Você está aqui:Home » Cursos Grátis » Vestibular e Enem » Vestibular: Entenda a Segunda Guerra Mundial

Vestibular: Entenda a Segunda Guerra Mundial

Olá, leitor!

Vamos rever a nossa história?

Síntese da 2ª Guerra Mundial

A Segunda Guerra Mundial ocorreu entre 1939 e 1945. Entende-se como o maior conflito militar global, pois envolveu vários países, sobretudo os mais armados e industrializados, e deixou milhões de mortos. Também é conhecida pela separação das nações em dois grupos: Aliados (Inglaterra, Estados Unidos, França e URSS) e Eixo (Alemanha, Japão e Itália). Ainda, é referência de estudo sobre o Holocausto, genocídio provocado pelos alemães que massacrou milhares de judeus. Os motivos dessa guerra estão associados à corrida dos países por recursos materiais e territoriais, impulsionada inicialmente e principalmente pela Alemanha.

Vamos ao contexto!

Antecedentes: Cenário Mundial

Na Primeira Guerra Mundial (1914-1918), grandes países hegemônicos daquele período se enfrentaram, separando-se em Tríplice Aliança (Alemanha, Áustria-Hungria e Itália) e Tríplice Entente (Grã-Bretanha, França e Império Russo).

Em 1919, os países europeus assinaram o Tratado de Versalhes, um acordo de paz que formalizou o final da Primeira Guerra. Porém, o principal ponto do documento reconhecia a Alemanha como a única responsável pelas motivações do conflito. Os alemães foram penalizados com a perda das colônias e de alguns territórios, proibidos à militarização e obrigados a indenizar os países pelos prejuízos do confronto.

Contudo, em 1929, o mundo enfrenta a Grande Depressão. Foi uma grave crise financeira mundial ocasionada pela quebra da Bolsa de Valores de New York, nos Estados Unidos, a qual refletiu para os outros países. Essa recessão econômica durou até a Segunda Guerra Mundial, somando milhares de desempregados e empresas falidas.

Diante desse cenário, a Alemanha, saiu enfraquecida e ressentida da Primeira Guerra Mundial. Além disso, estava bastante fragilizada social e economicamente. Desse modo, a extrema direita chega fácil ao poder em 1933, chefiada pelo pensamento nazista e nacionalista de Adolf Hitler.

Mas qual foi a principal razão que levou à Segunda Guerra Mundial?

O estopim da Guerra

Hitler, líder do Partido Nazista, levou a ideia do expansionismo ao povo alemão, prometendo tornar o país a maior potência global. Desconsiderou o acordo de Versalhes e militarizou a Alemanha. Após, fez um pacto com a Itália e Japão. Os três países formaram o lado conhecido como ‘Eixo’, grupo que compartilhava ideais de investimento na produção bélica, como meio para diminuir o desemprego, e de avanços territoriais. Essas atitudes insinuavam outro conflito mundial. Porém, o estopim da Segunda Guerra ocorreu em 1939, quando Hitler invadiu a Polônia.

O governo nazista estava em uma empreitada territorial. Em 1937, os alemães ocuparam Renânia, região entre França e Alemanha que, segundo o Tratado de Versalhes, deveria manter-se desmilitarizada. Mais uma cláusula do acordo quebrada.

Em meio a uma tensão política e de ameaças da tomada do território polonês pelos alemães, surgiu o Pacto Germano-Soviético em 1939. O acordo firmado entre Alemanha e URSS (União da República Socialista Soviética) tinha o intuito de garantir a paz e a divisão da Polônia entre os dois países. Porém, naquele mesmo ano, Hitler invadiu as terras polonesas.

Inglaterra e França exigiram a retirada dos alemães da área, sobre ameaças de entrar em luta armada. A fim de frear as tentativas expansionistas da Alemanha, começou a Segunda Guerra Mundial.

Conheça as Alianças Militares da Segunda Guerra Mundial

O segundo conflito bélico contou com duas alianças, lideradas principalmente pelos seguintes países:

Aliados: Inglaterra, União da República Socialista Soviética (URSS), França e Estados Unidos – lutavam contra os integrantes do Eixo, com o intuito de paralisar as atitudes extremistas e de ambição territorial.

Eixo: Alemanha, Itália e Japão – compartilhavam ideias autoritárias, expansionistas e militares.

É importante ressaltar que outros países participaram do confronto, cada qual em um dos blocos, porém não se faziam protagonistas.

Entenda a Segunda Guerra Mundial

Fonte: Reprodução

Avanços dos Eixos

Vamos ver como se deram as empreitadas territoriais da Alemanha, Itália e Japão.

  • Blitzkrieg – “Ataque-relâmpago” Alemão

Técnica militar desenvolvida pela Alemanha, a fim de atacar rapidamente o adversário. Com o efeito surpresa, o inimigo não teria tempo para preparar a defesa. Foi a partir dessa tática que os alemães conseguiram tomar muitos territórios, como a Polônia.

  • Invasão da França

Em 1940, a Alemanha invadiu a França, utilizando-se da tática Blitzkrieg. Rapidamente, as tropas de Hitler entraram e tomaram, em poucos dias, o território francês. O conflito foi nomeado de Batalha da França.

Enquanto os alemães adentravam o país, o povo francês se deslocava em direção ao sul. Com a derrota, a França assinou em junho, daquele ano, o Armistício de Rethondes. Tratava-se de um acordo que declarava o cessar-fogo e a divisão do país em duas partes: no norte ficaram as tropas nazistas, enquanto no sul, lado não ocupado pela Alemanha, se encontravam os cidadãos sobre o Governo Francês de Vichy.

Além disso, esse pacto previa que a França enfraquecesse sua própria força armada e colaborasse na entrega dos judeus aos alemães.

  • Batalha da Inglaterra

Hitler estava quase com todo o controle da Europa nas mãos, porém faltava a Inglaterra, a qual resistia às tentativas de negociação alemã.

Em 1940, a Alemanha tentou derrotar a Royal Air Force (Força Aérea Britânica), a fim de tomar o controle aéreo e invadir as ilhas britânicas. Para tanto, resolveram destruir os aviões e demais recursos de defesa do adversário. O ataque aconteceu, predominantemente, nos céus do território inglês e o plano ficou conhecido como “Operação Leão Marinho”.

Porém, dessa vez os alemães foram derrotados. Apesar de possuir poucos militares, os britânicos contavam com um eficiente radar que detectava a aproximação de aviões, assim, evitaram as ‘visitas’ surpresas dos nazistas. Também detinham de aeronaves superiores às do inimigo. Dessa forma, os ingleses conseguiram ter agilidade para atacar os alemães e assegurar o domínio aéreo.

Frente ao fracasso, as tropas de Hitler adiaram o plano sobre o domínio da Inglaterra, e nunca mais a retomaram.

Na vitória contra os avanços de Hitler, Churchill, o primeiro-ministro do Reino Unido em 1940, disse: “Nunca tantos deveram a tão poucos” – ou seja, graças à bravura dos ingleses, o mundo veria a derrota final dos alemães.

  • Invasão da URSS

Em 1941, Alemanha rompe o acordo de não agressão por 10 anos com a União Soviética, firmado no Pacto Germano-Soviético de 1939. Cerca de 3,6 milhões de soldados nazistas entram com a “Operação Barbarossa”.

A URSS detinha de fontes materiais favoráveis às ambições nazistas, como ferro e petróleo, principalmente. Apesar de ter sido alertado sobre os planos de Hitler, Stalin desacreditou. Assim, em 1941 foi pego de surpresa pelas tropas alemãs, as quais tomaram rapidamente muitos territórios da União Soviética ocidental.

O inverno rigoroso e o tamanho do território da URSS fizeram com que os alemães paralisassem suas investidas, porém, algumas batalhas persistiram até 1945.

  • Ataque a Pearl Harbor

Esse conflito marca a entrada dos Estados Unidos na Guerra, país que até o momento se mostrava neutro.

Em 1941, o Japão atacou Pearl Harbor, base naval americana que se encontrava no Havaí. O intuito dos japoneses era conquistar as ilhas do Pacífico. Porém, os EUA, fortalecidos economicamente, conseguiram recuperar as perdas e declararam guerra aos japoneses.

Derrota do Eixo

  • Dia D

O Dia D, também conhecido como Operação Overlord, ocorreu em 06 de junho de 1944. É considerada a maior operação bélica, pois reuniu muitos países do grupo Aliados, dentre eles EUA, Grã-Bretanha e Canadá em Normandia, a fim de libertarem a França do domínio alemão.

Contando com mais de 300 mil soldados e muitos armamentos, os Aliados intensificaram os ataques contra os nazistas, desestabilizando a Alemanha para a vitória em 1945.

  • Derrota da Itália

Em 1943, Mussolini, primeiro-ministro italiano, foi preso por ordens do rei Victor Emanuel III. A Alemanha, em contrapartida, invadiu a Itália e resgatou Mussolini. O país, então, se dividiu em dois: no norte se concentrava os nazistas, enquanto no sul ficou o resto da população sobre a liderança da família real e do governo provisório de Badoglio.

Naquele período, os Aliados invadiram a Sicília, no sul da Itália, e exigiram a rendição do país integrante do Eixo. Badoglio, por sua vez, entrou em acordo com os Aliados e os deixaram seguir no território para derrotar os alemães.

Os Aliados, então, conseguiram controlar Roma e libertar a Itália. Essa operação ficou conhecida como Campanha da Itália, durou até 1945 e contou com a participação do exército brasileiro. A FEB (Força Expedicionária Brasileira) enviou, aproximadamente, 25 mil soldados para a ação.

  • Derrota Japonesa

Os japoneses detinham de uma tática de guerra intitulada Kamikazes. Eram pilotos enviados às missões suicidas, onde eram sacrificados no intuito de derrotar seus adversários. Muitos dos soldados eram jovens e algumas operações não atingiram seus alvos.

Em 1945, o último país do grupo do Eixo foi derrotado. Os militares japoneses estavam debilitados, sem recursos financeiros para continuarem no confronto. Naquele ano, os EUA enviaram bombas atômicas às cidades de Hiroshima e Nagasaki. O ataque matou mais de 250 mil pessoas e, até hoje, a população sofre com os efeitos nucleares.

Diante de tantas vidas perdidas e destruição, o Imperador Hirohito anunciou a rendição.

  • Avanço Soviético

Entre 1942 e 1943, ocorreu a Batalha de Stalingrado, onde os alemães travaram uma grande batalha contra os soviéticos, parte do conflito iniciado com a Operação Barbarossa.

Stalingrado, cidade cobiçada por Hitler, era um parque industrial importante para a URSS, pois continha petróleo e minério. Os nazistas atacaram o local, provocando a migração de grande parte da população.

Em contrapartida, os soviéticos resistiram e lutaram para manter o domínio sobre a cidade. Com a frase de Stalin “Nenhum passo para trás”, os soldados da URSS foram ameaçados de morte caso recuassem a seguir no confronto. Aproximadamente, 13 mil soldados foram executados por serem considerados traidores.

Finalmente, em 1943, os soviéticos conseguem expulsar os alemães de Stalingrado. A partir dessa série operação de Hitler contra a URSS, os soviéticos tomaram os alemães como alvos principais, invadindo Berlim em 1945.

  • Derrota da Alemanha

Como vingança aos ataques sofridos em território da URSS, soldados soviéticos partiram em luta contra os soldados de Hitler, tomando a cidade de Berlim, na Alemanha, em 1945. O cerco ficou conhecido como A Batalha de Berlim.

Hitler, por sua vez, ao ver as investidas dos soviéticos, se escondeu. E quando os adversários tomaram o parlamento, ele cometeu suicídio, levando a queda do movimento nazista. A Segunda Guerra havia terminado.

Naquele momento, a Alemanha seria ocupada e dividida pelos Aliados, especificamente EUA e URSS. Esse fato levaria o mundo, em 1947, para outro conflito: A Guerra Fria.

Obs.: Se você quer compreender melhor os motivos que levaram os países para a Segunda Guerra Mundial, leia sobre a Primeira Guerra Mundial. Isto porque os dois fatos se conectam.

Até logo e um ótimo estudo!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo