Você está aqui:Home » Dicas » Pais e Filhos » Discalculia: o que é afinal? Causas e tratamentos

Discalculia: o que é afinal? Causas e tratamentos

Olá, leitor!

A Discalculia é uma condição na vida de muitas crianças, que sempre pode ser confundida com falta de vontade do aluno em aprender ou até mesmo má qualidade de ensino escolar.

Por esse motivo, na maioria das vezes, o diagnóstico é tardio, o que acaba trazendo transtorno na vida da criança e dos familiares. A falta de compreensão dos pais e falta de conhecimento sobre esse assunto também pode agravar o desempenho escolar da criança que desenvolve a Discalculia, levando essa condição para a vida adulta.

Vamos explanar mais esse assunto e você irá compreender o que é a Discalculia, quais são os principais sintomas e como funciona o tratamento. Confira agora!

O que é Discalculia?

Discalculia

A Discalculia é uma disfunção neuropsicológica que se desenvolve em crianças em fase de desenvolvimento de aprendizado. Caracteriza-se pela dificuldade extrema em cálculos matemáticos considerados simples como de soma ou subtração.

A criança que apresenta essa dificuldade de aprendizagem, possui um certo bloqueio em lidar com números, montar cálculos matemáticos ou compreender qualquer conceito da matemática.

A Discalculia vem do grego Dis (que significa Mal) e do latim Calculare (que significa calculando). Não é, portanto, um comodismo do aluno, como é comumente confundido. A Discalculia é causada por uma má formação neurológica.

Se o diagnóstico for precoce, as chances são maiores de evitar problemas sociais da criança e levar essa dificuldade para a vida adulta. Existem tratamentos que podem amenizar os sintomas e auxiliar a criança a ter um desempenho escolar melhor.

Quais são os principais sintomas da Discalculia?

Primeiramente vale ressaltar que a Discalculia é classificada em 6 tipos. É importante ter em mente as distinções entre cada um deles para que se torne mais fácil o diagnóstico da disfunção.

Os tipos de Discalculia foram descobertos pelo Dr. Ladislav Kosc em 1974, o primeiro estudioso que se dedicou a tornar público os diferentes tipos de Discalculia. Vale ainda destacar, que os tipos podem surgir de maneira individual ou em conjunto. Veja abaixo uma relação:

  • Discalculia léxica: Dificuldades em ler e reconhecer os números e símbolos matemáticos.
  • Discalculia verbal: Dificuldade em nomear operações matemáticas, termos, símbolos, etc.
  • Discalculia gráfica: Dificuldade em escrever os símbolos, números ou operações matemáticas.
  • Discalculia operacional: Dificuldade em resolver operações matemáticas e cálculos, mesmo que sejam simples.
  • Discalculia practognóstica: Dificuldade em ordenar, manipular e colocar em prática os principais conceitos matemáticos. O aluno consegue compreender, mas não consegue tornar práticos os conceitos teóricos.
  • Discalculia ideognóstica: Dificuldade em memorizar cálculos e compreender conceitos teóricos da matemática. Também caracteriza-se na dificuldade em realizar cálculos mentais.

Sintomas gerais da Discalculia

Os sintomas da Discalculia surgem logo nos primeiros anos escolares da criança, quando é apresentada aos primeiros cálculos e conceitos matemáticos. Dessa maneira, é importante que os educadores estejam atentos aos comportamentos e sintomas das crianças.

A Discalculia é uma disfunção relacionada com a matemática, e comumente relacionada também com outras limitações como: Introspecção espacial, dificuldades com definições de tempo, memória fraca, problemas com ortografia e algumas vezes se relaciona com a Dislexia. Além desses, os seguintes sintomas também são observados de maneira geral:

  • Dificuldades em reconhecer sinais/Confunde sinais (+, -, ÷, x);
  • Algumas pessoas apresentam dificuldade em reconhecer lado esquerdo e direito;
  • Confunde os pontos cardeais (norte, sul, leste, oeste);
  • Inverter números durante a fala ou escrita;
  • Dificuldade em classificar objetos por formato ou tamanho em ordem crescente;
  • Não consegue memorizar nem colocar em prática qual número é maior;
  • Não consegue reconhecer os números que soam similares;
  • Facilidade com matérias que não exigem cálculos e fórmulas matemáticas;
  • Incapacidade de identificar horas em relógios analógicos;
  • Incapacidade de realizar planejamento financeiro e lidar com valores de compras do cotidiano;
  • Dificuldade em manter uma contagem simples;
  • Não consegue processar sequência/ordem/etapas.

Quais são as potenciais causas da Discalculia?

Ainda não foi possível diagnosticar as causas da Discalculia, porém os cientistas mantêm constantes observações e estudos sobre essa disfunção. As investigações e buscas por respostas chegaram às seguintes conclusões:

Causas neurológicas

A disfunção foi relacionada com lesões ao supra marginal e giros angulares na junção entre lóbulo temporal e pariental do córtex cerebral. Déficits de memória também foram associados à Discalculia.

Desordem congênita ou hereditária

Esse ponto também foi levantado como possível causa, já que foram observados casos comuns entre famílias.

Combinações de fatores

A combinação de disfunções cerebrais também pode ser uma causa do desenvolvimento da Discalculia. Na maioria das vezes, o paciente que desenvolve Dislexia, também apresenta a Discalculia.

Pseudo Discalculia

A Pseudo Discalculia caracteriza-se por apresentar os mesmos sintomas, porém são resultantes de abalos emocionais. Ou seja, a criança tem potencial para se desenvolver na disciplina de matemática, mas apresenta bloqueios emocionais. Por isso, é importante o acompanhamento com um profissional psicopedagógico.

Deve-se manter cautela no diagnóstico da disfunção ou de qualquer dificuldade de aprendizagem. É indicado, portanto, eliminar causas primárias de dificuldade de aprendizagem como:

  • Problemas com a visão;
  • Ensino inadequado para a idade da criança;
  • Problemas com audição e fala;
  • Doenças neurológicas ou psicológicas que afetam o QI.

Existe um possível tratamento para a Discalculia?

É importante que o tratamento seja consentido pela criança em união com a família, buscando auxílio de familiares, amigos e principalmente dos educadores. O aluno deverá ter uma grade escolar diferenciada e deverá receber um tratamento especial nas salas de aulas.

Parte do tratamento também deverá ser realizado com a ajuda de um profissional psicopedagogo. O profissional ajudará os professores a lidarem com o aluno de maneira correta, auxiliar na aplicação de atividades que estimulam os pontos de maior facilidade da criança e também a trabalhar a autoestima. Esses são pontos essenciais para obter um desempenho satisfatório no tratamento.

Mas em geral, trabalhar a disfunção da criança com a ajuda de jogos, tem se mostrado bastante eficaz no tratamento da Discalculia.

Jogos que estimulam e desenvolvem a habilidade motora, jogos de contagem e jogos que estimulam o desenvolvimento de estratégias são importantes para estimular a rede de conexões neurais responsáveis pela habilidade de compreender números. E ao estimular a inteligência lógico-matemática da criança, é possível controlar significativamente a Discalculia.

A criança poderá ter uma vida normal, quando adulta e poderá frequentar normalmente a escola de acordo com seu nível de desenvolvimento. Confira alguns tipos de jogos para ajudar a criança.

1 – Jogo dos cubos e garrafas pets

Esse jogo consiste em deixar a criança totalmente à vontade em uma sala. São dispostos à sua mesa, papel, giz de cera, lápis coloridos e lápis para escrever. Também são apresentados à criança cubos de diferentes tamanhos e cores; Garrafas pets de diferentes tamanhos e cores.

O jogo consiste em deixar que a criança aprenda como organizar os cubos e garrafas por ordem de tamanho. O jogo também é um exercício de vocalização de pequeno, grande e médio.

2 – Jogo de dominó

O dominó é um excelente jogo para estimular a percepção, memorização e noção de sequência da criança. O jogo consiste em ordenar as peças de acordo com as bolinhas marcadas em cada peça. É um tipo de jogo mais avançado, devendo portanto, ter mais atenção ao inserir esse tipo de jogo na nova rotina de aprendizado da criança.

3 – Botões matemáticos

O jogo consiste em apresentar à criança vários botões de diversas cores, tamanhos e em quantidades distintas de cada cor. É oferecido à criança um barbante, papel e caneta para que ela possa executar a atividade.

O jogo funciona da seguinte maneira: O educador deverá pedir para a criança separar 8 botões brancos, 5 botões amarelos e 2 botões vermelhos, por exemplo. A criança deverá começar a separar os botões por cor e utilizando o barbante para não se perder.

A finalidade desse jogo é desenvolver a compreensão de dúzias, dezena, coordenação motora e percepção espacial.

O diagnóstico psicopedagógico precoce é ainda a melhor forma de contribuir para uma qualidade de vida melhor para a criança que apresenta a Discalculia.

Como pudemos ver essa disfunção possui um tratamento e seguindo as orientações de um profissional, com o apoio de familiares, amigos e educadores, a criança pode superar a Discalculia.

Até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo