Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Conheça 7 características do Realismo que você deve saber para o vestibular

Conheça 7 características do Realismo que você deve saber para o vestibular

Olá,

Preparando-se para o vestibular e não sabe o que estudar sobre literatura? Elaboramos um post com as principais características do Realismo. Vamos lá?

Realismo

A segunda metade do século XIX foi marcada pela consolidação do capitalismo na Europa.

Impulsionado pelo desenvolvimento industrial e pelo fortalecimento da burguesia, esse período foi marcado também por fortes contradições ideológicas e tensões políticas, geradas principalmente pela desigualdade social.

Aliando isso ao desenvolvimento científico e filosófico da época, surgiu uma forma de pensar altamente racionalista e materialista.

Foi diante desse contexto que surgiram as chamadas Escolas Realistas: Realismo, Naturalismo e Parnasianismo.

O Realismo, em específico, surgiu como uma forma de reagir ao Romantismo, pois enquanto o Romantismo enfatizava a fantasia, o Realismo focava no mundo real.

Confira a seguir as características do movimento realista.

7 características do Realismo

  1. Objetividade: os realistas buscavam descrever o mundo e o homem da época com objetividade, isto é, buscavam uma representação fiel do homem e de sua sociedade. É importante notar que essa característica se opõe ao subjetivismo presente no Romantismo, no qual se expressava o mundo de um modo mais particular, individual.
  2. Racionalidade: o Realismo é marcado por um racionalismo, ou seja, buscava-se racionalizar e entender as coisas ao invés de senti-las.
  3. Impassibilidade: ao ser objetivo e racional, o autor realista passava a impressão de ser insensível aos sofrimentos alheios.
  4. Investigação do homem de dentro para fora: análise psicológica do homem, através da qual buscava-se entender a sociedade.
  5. Ênfase nas relações sociais: foco nas relações entre o homem e a sociedade, atacando as instituições sociais e seus fundamentos ideológicos. O casamento, a religião, a exploração do trabalho e as diferenças entre ricos e pobres eram comumente criticados.
  6. Imparcialidade: Essa característica permite ao leitor maior interpretação a respeito das obras realistas.
  7. Ironia: Consiste em declarar uma coisa sugerindo uma ideia contrária àquilo que se diz.

Ex.: “Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis” (Machado de Assis)

Perceba que, quando o narrador sugere que Marcela o amou apenas enquanto ela tinha dinheiro, ele quer dizer exatamente o contrário, ou seja, que ela não o amava.

Exemplo de texto realista

Realismo

Foto: Pixabay

O trecho a seguir é o último capítulo do livro Memórias Póstumas de Brás Cubas, do escritor realista brasileiro Machado de Assis:

CAPÍTULO 160

Das negativas

Entre a morte do Quincas Borba e a minha, mediaram os sucessos narrados na primeira parte do livro. O principal deles foi a invenção do emplasto Brás Cubas, que morreu comigo, por causa da moléstia que apanhei. Divino emplasto, tu me darias o primeiro lugar entre os homens, acima da ciência e da riqueza, porque eras a genuína e direta inspiração do céu. O acaso determinou o contrário; e ai vos ficais eternamente hipocondríacos.

Este último capítulo é todo de negativas. Não alcancei a celebridade do emplasto, não fui ministro, não fui califa, não conheci o casamento. Verdade é que, ao lado dessas faltas, coube-me a boa fortuna de não comprar o pão com o suor do meu rosto. Mais; não padeci a morte de Dona Plácida, nem a semidemência do Quincas Borba. Somadas umas coisas e outras, qualquer pessoa imaginará que não houve míngua nem sobra, e, conseguintemente que saí quite com a vida. E imaginará mal; porque ao chegar a este outro lado do mistério, achei-me com um pequeno saldo, que é a derradeira negativa deste capítulo de negativas: — Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria.

Conclusão

Você viu neste texto o que foi o Realismo e sete de suas principais características. Agora que tal resolver alguns exercícios para testar seus conhecimentos?

Um grande abraço, e até a próxima!

Exercícios

1 – (ENEM 2001) No trecho abaixo, o narrador, ao descrever a personagem, critica sutilmente um outro estilo de época: o romantismo.

“Naquele tempo contava apenas uns quinze ou dezesseis anos; era talvez a mais atrevida criatura da nossa raça, e, com certeza, a mais voluntariosa. Não digo que já lhe coubesse a primazia da beleza, entre as mocinhas do tempo, porque isto não é romance, em que o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas; mas também não digo que lhe maculasse o rosto nenhuma sarda ou espinha, não. Era bonita, fresca, saía das mãos da natureza, cheia daquele feitiço, precário e eterno, que o indivíduo passa a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.”

ASSIS, Machado de. Memórias Póstumas de Brás Cubas.
Rio de Janeiro: Jackson, 1957.

A frase do texto em que se percebe a crítica do narrador ao romantismo está transcrita na alternativa:

a) … o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas…

b) … era talvez a mais atrevida criatura da nossa raça…

c) Era bonita, fresca, saía das mãos da natureza, cheia daquele feitiço, precário e eterno, …

d) Naquele tempo contava apenas uns quinze ou dezesseis anos…

e) … o indivíduo passa a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.

 

2 – (PUC-PR 2007) Sobre o Realismo, assinale a alternativa INCORRETA.

a) O Realismo surgiu na Europa, como reação ao Naturalismo.

b) O Realismo e o Naturalismo têm as mesmas bases, embora sejam movimentos diferentes.

c) O Realismo surgiu como consequência do cientificismo do século XIX.

d) Gustave Flaubert foi um dos precursores do Realismo. Escreveu Madame Bovary.

e) Emile Zola escreveu romances de tese e influenciou escritores brasileiros.

 

3 – (Mack) Assinale a alternativa correta.

“Mas Luísa, a Luisinha, saiu muito boa dona de casa; tinha cuidados muito simpáticos nos seus arranjos; era asseada, alegre como um passarinho, como um passarinho amiga do ninho e das carícias do macho; e aquele serzinho louro e meigo veio dar à sua casa um encanto sério. (…)
Estavam casados havia três anos. Que bom que tinha sido! Ele próprio melhorara; achava-se mais inteligente, mais alegre … E recordando aquela existência fácil e doce, soprava o fumo do charuto, a perna traçada, a alma dilatada, sentindo-se tão bem na vida como no seu jaquetão de flanela!”

(Eça de Queirós, O primo Basílio)

a) A prosa realista, com intuito moralizador, desmascara o casamento por interesse, tão comum no século XIX, para defender uma relação amorosa autêntica, segundo princípios filosóficos do platonismo.

b) A prosa romântica analisa mais profundamente a natureza humana, evitando a apresentação de caracteres padronizados em termos de paixões, virtudes e defeitos.

c) A prosa realista põe em cena personagens tipificados que, metamorfoseados em heróis valorosos, correspondem à expressão da consciência e valores coletivos.

d) A prosa realista, apoiando-se em teorias cientificistas do século XIX, empreende a análise de instituições burguesas, como o casamento, por exemplo, denunciando as bases frágeis dessa união.

e) A prosa romântica recria o passado histórico com o intuito de ironizar os mitos nacionais.

Gabarito

1 – A

2 – A

3 – D

 

 

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo