Você está aqui:Home » Concursos & Empregos » Concursos » Entenda como funciona um concurso público afinal

Entenda como funciona um concurso público afinal

Olá, leitor!

Ser aprovado em um concurso público é o sonho de muitos trabalhadores. Entre todas as vantagens apresentadas pelos cargos públicos, a que mais costuma a chamar a atenção é a estabilidade.

Em busca de uma carreira mais estruturada, milhares de pessoas pensam em, um dia, passar em um concurso público. No entanto, esse é um tema que gera muitas dúvidas nos candidatos, em especial naqueles que nunca participaram de nenhuma prova antes.

Ouve-se muito sobre a estabilidade dos cargos públicos e dos bons salários. Mas como, afinal, funciona um concurso público? Se você pretende fazer uma prova, além de estudar muito, também precisa entender quais são os seus direitos e deveres.

Além disso, saber o que esperar do funcionamento do processo pode ajudar a diminuir a ansiedade, evitar erros e problemas.

Quer dicas para estudar para a prova do concurso público de maneira mais eficiente? Leia também esse outro artigo aqui no Canal do Ensino.

A seguir, você encontra tudo o que precisa saber sobre como funciona o concurso público. Abordaremos desde o edital, as provas e a banca até o funcionamento da estabilidade. Continue lendo e confira!

Cargo público: quais são as vantagens?

como funciona o concurso público

Fonte: Canal do Ensino

A maioria das pessoas conhece a maior das vantagens dos cargos públicos: a estabilidade. No entanto, existem outras vantagens que também atraem muitos concurseiros.

Veja por que concorrer a um cargo público pode ser vantajoso para você:

  • Salários maiores do que a média de mercado: para os cargos públicos, a remuneração é normalmente maior quando comparada com o mesmo tipo de cargo no setor privado;
  • Licenças especiais: servidores públicos possuem direito a 3 meses ao atingir 5 anos de trabalho. Além disso, podem tirar licenças para fazer cursos de aprimoramento, graduações ou pós-graduações;
  • Jornada de trabalho reduzida: a jornada dos cargos públicos é de 6h diárias, e não 8h como se encontra de maneira padrão no setor privado;
  • Aposentadoria integral: dependendo do tempo de trabalho, o servidor público poderá se aposentar recebendo seu salário integral. Os aposentados também podem prestar novo concurso e retornar para o setor público sem deixar de receber o benefício.

Além dessas vantagens, é claro, o servidor público não pode ser demitido sem justa causa. A estabilidade, no entanto, tem algumas regras específicas que abordaremos mais adiante nesse artigo.

Como funciona o concurso público?

Agora que você já conhece as características que tornam os cargos públicos tão populares, é hora de entender como funciona o concurso público.

Como você já deve saber, a admissão é realizada por meio de uma prova padronizada. Os candidatos com as melhores colocações são chamados para as vagas.

Para explicar melhor como funciona o concurso público, vamos abordar um tópico por vez:

Entendendo o edital

A primeira parte que você precisa entender sobre o funcionamento do concurso público é o edital. Sempre que uma quantidade de vagas for aberta, será lançado um edital.

É um documento que detalha as características da função, as datas limites para inscrição, valores envolvidos no processo e como será realizada a prova.

É importantíssimo que você leia esse documento com atenção. Confira a estrutura básica dos editais:

  1. Disposições preliminares: contém informações sobre a banca organizadora, o regime jurídico dos cargos oferecidos, o local das vagas e outras informações básicas;
  2. Informações sobre as vagas: lista dos cargos disponibilizados, exigências para se candidatar e descrição das habilidades esperadas e funções exercidas;
  3. Informações sobre a inscrição: descrição das datas, limites de tempo e etapas do concurso;
  4. Informações sobre a prova: critérios de avaliação da banca organizadora, conteúdo cobrado na prova.

É importantíssimo conferir se você está lendo o edital mais recente disponível, além de acompanhar as publicações sobre a vaga até a data da prova. Isso porque é muito comum que publiquem-se editais atualizados ou corrigidos.

É interessante ressaltar que as exigências para a candidatura e as instruções para inscrição devem ser seguidas à risca. O não cumprimento de apenas uma das exigências poderá acarretar em desclassificação.

O que são as bancas?

As bancas examinadoras são as responsáveis por preparar as perguntas da prova e averiguar as respostas dos candidatos. É importantíssimo saber bastante sobre a banca responsável pela prova que você vai prestar.

Cada uma delas possui um estilo único para escrever a avaliar as perguntas, então essa informação pode te ajudar muito na hora de estudar.

As perguntas da língua portuguesa, por exemplo, costumam a ser muito diferentes dependendo da banca. Veja esse outro artigo para entender melhor.

Conhecer a banca também é uma forma de adequar o estilo das suas respostas, já que enquanto algumas preferem respostas diretas e objetivas, outras preferem que o candidato elabore mais os textos.

Então, confira sempre as informações sobre a banca no edital e não deixe de pesquisá-la na internet para ir fazer a prova o mais preparado possível.

O quão grande a concorrência realmente é?

As notícias sobre milhões de pessoas inscritas em determinados concursos ou de relações de 300 candidatos por vaga podem assustar, e muito, novos candidatos.

E apesar da aprovação em concursos públicos necessitar mesmo de muito estudo e dedicação, o cenário real pode não ser tão desanimador assim.

Isso porque, a grande maioria desses candidatos acabam barrados nas primeiras fases, antes mesmo da prova. Nos tópicos anteriores, falamos sobre os requisitos para os cargos. Muitos candidatos acabam reprovados imediatamente por isso. Vamos ver um exemplo:

Concurso de Agente Polícia Federal (2012)

Segundo dados do site da banca organizadora do concurso, o certame realizado em 2012 contou com a participação de 107.859 candidatos disputando 500 vagas. A concorrência, então, seria de 215,6 candidatos por vaga.

A primeira vista, isso pode parecer muito assustador. No entanto, após os exames físicos, médicos e psicológicos, restaram menos de 800 candidatos para realização da segunda fase. (Nesse caso, um curso de formação profissional)

Este número significa que a concorrência real foi menor do que 2 candidatos por vaga.

Além disso, as taxas de abstenção também costumam ser bem altas. Por exemplo, de cerca de 68 mil inscritos no último concurso da Receita Federal, realizado em 2014, fizeram a prova apenas 32 mil candidatos.

Apenas 804 candidatos atingiram o desempenho mínimo necessário, sendo todos os outros imediatamente desclassificados.

Por isso, é importantíssimo se certificar de que você se enquadra nas exigências do cargo especificadas no edital. E, claro, estudar muito e não desistir!

Quanto é preciso acertar para passar?

Essa é uma dúvida muito comum entre aqueles que estão se preparando para o concurso público. O ideal é que você se dedique a estudar os conteúdos exigidos sem se preocupar com uma porcentagem específica.

Pensar demais em quantas perguntas você precisa acertar pode acabar te desconcentrando do que realmente importa.

Dito isso, a maioria dos editais trará qual é a nota de desempenho mínimo para corte. Além disso, vale trazer a informação de que as médias para aprovação nas provas de concurso públicos variam de 75% a 85% de acertos na prova.

O que fazer quando for aprovado?

Se classificar dentro do número de vagas, ao contrário do que muitos pensam, não garante a convocação imediata. Os concursos públicos possuem um prazo de validade, que é normalmente de 2 anos, podendo ser prorrogado por esse mesmo período.

O órgão contratante poderá convocar os candidatos aprovados a qualquer momento dentro do período estipulado. Novamente, você pode encontrar essa informação no edital.

Mas lembre-se: você terá direito de assumir o cargo dentro desse prazo.

Caso você seja reprovado, não se desespere e nem desista! Leia esse outro post para saber como lidar melhor com essa situação.

Como funciona a estabilidade?

A estabilidade é um dos principais atrativos do cargo público. No entanto, é importante saber como ela funciona para não ser pego despreparado. Confira quais são as premissas para ter direito a esse benefício:

  • Aprovação em concurso público;
  • Nomeação para o cargo de provimento efetivo;
  • Execução das funções pelo prazo de três anos;
  • Acompanhamento de avaliação de desempenho.

Ou seja, o servidor público só tem direito à estabilidade após cumprir o estágio probatório, que normalmente dura 3 anos. Nesse período, ele receberá avaliações de desempenho, a fim de provar que está apto para exercer as funções propostas.

O servidor com estabilidade ainda pode ser demitido por justa causa. Veja as situações onde pode haver desligamento:

  1. Sentença judicial transitada em julgado;
  2. Processo administrativo;
  3. Reprovação em avaliação de desempenho;
  4. Excesso de despesa com pagamento de pessoal.

Conclusão

Entender como funciona o concurso público é o primeiro passo para alcançar a meta do cargo público! É preciso prestar muita atenção no edital e se preparar para cada uma das etapas do processo.

Munido de informação, dedicação e persistência, certamente você também pode conquistar esse sonho. Por isso, fique de olho nas notícias, sempre procure editais atualizados e estude bastante!

Com uma rotina de estudos organizada, pausas para recarregar as baterias e preparo, você pode conseguir!

Quer mais dicas para passar em concursos públicos? Leia também esses outros posts do Canal do Ensino:

E você, tem alguma dúvida sobre como funciona o concurso público? Deixe sua pergunta nos comentários!

Até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo