Você está aqui:Home » Dicas » Arte e Cultura » Descubra o que é Slam e como acompanhar os principais grupos e poetas

Descubra o que é Slam e como acompanhar os principais grupos e poetas

Olá, leitor(a)!  

O poeta e produtor cultural Sérgio Vaz, um dos principais representantes da denominada literatura periférica, escreveu: “revolucionário é todo aquele que quer mudar o mundo e tem coragem de começar por si mesmo”. Essa máxima tem inspirado pessoas de origem humilde, cuja falta de educação formal as fez duvidar de suas capacidades, a expressarem suas ideias e criarem poesias. 

Assim, surgem cada vez mais artistas brasileiros(as) que usam a palavra como munição para conquistarem novos espaços literários e reivindicarem representatividade em ambientes elitizados. O Slam é um dos movimentos que recebem esse público, que faz das letras um meio de disputa narrativa. Por isso, nós falaremos um pouco sobre como ele se constituiu e seus principais grupos e poetas.  

História e repercussão do Slam 

O Slam é uma onomatopeia — figura de linguagem que busca reproduzir sons com palavras — de língua inglesa que remete ao barulho de objetos em colisão. A expressão passou a ser utilizada para descrever batalhas de poesias realizadas no início da década de 1980, na cidade de Chicago, em Illinois, EUA.  

Esses campeonatos, também referenciados como poetry slam ou spoken word (em português “poesia falada”), reuniam pessoas para disputarem entre si a partir da criação e declamação de textos poéticos. O movimento tem origem periférica, bastante similar ao rap, e surgiu com o intuito de nivelar a produção artística-literária e torná-la diversa e acessível.  

Com o passar do tempo, o Slam alcançou públicos e competidores(as) em todo o mundo e, atualmente, ocorre nos âmbitos municipal, estadual, nacional e mundial. No Brasil, ele só ganhou popularidade em 2008, por meio da atriz e poeta Roberta Estrela D’Alva — que, inclusive, ficou em 3º lugar na Copa do Mundo de Poesia Falada de 2011, em Paris, na França.

Normalmente, os eventos acontecem em ruas, praças ou centros culturais e possuem as seguintes regras de participação: as poesias devem ser autorais; com duração de até 3 minutos; e os(as) artistas não podem usar objetos, figurino ou cenário. O júri é escolhido aleatoriamente, priorizando-se sempre pessoas que nunca estiveram nesses torneios, e pode dar notas de 0 a 10.  

Apesar de os(as) poetas abordarem várias temáticas, as sociais são mais exploradas. Dessa forma, assuntos como desigualdade social, racismo, violência e feminismo ganham recorrentemente contorno e letras afiadas. A plateia se manifesta com entusiasmo, usando expressões como “Pá” ou “Pow”, que curiosamente seriam as onomatopeias em língua portuguesa para Slam. Selecionamos os 3 principais campeonatos para você conhecer:  

Slam da Guilhermina

Ativo desde 2012, o Slam da Guilhermina é realizado mensalmente na zona leste de São Paulo, próximo ao Metrô Guilhermina-Esperança. Sendo um dos mais famosos e frequentados do país, o campeonato tem como organizadores Uilian Chapéu, Cristina Assunção, Rodrigo Motta e Emerson Alcalde (poeta vice-campeão do mundo na competição de 2014). Para mais informações sobre a competição realizada pelo coletivo, clique aqui. 

Slam BR

O Slam BR reúne poetas de todo o Brasil, a partir do resultado dos slams estaduais. A cerimônia, que costuma ser realizada em São Paulo, tem como organizadora e slammaster (pessoa responsável por conduzir as batalhas) Roberta Estrela D’Alva. Durante o isolamento social, devido à pandemia de Covid-19, as disputas foram adaptadas para o formato on-line. Para mais informações, clique aqui. 

Campeonato Mundial de Poesia Falada

Por fim, e parte da hierarquia das batalhas poéticas, o Campeonato Mundial de Poesia Falada, em inglês World Poetry Slam, recebe os(as) campeões(ãs) nacionais para competirem pelo título de melhor slammer do mundo. Na última edição, que encerrou ontem, dia 29 de setembro de 2022, foram convidados(as) 40 poetas, de 37 países. Para mais informações, clique aqui.  

7 canais para acompanhar grupos e poetas slammers

Vimos, então, que a mente, a voz, os gestos e o corpo — porque as competições de poesia falada também são inclusivas e recebem poetas surdos(as) e mudos(as), como no caso do Slam do Corpo — são os principais recursos dessa atividade cultural. E para que nossos leitores e leitoras conheçam um pouco de como essas apresentações são realizadas, nós listamos 7 canais do YouTube para acompanhar grupos e poetas slammers. Vejamos: 

Descubra o que é Slam e como acompanhar os principais grupos e poetas

Fonte: Reprodução

1. GICA TV

A GICA TV tem como propósito divulgar conteúdos que possuam uma linguagem simples, mas estimulem o pensamento crítico e ofereçam um bom entretenimento. Na seção playlists, há uma categoria reservada especialmente para apresentações de vários grupos de Slam. Entre eles, Slam Moinho Resiste, Slam Fluxo e Slam Sujeira — este último com participação especial do poeta Sérgio Vaz. Para ter acesso às performances, clique aqui 

2. Grito Filmes

Formado por diversos(as) fotógrafos(as), cineastas e demais profissionais de mídia audiovisual, o coletivo Grito Filmes tem mais de 700 mil inscritos em seu canal. Com o objetivo de cobrir atividades culturais produzidas na rua e para a rua, o canal disponibiliza vários vídeos de batalhas de poesias e outros eventos literários, como o Slam do Grito e a Roda Cultural Canta Teresa. Para ter acesso às performances, clique aqui 

3. Manos e Minas

Reproduzindo trechos do programa de mesmo nome, veiculado na TV Cultura, o canal Manos e Minas possui uma seção dedicada aos(às) poetas e slammers brasileiros(as) convidados(as) para performar na atração. Entre os principais nomes, destacamos Luz Ribeiro, Mel Duarte e Samuel Borges. Para ter acesso às performances, clique aqui 

4. Slam da Guilhermina

O Slam da Guilhermina, já mencionado neste texto, também possui um canal para divulgar o desempenho de artistas que passaram por sua competição e outros eventos de poesia falada, como Slam Dandaras e Slam Capão. A plataforma, que disponibiliza vários vídeos legendados, conta com quase 50 mil pessoas inscritas. Para ter acesso às performances, clique aqui. 

5. Slam das Minas RJ

Apesar de o movimento de spoken word no Brasil ter ficado conhecido a partir de uma poeta mulher, durante muito tempo esses espaços foram mais frequentados por homens. A fim de promover a igualde de gênero também nas competições de poesia, vários coletivos femininos surgiram. O Slam das Minas RJ é um dos mais famosos, organizado por um grupo de mulheres no estado do Rio de Janeiro. Para ter acesso às performances, clique aqui 

6. Slam Resistência

Esse torneio de poesia ocorre mensalmente na Praça Roosevelt, no centro de São Paulo, e recentemente vem investindo na reprodução audiovisual de suas batalhas. As apresentações do Slam Resistência possuem relevância internacional e fazem parte de uma comunidade que acumula meio milhão de pessoas no Facebook. Para ter acesso às performances dos(as) poetas, clique aqui 

7. Poetry Slam Inc

Nossa recomendação final é um canal em língua inglesa, mas que pode ser traduzido com apoio da ferramenta do próprio YouTube. Além de trazer um vídeo introdutório, com a definição e a história do Slam, o Poetry Slam Inc disponibiliza apresentações dos campeonatos que organiza, como o National Poetry Slam e Women of the Poetry Slam. Para ter acesso às performances, clique aqui. 

Conteúdo extra 

Se você ficou interessado(a) no que leu, viu e ouviu, e sentiu vontade de compor suas próprias poesias para serem declamadas nessas batalhas, nós recomendamos o tutorial Transforme-se num poeta slam em 5 passos. O conteúdo é apresentado pela campeã mundial de spoken word Gayle Danley, a convite do TED-Ed — iniciativa do TED voltada para impulsionar o aprendizado de alunos(as) e professores(as).  

Gostou de conhecer um pouco mais sobre o cenário poético contemporâneo? Então compartilhe nosso artigo com os(as) amigos(as) fãs de poesia!  

No Canal do Ensino, leia também: 

Até o próximo texto!  

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo