Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Conheça as características do Trovadorismo que você deve saber para o vestibular

Conheça as características do Trovadorismo que você deve saber para o vestibular

Olá, leitor(a)!

Para ir bem nas provas de Língua Portuguesa no vestibular, é importante conhecer as escolas literárias. Neste texto, veremos as principais características do Trovadorismo. Vamos lá?

Trovadorismo

O Trovadorismo é considerado o primeiro movimento literário da história das literaturas modernas no ocidente.

Iniciado no Sul da França no século XI, o Trovadorismo é marcado por sua composição poética, composta para ser cantada acompanhada por um fundo musical.

Produzida apenas por homens, conhecidos como trovadores, essa poesia era geralmente chamada de cantiga, e dividia-se em quatro tipos, em que dois eram de cunho lírico-amoroso (cantigas de amor e cantigas de amigo), e dois de cunho satírico (cantigas de escárnio e cantigas de maldizer).

Características do Trovadorismo

características do Trovadorismo

Fonte: Reprodução

As principais características do Trovadorismo são:

  • Composição em galego-português: as cantigas trovadorescas portuguesas não eram compostas em português, mas sim em uma língua que antecipou e deu origem ao português, o galego-português.
  • Tradição oral e coletiva: as cantigas eram compostas para serem cantadas, daí sua tradição oral. Além disso, tratavam de temáticas populares com as quais todos se identificavam, daí seu caráter coletivo.
  • Acompanhamento musical: as cantigas eram cantadas com acompanhamento musical.
  • Autores: os autores das cantigas eram chamados de trovadores.
  • Intérpretes: os intérpretes das cantigas eram chamados de jogral, segrel ou menestrel.
  • Gênero: as poesias eram divididas em dois gêneros: o gênero lírico, que abrangia as cantigas de amigo e as cantigas de amor; e o gênero satírico, que abrangia as cantigas de escárnio e as cantigas de maldizer.

 

Você viu acima algumas características gerais do Trovadorismo. Contudo, para que possamos entender melhor como eram essas cantigas e possamos assim ver todas as características do Trovadorismo, será necessário que estudemos cada tipo de cantiga separadamente.

Características das cantigas de amor

  • Voz lírica masculina: nas cantigas de amor a voz lírica sempre era masculina.
  • Ambientação aristocrática: as cantigas de amor expressavam a vida da corte, refletindo o amor cortês e o refinamento da vida palaciana.
  • Convenções do amor cortês: ao expressar o amor cortês, as cantigas de amor se alicerçavam em três elementos:
    • Idealização da mulher: a mulher é sempre idealizada, e geralmente como um ser quase sobrenatural.
    • Vassalagem amorosa: o amor é dado como algo quase impossível, e isso motiva o homem a se rebaixar à condição de vassalo diante da mulher.
    • Coita: palavra de origem galego-portuguesa que significava sofrimento, é o tema da maioria das cantigas de amor.
  • Tratamento dado à mulher: mia senhor. Nas cantigas de amor, o homem se dirigia a sua amada, tratando-a por ‘mia senhor’.

Exemplo de cantiga de amor

Confira a seguir um exemplo de cantiga de amor composta por Bernardo de Bonaval:

 

A dona que eu amo e tenho por Senhor
amostra-me-a Deus, se vos en prazer for,
se non dade-me-a morte.

A que tenh’eu por lume d’estes olhos meus
e porque choran sempr(e) amostrade-me-a Deus,
se non dade-me-a morte.

Essa que Vós fezestes melhor parecer
de quantas sei, a Deus, fazede-me-a veer,
se non dade-me-a morte.

A Deus, que me-a fizestes mais amar,
mostrade-me-a algo possa con ela falar,
se non dade-me-a morte.

Características das cantigas de amigo

  • Voz lírica feminina: nas cantigas de amigo, a voz lírica é sempre feminina. Contudo, apenas homens compunham naquele período. Portanto, não confunda a voz lírica com o compositor.
  • Tratamento dado ao namorado: amigo. Daí o nome desse tipo de cantiga. Nas cantigas de amigo sempre teremos uma mulher dirigindo-se ao seu amado, tratando-o por ‘amigo’.
  • Expressão da vida das classes desfavorecidas: as cantigas de amigo ambientam-se tanto no campo quanto na cidade, e refletem geralmente a vida das populações mais desfavorecidas.
  • Realismo: enquanto que nas cantigas de amor há uma idealização da mulher e um homem que sofre por um amor que não irá se realizar, nas cantigas de amigo o amor é possível. Portanto, embora trate também do sofrimento amoroso, as cantigas de amigo tratam geralmente de um amor real, possível.
  • Ausência do namorado: o motivo do sofrimento amoroso nas cantigas de amigo costuma ser a ausência do namorado, chamado de amigo.
  • Simplicidade: as cantigas de amigos eram simples, tanto em sua forma quanto em sua temática.
  • Paralelismo e refrão: o paralelismo constituía-se de alguns versos que eram repetidos em algumas estrofes (por exemplo, repete-se um verso da primeira estrofe na terceira, e um verso da segunda na quarta). Já o refrão tratava-se de um verso que geralmente aparecia em todas as estrofes.

Exemplo de cantiga de amigo

Confira um exemplo de cantiga de amigo composta por D. Dinis:

 

Ai flores, ai flores do verde pino,
se sabedes novas do meu amigo!
ai Deus, e u é?

Ai flores, ai flores do verde ramo,
se sabedes novas do meu amado!
ai Deus, e u é?

Se sabedes novas do meu amigo,
aquel que mentiu do que pôs comigo!
ai Deus, e u é?

Se sabedes novas do meu amado,
aquel que mentiu do que mi há jurado!
ai Deus, e u é?

 

Características das cantigas de escárnio e maldizer

As cantigas de escárnio e maldizer, ambas de tom satírico, eram compostas com o intuito de debochar ou criticar, geralmente se referindo a aristocratas.

Essas cantigas documentaram costumes vistos como negativos na época, assim como as reações públicas em relação aos hábitos comuns na corte.

Tanto as cantigas de escárnio quanto as de maldizer, eram compostas com intuito de difamar alguém ou um grupo. O que difere esses dois tipos de cantigas é a forma como faziam isso, enquanto as cantigas de escárnio teciam suas críticas de maneira indireta e discreta, as cantigas de maldizer eram bastantes diretas e indiscretas, chegando mesmo a revelar quem era a pessoa tratada na cantiga.

Confira no quadro a seguir essas diferenças:

Cantigas de escárnio Cantigas de maldizer
Indiretas, discretas Diretas, sem equívocos
Uso de ironia Uso de palavrões e xingamentos

 

Exemplo de cantiga de escárnio

A cantiga de escárnio a seguir foi composta por João Garcia de Guilhade, confira:

 

Ai, dona fea, foste-vos queixar
que vos nunca louv[o] em meu cantar;
mais ora quero fazer um cantar
em que vos loarei toda via;
e vedes como vos quero loar:
dona fea, velha e sandia!…

 

Exemplo de cantiga de maldizer

A cantiga de maldizer a seguir foi composta por Afonso Eanes de Coton, confira:

 

Marinha, o teu folgar
tenho eu por desacertado,
e ando maravilhado
de te não ver rebentar;
pois tapo com esta minha
boca, a tua boca, Marinha;
e com este nariz meu,
tapo eu, Marinha, o teu;

com as mãos tapo as orelhas,
os olhos e as sobrancelhas,
tapo-te ao primeiro sono;
com a minha piça o teu cono;
e como o não faz nenhum,
com os colhões te tapo o cu.
E não rebentas, Marinha? 

 

Conclusão

Você viu neste texto as principais características do Trovadorismo. Agora, que tal fazer uns exercícios para testar o que você aprendeu?

Um grande abraço, e até a próxima!

Exercícios

1 – (MACKENZIE) Assinale a alternativa INCORRETA a respeito das cantigas de amor.

 

a) O ambiente é rural ou familiar.

b) O trovador assume o eu-lírico masculino: é o homem quem fala.

c) Têm origem provençal.

d) Expressam a “coita” amorosa do trovador, por amar uma dama inacessível.

e) A mulher é um ser superior, normalmente pertencente a uma categoria social mais elevada que a do trovador.

 

2 – (FAAP) Releia com atenção a estrofe:

Fez-se de amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.

Tomemos a palavra AMIGO. Todos conhecem o sentido com que esta forma lingüística é usualmente empregada no falar atual. Contudo na Idade Média, como se observa nas catingas medievais, a palavra amigo significou:

 

a) colega

b) companheiro

c) namorado

d) simpático

e) acolhedor

 

3 – (UM-SP) Nas cantigas de amor,

 

a) o trovador expressa um amor à mulher amada, encarando-a como um objeto acessível a seus anseios.

b) o trovador velada ou abertamente ironiza personagens da época.

c) o “eu-lírico” é feminino, expressando a saudade da ausência do amado.

d) o poeta pratica a vassalagem amorosa, pois, em postura platônica, expressa seu amor à mulher amada.

e) existe a expressão de um sentimento feminino, apesar de serem escritas por homens.

 

Gabarito

1 – A

2 – C

3 – D

 

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo