Você está aqui:Home » Dicas » Professores » Como trabalhar “escuta, fala, pensamento e imaginação” na Educação Infantil?

Como trabalhar “escuta, fala, pensamento e imaginação” na Educação Infantil?

Olá, leitor!

Você sabe o que é a BNCC (Base Nacional Comum Curricular)? A BNCC é um documento que fornece diretrizes para que todos os estudantes, de escolas públicas e privadas, tenham acesso a uma formação básica comum. Para a Educação Infantil, esse projeto propõe cinco Campos de Experiência, ou seja, cinco áreas que envolvem habilidades e valores fundamentais para o desenvolvimento de uma criança.

O 4° Campo de  Experiência, “escuta, fala, pensamento e imaginação”, é focado no trabalho com a linguagem. No artigo de hoje, vamos explicar um pouco sobre a BNCC, sobre os Campos de Experiência e trazer algumas dicas para abordar “escuta, fala, pensamento e imaginação” na sala de aula. Confira!

BNCC e Campos de Experiência

Escuta, fala, pensamento e imaginação na Educação Infantil

Fonte: Reprodução

A BNCC, elaborada entre 2015 e 2017, descreve os aprendizados básicos que os alunos precisam adquirir em cada etapa do desenvolvimento escolar. Na Educação Infantil, os saberes a serem construídos estão organizados nos cinco Campos de Experiência, que são:

  1. Eu, o outro e o nós, responsável por explorar as relações de subjetividade e alteridade, permitindo que os alunos compreendam sua personalidade, sua interação com os grupos aos quais pertencem, com o professor e os colegas.
  2. Corpo, gestos e movimentos, campo focado em ajudar as crianças a reconhecerem os limites do próprio corpo e a se posicionarem no espaço, o que pode ser feito por meio de brincadeiras que interajam com o ambiente, danças e representações teatrais.
  3. Traços, sons, cores e formas, que tem o objetivo de estimular o contato com diferentes formas de arte, desenvolvendo a percepção estética. Valoriza a análise e a produção de músicas, desenhos, pinturas, esculturas, entre outros meios de expressão.
  4. Escuta, fala, pensamento e imaginação é o campo que trabalha a aproximação da criança com a linguagem verbal. Para tanto, são estimuladas a comunicação entre os alunos, a leitura, silenciosa e em voz alta, a escrita para retratar situações cotidianas, a criação e representação de histórias. Ao longo do texto, vamos explicar detalhadamente como o professor pode explorar esse campo com seus alunos.
  5. Espaço, tempo, quantidades, relações e transformações engloba o desenvolvimento das noções de espaço, envolvendo o corpo, os objetos e o ambiente, de tempo (físico, histórico e cronológico) e de tamanho, além de mostrar as transformações sofridas por esses conceitos e as relações entre eles.

Como trabalhar “escuta, fala, pensamento e imaginação” na sala de aula?

“Escuta, fala, pensamento e imaginação”, o 4 ° Campo de Experiência, tem a intenção de aprimorar a criatividade e a relação com as diferentes manifestações da linguagem verbal. Recebendo esses estímulos desde cedo, as crianças desenvolvem o pensamento crítico com mais facilidade. Para trabalhar esse campo nas salas de aula, os professores devem propor atividades que despertem a curiosidade dos alunos e possibilitem que eles sejam protagonistas do próprio aprendizado.

Os educadores precisam estimular que as crianças, inclusive aquelas que ainda não foram alfabetizadas, produzam histórias e tenham contato com diferentes gêneros literários, percebendo a linguagem como forma de retratar o mundo. A seguir, traremos algumas sugestões de atividades para trabalhar o 4 ° Campo de Experiência. Acompanhe!

Criar e contar histórias

A criação de narrativas é um passo fundamental para a consolidação do sujeito. Quando as crianças começam a contar histórias, elas constituem sua personalidade e se familiarizam com a linguagem verbal. Para atrair o interesse dos alunos, o professor pode propor que cada um conte histórias sobre seu cotidiano ou ainda sugerir que as crianças se organizem em grupos e compartilhem narrativas com os colegas, que ficarão encarregados de contá-las para a turma. Assim, os pequenos também estarão trabalhando a socialização.  

Leituras compartilhadas

Ter contato com as palavras desde cedo facilita a aquisição da linguagem. Para incentivar as crianças a se acostumarem com a linguagem escrita, o professor pode organizar rodas de leitura, permitindo que os alunos reflitam sobre a história e interajam com o livro. Para reconhecer desde a infância as diferentes possibilidades de uso da linguagem, é importante trabalhar com vários gêneros literários, incluindo livros infantis, contos, fábulas e até músicas.

Este artigo do blog Estante Mágica traz cinco atividades que ajudam os pequenos a criarem narrativas e se familiarizarem com a leitura.

Atividades ao ar livre

Dinâmicas fora da sala de aula costumam atrair os alunos. Nesse sentido, espaços da escola como o jardim, a biblioteca e os laboratórios de informática podem ser aliados no trabalho com a linguagem. Uma sugestão é levar os alunos para um destes ambientes, expor uma situação sobre o local e solicitar que eles criem uma história a partir disso. Exercícios desse tipo também ajudam a aprimorar a criatividade. Este texto do site Tempo de Creche apresenta uma lista de atividades que podem ser realizadas fora da sala de aula.

Explorar outros tipos de linguagem

O intercâmbio entre a linguagem verbal e outras formas de expressão, como o desenho, a escultura, a dança e o teatro, é essencial para que a criança desenvolva a comunicação e a sensibilidade artística. Dessa forma, atividades como ilustração e encenação de histórias lidas pelo professor estimulam a imaginação e a interação entre os alunos. O Portal do Professor disponibiliza um plano de aula, de autoria das professoras Adele Guimarães Ubarana Santos e Suzana Maria Brito de Medeiros, que explica detalhadamente uma atividade que trabalha a encenação com crianças de 6 a 8 anos.

Explore a tecnologia

É impossível não mencionar a tecnologia quando abordamos formas de linguagem. Desde muito cedo, os pequenos têm contato constante com tablets, computadores, celulares e a escola deve atuar para que eles possam usar esses recursos conscientemente. Indicar sites infantis confiáveis, incentivar as crianças a produzirem textos e imagens em programas online são formas de usar a tecnologia para o desenvolvimento da linguagem. Este artigo do site Nova Escola traz sete dicas para usar a tecnologia na sala de aula.

Ao planejar as atividades para a Educação Infantil, lembre-se de pensar em dinâmicas que explorem mais de um Campo de Experiência ao mesmo tempo. Você tem alguma outra sugestão sobre como trabalhar “escuta, fala, pensamento e imaginação”? Deixe aqui nos comentários!

Boa aula e até mais!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo