilizadas por universidades do mundo inteiro, é uma forma de avaliar de maneira equivalente os vários candidatos oriundos de vários lugares e formações.

É importante ressaltar que estes exames padronizados são para ingresso em cursos de pós-graduação em universidades e instituições de ensino superior.

Mas nem todas as universidades estrangeiras exigem o GRE e GMAT, algumas delas inclusive, optam por recomendar o teste, outras têm outros métodos de aplicação e seleção dos candidatos pelo histórico acadêmico e diversos critérios específicos.

As universidades e instituições que exigem o GMAT são geralmente aquelas que oferecem cursos de MBA ou na área de negócios, já as que exigem o GRE são cursos tanto da área de negócios quanto outras áreas em geral, e não especificamente da área de gestão e administração.

Ambos os testes são padronizados, tanto o GRE quanto o GMAT exigem dos candidatos muito mais habilidades de interpretação, raciocínio e questões de matemática, bem como conhecimento específico.

Teste GRE

O GRE (Graduate Records Examinations) é um teste de aptidão padronizado que é aceito para admissão em várias faculdades de graduação e negócios em todo o mundo através de disciplinas.

O GRE é conduzido pelo Educational Testing Service (ETS), uma organização com sede nos EUA.

Todos os estudantes candidatos aos cursos de pós-graduação (mestrado, doutorado ou pós-doutorado e de MBA) em todo o mundo, podem optar pelo GRE se exigido pela faculdade/universidade selecionada.

Além do teste geral GRE (GRE general test), há também 6 testes que avaliam o conhecimento dos candidatos em seus respectivos assuntos específicos.

O teste específico (GRE Subject Test) mede o conhecimento dos candidatos em áreas, como Biologia, Química, Literatura em Inglês, Matemática, Física e Psicologia.

A maioria das faculdades exige a pontuação do GRE geral; algumas pedem as pontuações do GRE geral e o GRE de assuntos específicos também.

O teste GRE geral abrange 3 partes principais – Redação ou Escrita Analítica, Raciocínio Verbal e Raciocínio Quantitativo. Veja mais detalhes de como é o exame GRE logo abaixo.

Muitas universidades exigem ou recomendam o teste GRE como forma padronizada com conteúdos comuns para avaliar os candidatos advindos de diferentes origens educacionais e culturais, candidatos inclusive do exterior.

As pontuações do exame GRE são usadas pelas instituições nos processos seletivos para pós-graduação junto com a apresentação de documentos como as cartas de recomendação e outros pré-requisitos de qualificação.

Teste GRE no Brasil e no mundo

O GRE geral (General Test) está disponível em mais de mil centros de teste em mais de 160 países. Na maioria das regiões do mundo, o teste entregue por computador está disponível ao longo do ano inteiro.

Em diferentes áreas do mundo, onde os testes entregues por computador não estão disponíveis, o teste tradicional de papel está disponível até 3 vezes por ano em outubro, novembro e fevereiro.

Instituições de Ensino que aceitam o teste GRE

Acesse o site do Educational Testing Service (ETS) para conferir as universidades que aceitam o teste GRE.

Como é a prova GRE

O GRE General Test apresenta tipos de perguntas que refletem o tipo de pensamento que você fará na graduação ou na faculdade de administração, a pontuação chega a 170, e se você escolher um curso de pós-graduação numa universidade concorrida recomenda-se que pontue pelo menos 160.

O tempo total de teste é de 2 horas e 50 minutos e não há partes separadas por tempo, como o GRE geral.

A pontuação do teste GRE é válida por 5 anos. O candidato pode solicitar uma nova pontuação até 3 meses após a data do teste.

O GRE específico (Subject Test) é realizado 3 vezes ao ano em todo o mundo, nos meses de abril, setembro e outubro.

A taxa de inscrição do Teste Geral GRE para os estudantes brasileiros é de U$250,00. Para reagendar o exame ou mudar o local para fazer o teste presencial, é necessário pagar uma quantia adicional.

Por outro lado, o custo da taxa do GRE específico por assunto (Subject Test) é de US$150 em todo o mundo.

Como é a prova de GRE geral

Raciocínio verbal (Verbal Reasoning)

São 20 questões dividas em duas partes, com tempo de 30 minutos para realizar cada uma.

Esta parte da prova mede a capacidade de analisar e extrair conclusões do discurso e dos textos a partir de dados incompletos, compreender múltiplos níveis de significado, como a intenção literal, figurativa e do autor.

Além disso, a prova exige que o aluno realize resumos de textos, distingua pontos principais, compreenda os significados das palavras, frases e textos inteiros, e entenda as relações entre palavras e conceitos.

Há uma ênfase em habilidades complexas de interpretação de texto.

Raciocínio quantitativo (Quantitative Reasoning)

São 20 questões dividas em duas partes, com tempo de 30 minutos para realizar cada uma.

Esta seção do teste padronizado irá medir a capacidade de compreender, interpretar e analisar informações quantitativas, resolver problemas usando princípios de matemática e aplicar os conceitos básicos de aritmética, álgebra, geometria e análise de dados.

Há uma ênfase nas habilidades de raciocínio lógico.

Redação analítica (Writing analytical)

O candidato tem o tempo de 30 minutos para análise de problema e 30 minutos para análise de argumentos.

A pontuação da redação vai de 0 a 6, com incrementos de meio ponto.

Esta parte do exame GRE irá medir sua capacidade de pensamento crítico e as habilidades de redação analítica, incluindo a capacidade de articular e apoiar ideias complexas com motivos e exemplos relevantes, e examinar as alegações e as evidências que a acompanham.

Há uma ênfase nas habilidades de escrita analítica. Embora um erro de ortografia simples ou um erro gramatical não afetem muito sua pontuação, erros sérios e persistentes diminuirão o desempenho geral da sua escrita, bem como sua pontuação na redação.

Parte experimental

O teste GRE apresenta no final uma parte da prova de análise verbal ou de matemática completando a avaliação, o total da prova é 170 pontos em cada uma das seções.

Como se preparar para o exame GRE

Os estudantes podem se preparar para o GRE geral usando materiais gratuitos disponíveis no site oficial do GRE.

O site disponibiliza um software para simulados de GRE, os estudantes podem treinar como se estivessem fazendo o teste real, o sistema simula o teste GRE com opção da tela ser muito similar ao que irá encontrar na prova, é possível ir e voltar entre perguntas, editar e corrigir respostas dentro de uma parte da prova e usar uma calculadora na tela.

Além de simular os testes o estudante pode acessar perguntas com exemplos e amostras da prova.

O software disponibilizado no site oficial do GRE ainda oferece uma revisão gratuita de matemática e materiais oficiais de preparação para testes pagos que podem ser usados pelos candidatos para se prepararem para o teste real.

Dicas de como estudar para o GRE

Além de utilizar os materiais e o software do site oficial do GRE, você pode estudar com outros materiais, algumas dicas para preparar seu cronograma de estudos:

Dica 1

Leia muito e invista na habilidade de interpretação de texto. Praticamente metade da prova GRE exige que você leia trechos e responda a questões sobre esses textos.

A outra metade da prova GRE vai exigir que você leia, interprete e complete frases existentes, grupos de frases ou parágrafos.

Dica 2

Faça muitas questões de Raciocínio Lógico e de matemática que simulam situações da vida real. A maioria das questões irá exigir que você interprete o texto e utilize seus conhecimentos de matemática.

Faça exercícios para simular o exame GRE com questões de operações aritméticas, questões de álgebra, questões de geometria e questões de análise estatística de dados com gráficos e tabelas.

Dica 3

Treine escrevendo muitas redações dissertativas para treinar a análise de problemas e análise de argumentos. Desenvolva bem sua habilidade de articular e apoiar ideias complexas, escrever e opinar com argumentos, fazer um texto que sustente uma discussão focada e coerente com diversos temas atuais de redação dissertativa argumentativa.

O teste GRE exige que você escreva duas respostas, uma para analisar um problema e outra para analisar um argumento.

Quando você treina para fazer uma redação com manchetes e notícias de jornais, por exemplo, você utiliza estas habilidades. Por isso é uma ótima estratégia escrever textos argumentativos para estudar para o exame.

Na prova GRE você irá avaliar o problema proposto, considerar suas complexidades e desenvolver um argumento com razões e exemplos para apoiar seus pontos de vista de acordo com a instrução da prova (concordando ou discordando).

Na prova GRE você terá também, que avaliar o argumento apresentado por outra pessoa e escrever se aquele argumento é coerente e se foi bem fundamentado.

Teste GMAT

O GMAT (Graduate Management Admission Test) é um exame padronizado usado como requisito para admissão na maioria dos principais cursos de MBAs e também para programas de mestrado especializados e, frequentemente, para solicitações de bolsas de estudo.

É reconhecido por mais de 5 mil cursos nas áreas de negócios e de gestão em todo o mundo.

Apesar de ser um teste muito utilizado em processos seletivos para pós-graduações na área administrativa ou de negócios, o GMAT foca a avaliação para medir habilidades verbais, matemáticas, de raciocínio lógico e de redação analítica, assim como o GRE.

O candidato pode fazer a avaliação GMAT durante todo o ano em mais de 600 centros de teste convenientemente localizados, acesse o site oficial do GMAC para conferir os locais.

A pontuação total do teste é 800, e as pontuações exigidas pelas universidades e cursos de negócios para admissão aos programas de mestrado ou MBA geralmente variam entre 500 e 650, mas as pontuações médias dos alunos admitidos são maiores e podem chegar a cerca de 700 nos principais programas de MBA em universidades mais seletivas.

Instituições de Ensino que aceitam o GMAT

Acesse o site do Graduate Management Admission Council (GMAC), instituto proprietário do GMAT, para conferir quais universidades exigem ou recomendam o teste, e também conferir como se preparar para o GMAT.

Como é a prova GMAT

O GMAT pode ser feito por computador em inglês. A prova é dividida em 4 partes: Avaliação de Redação Analítica, Raciocínio Integrado, a seção Quantitativa e a seção Verbal.

O candidato tem até 3 horas e 7 minutos para realizar todas as seções da prova GMAT, podendo chegar a 4 horas se preferir fazer intervalos.

Os candidatos podem escolher a ordem das 4 seções do exame. Por exemplo, podem começar com a redação (como no formato “tradicional” GMAT), depois fazer a seção Verbal e as demais.

Redação analítica

Na sessão de Redação Analítica o candidato tem 30 minutos para escrever uma redação do tipo dissertativa argumentativa e utilizar suas habilidades de pensamento crítico e comunicação sobre um tema. A pontuação vai de 0 a 6 com incrementos de meio dígito.

Raciocínio Integrado

Esta parte da prova dura 30 minutos. São 12 questões de múltipla escolha com interpretação e raciocínio lógico, interpretação e análise de dados em gráficos e tabelas. A pontuação vai de 0 a 8 com incrementos de meio dígito.

Quantitativa

São 31 questões para resolução de problemas que irão avaliar as habilidades matemáticas do candidato, que tem 62 minutos para completar esta seção. A pontuação da seção quantitativa vai de 0 a 60.

Verbal

Além de avaliar conhecimentos gramaticais, esta seção do teste avalia principalmente as habilidades de interpretação e compreensão de textos. São 36 questões para serem respondidas em 65 minutos. A pontuação da seção Verbal vai de 0 a 60.

Como se preparar para o GMAT

É recomendável que você siga as mesmas dicas fornecidas anteriormente para a preparação para o GRE.

Além de estudar os conteúdos relacionados à gestão e negócios, dê muita ênfase em aprimorar as habilidades requeridas pelos testes.

Sendo assim, elabore um cronograma de estudos em que você possa desenvolver as habilidades de raciocínio e interpretação que o ajudarão a atingir a pontuação acima de 700 pontos no GMAT.

Se você focar seus estudos para GMAT apenas em conteúdos das disciplinas de negócios sem treinar estas habilidades irá comprometer o resultado, podendo chegar até 550, pontuação considerada mediana, que irá limitar suas chances de admissão em MBAs de alto nível em instituições seletivas como Harvard, cuja pontuação média dos candidatos selecionados é 723.

GRE ou GMAT, qual escolher?

Se o programa de pós-graduação no exterior, principalmente o que está interessado em cursar, realmente pode exigir um exame padronizado (GRE ou GMAT), então você como candidato precisa se preparar estudando as disciplinas específicas do edital para fazer o teste.

É interessante que algumas instituições e universidades apenas recomendam o teste. Se você escolher fazer um teste GRE e/ou GMAT para uma matéria relevante para o mercado de trabalho, e que pode ser utilizado em vários programas de pós-graduação que recomendam o teste, será uma vantagem.

Desde que tenha tempo suficiente para fazer também os outros exames que a instituição possa exigir, como os exames de proficiência em inglês.

Uma vantagem, por exemplo, do teste GRE (General Test), é sobre a prova realizada pelo computador pela plataforma do ETS, você decide quais pontuações enviar para as instituições de ensino.

Então se você faz um teste e acredita que não fez o seu melhor naquele momento, você pode refazer depois de um período e enviar apenas as pontuações que você deseja que as universidades vejam.

Na prova pelo computador do teste GRE (General Test) você pode pular perguntas dentro de uma seção da prova, voltar e alterar respostas fazendo a edição, desde que consiga organizar e respeitar seu tempo.

Opções que não existem para exames tradicionais de admissão feitos presencialmente e por papel, em que você terá apenas um caderno de rascunho e uma folha de respostas definitivas.

Verifique sempre a exigência da universidade e curso de pós-graduação que você pretende ingressar. Se a universidade deixar livre a opção entre GRE e GMAT, opte pelo teste que você se adaptar mais.

Tanto o GRE quanto o GMAT tem a vantagem de repetir a prova até conseguir a pontuação mínima que será necessária numa universidade que tem interesse e é exigente.

Na prova GMAT você pode escolher a ordem das 4 seções, isso pode ser uma vantagem para os candidatos que ficam bloqueados nas questões lógicas ou nas questões de interpretação de texto, podendo deixar estas seções por último, ou até mesmo fazendo estas partes primeiro que achar que irá melhorar suas pontuações iniciando o teste com a mente mais descansada.

Por isso é importante que faça simulados para treinar e se familiarizar com o modelo da prova, fazendo o teste (GRE ou GMAT) em condições que seria aplicado na realidade para então, verificar não só a pontuação mínima que consegue atingir, mas também sua adaptação.

Agora se você pretende se inscrever em um programa de pós-graduação pouco competitivo e que não exige ou não recomenda nem GRE e nem o GMAT, optar fazer o teste padronizado seria dedicar muito tempo de estudo sem ter uma vantagem de pontuação para o seu ingresso, você gastaria muito tempo se preparando para obter uma pontuação que não será usada.

Geralmente estes cursos de graduação no exterior que não pedem GRE e GMAT vão exigir pelo menos algum teste de proficiência na língua em que o curso é ministrado, além da análise do histórico escolar, redação, currículos e cartas de recomendação.

É interessante que planeje sua carreira para que prepare os recursos conforme os seus objetivos, se você pretende fazer uma pós-graduação no exterior é relevante aprender a gerenciar seu tempo e criar um cronograma de preparação com foco para aprimorar tanto o idioma, quanto as demais disciplinas.

Para decidir entre GRE e GMAT o primeiro passo é refletir e planejar seus objetivos de estudo no exterior, avaliar as universidades e cursos do seu interesse, a reputação de cada uma das instituições, os custos de viagem e mudança, se há possibilidade de bolsas de estudos no exterior e como irá se preparar financeiramente.

Quando você planeja sua carreira pesquisando sobre as universidades no exterior é importante verificar o que elas consideram, além dos requisitos básicos de documentos para ingresso nas pós-graduações.

De acordo com pesquisas da GMAC, os candidatos selecionados por universidades através do teste GMAT, dedicaram pelo menos 100 horas de preparação no exame.

Esse tempo geralmente é dividido entre preparação com algum curso, estudos pela internet e também a experiência prática adquirida durante graduação e trabalho.

Um estudo feito pela instituição Kaplan Test Prep mostrou que 85% das 204 instituições pesquisadas nos EUA, deixam a escolha entre GMAT ou o GRE ser feita pelo candidato durante o processo de inscrição e aplicação.

Outra informação desta pesquisa é que 78% destas universidades consideram que ambos os testes padronizados são equivalentes para avaliar um candidato a um curso de MBA.

Já 18% das universidades que responderam a pesquisa preferem o GMAT.

Seguindo estas dicas você poderá avaliar qual teste padronizado (GMAT ou GRE) irá ser a chave para sua pós-graduação no exterior.

Até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo