Você está aqui:Home » Concursos & Empregos » Concursos » Concurso público: como estudar língua portuguesa para bancas diferentes?

Concurso público: como estudar língua portuguesa para bancas diferentes?

Olá, leitor!

Quem está habituado a participar de concursos públicos sabe que bancas diferentes procuram fatores diferentes na hora da avaliação. Conhecer os hábitos da banca responsável pelo concurso que você vai prestar é essencial.

Para ir bem, é preciso se preparar pensando em todos os detalhes. Bancas diferentes, por exemplo podem preferir respostas mais objetivas ou que o candidato escreva textos mais rebuscados.

Se você quiser mais dicas para organizar os seus estudos para o concurso público, leia também esse outro texto no Canal do Ensino.

Normalmente, as pessoas se sentem muito frustradas com a reprovação em concurso público. No entanto, essa é uma ótima oportunidade para conhecer a banca e se preparar melhor para a próxima oportunidade.

Outra forma de se preparar é pesquisando a banca responsável na internet. Você pode descobrir essa informação no edital do concurso. Falar com outros concurseiros experientes também pode ajudar muito na sua preparação.

Nesse artigo, vamos dar algumas dicas sobre como estudar português para bancas diferentes. Aqui você encontra tudo o que precisa para organizar sua rotina de estudos e não deixar nada passar.

O que realmente muda em bancas diferentes?

concurso-publico-como-estudar-lingua-portuguesa-para-bancas-diferentes_Prancheta 1

É bastante comum que as pessoas deixem a preocupação com a diferença entre as bancas se tornar desespero. Mas é essencial manter a calma, tanto para a prova em si quanto para estudar com eficiência. Procure se lembrar que o conteúdo cobrado na prova será o mesmo. Então, mantenha seu foco, primeiramente, em dominar esse conteúdo.

A prova de língua portuguesa é a que mais costuma a variar com bancas diferentes, no entanto. Como as questões tem um estilo muito diferente, vale a pena se dedicar a conhecer o estilo de cada banca, mesmo antes que ela seja anunciada no edital.

A mudança em si não está no conteúdo, mas sim no jeito em que ele é apresentado. Vamos ver um exemplo para esclarecer:

(CREMESP –  VUNESP) Assinale a alternativa correta quanto ao uso ou não do acento indicativo da crase.

  1. Doenças ocasionadas pelo uso de pesticidas em alimentos podem levar a morte.
  2. As pessoas são obrigadas à parar de comer alimentos com agrotóxicos.
  3. Os dados da pesquisa da Anvisa referem-se a alimentos in natura.
  4. A medida que as pesquisas avançam, mais testes com animais são feitos.
  5. Os trabalhadores rurais devem se submeter à uma avaliação médica constante.

Já as questões da Cespe começam com um texto pequeno, seguidos de uma pergunta nesse estilo:

(CESPE) O emprego do sinal indicativo de crase em “às necessidades” (L.12) é obrigatório; a omissão desse sinal provocaria erro gramatical por desrespeitar as regras de regência estabelecidas pelo padrão culto da linguagem.

  1. Certo
  2. Errado

Em ambos os exemplos, é esperado que o candidato demonstre conhecimento sobre o uso da crase. O formato das questões, no entanto é completamente diferente.

Como estudar português para bancas diferentes?

Agora que você já entende melhor o que difere entre as bancas, é hora de elaborar um plano de estudos que contemple de forma eficiente todas essas situações. E acredite: não é preciso esperar a banca ser anunciada para começar a se preparar.

Divida o seu plano de estudos em dois momentos: antes da definição da banca e depois. Confira a seguir como estudar a língua portuguesa de forma eficiente em cada uma dessas etapas:

Antes da definição da banca

Certifique-se de estudar todo o conteúdo que foi anunciado no edital do seu concurso. Dessa forma, quando a banca for anunciada, você terá mais tempo para se adequar aos modelos de questões comumente usados.

No entanto, como todo bom concurseiro sabe, estudar apenas o conteúdo sem fazer exercícios pode reduzir drasticamente o seu rendimento. Por isso, não deixe de fazer os simulados. A melhor estratégia por enquanto é verificar qual foi a banca responsável por aquela prova no último edital.

Por exemplo, em 2018, deve ser realizado o concurso do MPU. Ainda não há banca definida, mas a Cespe foi a última organizadora do certame desse órgão.

É claro, não há como ter certeza que o certame será organizado pela Cespe. Então, é preciso estudar os outros modelos para não ser pego de surpresa. No entanto, você pode dar um leve foco para os modelos de questão da Cespe.

Em cada dez exercícios solucionados, seis devem ser da última organizadora. Dessa forma, você tem um estudo direcionado, mas não deixa de se habituar com as bancas diferentes.

Não deixe de usar esse período para estudar bancas diferentes, seus estilos de questões e de correção. Busque também notícias sobre o concurso e sobre provas semelhantes. Esse também é um bom momento para conversar com outros concurseiros sobre a experiência deles. Esse é um conhecimento valioso que pode te oferecer o diferencial que você precisa na hora da prova.

Esse tipo de preparação, além de ajudar na resolução das questões, também te ajudará no controle da ansiedade. Em geral, é mais fácil manter a calma quando você sabe o que esperar de uma situação e sabe que está equipado para lidar com ela.

Depois da definição da banca

Após o anúncio da banca organizadora, você pode aumentar ainda mais o seu foco. Mas não deixe os outros modelos de questões completamente de lado. Na vida de concurseiro, mudanças repentinas já são quase costumeiras. É importante estar preparado para situações imprevistas e ter boa capacidade de adaptação. Essa pode ser a diferença entre passar ou não em uma prova.

O ideal nesse período é que em dez questões, oito sejam da banca organizadora anunciada. Dessa forma você já estará completamente habituado aos exercícios que provavelmente te serão apresentados. No entanto,também terá preparo o suficiente para se adaptar frente a uma mudança de última hora no estilo.

Utilize esse momento para estudar prioritariamente sobre a banca escolhida. Como você teve um enfoque maior no conteúdo antes da definição, agora deve estar livre para pegar firme nos exercícios de fixação. Quanto mais repetição, mais habituado você estará com o estilo de escrita e forma de resolução das questões, então abuse dos simulados.

Existem sites onde você pode selecionar por banca e matéria as questões que você quer resolver, como o Simulado Brasil Concurso. As questões podem também ser classificadas pelo nível de dificuldade.

Checklist de estudo para não errar

Para deixar seu estudo ainda mais simples e organizado, preparamos uma lista com todos os passos para garantir seu preparo. Confira a seguir como estudar português para bancas diferentes sem esquecer de nada:

Antes da definição da banca você deve:

  • Verificar no Edital o conteúdo que será cobrado;
  • Pesquisar sobre as principais bancas;
  • Pesquisar qual foi a última organizadora do certame na instituição;
  • Programar-se para cobrir o máximo possível do conteúdo teórico nessa etapa;
  • Focar a resolução de exercícios da última organizadora, em uma proporção de 60%;
  • Não deixar de incluir exercícios das outras principais bancas;
  • Ficar de olho nas notícias e editais do concurso.

Depois da definição da banca você deve:

  • Mudar a proporção dos exercícios resolvidos para focar ainda mais na banca escolhida (80%)
  • Nunca deixar de fazer exercícios de outras bancas para garantir o preparo em situações imprevistas;
  • Se habituar com o estilo de questão da banca escolhida;
  • Continuar focado em fixar o conteúdo.

Algumas dicas extras

Para concluir, confira algumas dicas especiais do Canal do Ensino para garantir a eficiência do seu método de estudo. Com elas, se preparar para o concurso público ficará muito mais fácil:

  • Apesar da preparação para bancas diferentes ser importante, não se deixe ficar fixado apenas nisso. Muitas pessoas se focam tanto em pegar o jeito de cada banca que acabam esquecendo de se dedicar ao conteúdo. Se você dominar o conceito, conseguirá resolver qualquer modelo de questão.
  • Tenha um lugar apropriado e organizado para estudar.
  • Sempre resolva simulados, principalmente de língua portuguesa.
  • Leia com frequência. Isso ajuda na fixação de normas gramaticais e ortográficas.
  • Alimente-se bem e durma pelo menos oito horas por dia. Sua rotina de estudos não será eficiente se você exagerar na carga horária sem dar um descanso para seu corpo.

Outras oportunidades:

Conclusão

Estudar português para bancas diferentes não precisa ser uma tarefa tão estressante se você se organizar corretamente. Focando primeiramente no conteúdo e dando prioridade aos exercícios da banca organizadora do último concurso da instituição, você pode começar a se preparar antes que o anúncio oficial seja feito.

Depois que a banca estiver definida, basta se dedicar a resolver frequentemente exercícios para saber o que esperar na hora da prova. O hábito te ajudará tanto na fixação e entendimento do conteúdo quanto na resolução das questões.

E melhor ainda, quando você se sente preparado, consegue fazer a prova com muito mais calma, o que aumenta muito suas chances de passar.

Mas não esqueça de se programar para imprevistos. Nunca estude questões apenas de uma banca, ou mudanças repentinas podem te desestabilizar no momento da prova. Com o plano de estudos sugerido nesse artigo, você estará pronto para todas as situações.

Quer mais dicas para estudar para concursos públicos? Leia também os outros artigos do Canal do Ensino:

E você, qual estratégia utiliza para estudar a língua portuguesa para bancas diferentes? Deixe sua opinião nos comentários e aproveite para perguntar se ficou com alguma dúvida!

Até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo