Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Como fazer uma revisão para o vestibular em dois meses

Como fazer uma revisão para o vestibular em dois meses

Olá,

Os principais vestibulares do país acontecem entre os meses de novembro e dezembro e uma boa parcela dos estudantes ainda não se sente preparado para as avaliações ou em alguns casos mais extremos, nem começaram a se preparar.

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será nos dias 5 e 6 de novembro, atualmente, ele é usado como principal avaliação para ingresso de estudantes em universidades de todo o país, algumas até extinguiram o vestibular e usam as notas do Enem como base para a entrada dos futuros candidatos. Além dele, uma das mais importantes e tradicionais faculdades de São Paulo também terá o vestibular em novembro, a primeira fase da Fuvest, da USP, será no dia 27.

Mas como se preparar em tão pouco tempo para essas provas? Para quem já está se preparando, está na hora de pegar mais leve ou acelerar nos estudos? Deve revisar e fixar o que já sabe ou aprender coisas novas?

Veja algumas dicas de como se preparar com até dois meses de antecedência para o vestibular

Por onde começar

Algumas universidades disponibilizam o conteúdo que irão compor suas provas do vestibular, listando as disciplinas e o que pode cair em cada uma delas. Com isso, é possível criar um plano de estudos para revisar este conteúdo.

Comece a revisão com aquilo que tem menos dificuldade, como forma de fixar e depois avance para aquelas matérias que te dão maior dor de cabeça nos estudos. Separe alguns exercícios para treino e teste seus conhecimentos utilizando provas anteriores disponíveis.

O que pode cair?

O Enem, excluindo a redação, é composto por quatro bases – matemática e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; linguagens, códigos e suas tecnologias; e ciências da natureza e suas tecnologias – cada uma delas com disciplinas distintas e temas abordados.

Em matemática deverá cair operações com frações, porcentagem, análise de gráficos e tabelas, além da estatística básica. Esses tópicos são bastante frequentes na prova, tal como em outros vestibulares.

Na sequência, as ciências humanas tratarão as disciplinas de história com tópicos sobre o Brasil colonial, primeira república, império, cultura negra no Brasil e as revoluções industriais. Em geografia é comum cair sobre espaço rural, impactos ambientais, globalização, geologia e geomorfologia, e geopolítica do mundo atual.  Por fim nessa categoria, filosofia e sociologia deve abordar etnocentrismo e relativismo, esferas culturais, filosofia moderna, filosofia moral e a questão étnica, consequências da globalização.

A prova de linguagens possui como componente os tópicos de estratégias argumentativas e discursivas, escolas literárias, variedades linguísticas, arte e cultura, e textos jornalísticos para interpretação e análise da estrutura.

A última base, a de ciências da natureza, é considerada uma das mais complicadas por abranger as matérias de física e química. Em biologia é possível que seja matérias sobre lixo, imunização, água e problemas ambientais relacionados ao recurso, ciclos do carbono, nitrogênio e água, genética e mutações.

Física deverá abordar temas relacionados a usinas e instalações residências, ondas, calorimetria, hidrostática e ótica. Por fim, química pode ser composta pelas cadeias carbônicas, estequiometria, unidades de concentração, eletroquímica e pH e pOH.

Organize a leitura

A maioria dos grandes vestibulares cobra obras obrigatórias em seu conteúdo avaliativo, e muitos dos títulos são repetidos entre as instituições. No caso da Fuvest, já foram divulgadas as obras para os exames do próximo ano e também do seguinte, no geral, não muita alteração dos títulos de um ano para o outro, mas é bom se atentar a leitura.

Por isso, se organize para conseguir ler todos os livros propostos. Tente também buscar análises sobre os títulos, para entender melhor o tema e ver outros pontos de vista sobre aquela obra.

Algumas instituições costumam cobrar a leitura destes títulos como base para as aulas de português e literatura, principalmente a alunos do terceiro ano do ensino médio, veja se algum destes livros não fez parte do conteúdo programático na sua escola e revise o que você já sabe sobre ele.

Não leia só livros

A prova do Enem, por exemplo, costuma ser bastante extensa com textos longos a cada questão. Os enunciados podem conter textos retirados de revistas, jornais, artigos online e muitos outros locais, inclusive os livros de literatura que já foi recomendado a leitura logo a cima e dificilmente estes trechos serão pequenos. Por isso, não deixe de ler.

Para se acostumar com essa leitura durante a prova leia jornal, revista, artigos, crônicas e principalmente, a literatura. Assim, você estará adepto a ler diversas variações textuais. Isso também te ajudará a interpretar os enunciados, que será de grande valia já que a maioria dos vestibulares cobra a interpretação de texto até em questões de disciplinas exatas.

Além disso, lembre-se que a redação pode abordar qualquer tema e, no geral, algo que esteja presente em questões da atualidade. Então, ao ler, você já está se informando sobre alguns assuntos. Isso te ajudará tanto para a interpretação, que é bastante cobrada, como também em diversas questões que podem surgir na prova e até mesmo a produzir a sua redação.

Use provas anteriores para estudar

Uma ótima forma de se auto avaliar é responder uma prova anterior de qualquer vestibular e ver como se saiu. No site das próprias instituições é possível encontrar os exames e gabaritos de outros semestres ou anos. Tente responder toda a prova dentro do tempo que lhe será permitido fazê-la no dia do exame. Depois só confira quantas acertou e veja as áreas que teve um desempenho melhor, revise conteúdos daquela que ainda não foi muito bem e faça uma outra prova.

Aliás, isso pode te ajudar a ir se acostumando com o estilo do exame, a conhecer o tipo de questões que é cobrado e poder mapear os assuntos que costumam cair em cada disciplina.

Não se assuste com a matemática

Nem todo mundo se dá bem com matérias exatas e tem certa dificuldade para assimilar o conteúdo. A melhor maneira para se aprender é praticando, e isso serve para qualquer matéria. Por isso, se você tem dúvidas sobre algum tema de exatas, saiba que existem diversos vídeos-aula que podem lhe ajudar, e eles são facilmente encontrados no YouTube.

Assista algumas aulas e tente fazer exercícios para fixar o que aprendeu, existem listas de exercício também na internet e alguns desses vídeos dispõem das suas próprias listas, além de que você também pode usar os livros didáticos da escola para fazer alguns exercícios.

No geral, os vestibulares focam no conteúdo aprendido entre o segundo e, principalmente, do terceiro ano do ensino médio, mesmo que ele venha a aparecer de forma indireta na prova.

Faça anotações

Escrever algo que acabou de aprender ajuda a fixar e pode ser usado depois como forma de revisão. Por isso, quando estiver estudando, procure anotar a forma como entendeu aquilo, tente ser claro para não se embaralhar com aquela anotação depois. Para a revisão, organize essas “colinhas” para a disciplina que ela corresponde e é só ir se orientando por elas.

Reserve um horário para se atualizar

revisao-vestibular

Como já dito, a leitura é essencial para se adequar a prova e melhorar a interpretação de texto. Outro fator bastante cobrado nas avaliações são as atualidades, em que qualquer tema pode se tornar uma questão. Por isso, reserve um horário do seu dia e leia notícias, acompanhe um noticiário na televisão ou rádio, e não foque apenas em coisas daqui do país, mas busque notícias ao redor do mundo.

Desta forma você acrescenta cultura e conhecimento para o seu dia-a-dia, além de ser uma boa maneira para aprimorar o seu vocabulário.

Revise o conteúdo

Planeje o estudo de forma que a revisão seja dividida pelo nível de dificuldade que cada matéria apresenta, o mesmo vale ao conteúdo dentro de cada disciplina. Ao revisar, foque nos capítulos que lhe foram mais fáceis para entende-los e se aperfeiçoe neles.

Tente não “reaprender” aquilo ou acumular uma quantidade muito grande para revisar de última hora, isso pode te atrapalhar ao invés de ajudar. Construa um esquema para reforçar e recordar o que você já aprendeu, você pode dedicar algumas horas do dia para a revisão.

Faça redações

Ao menos duas vezes por semana faça uma redação e utilize os temas dos anos anteriores, ou disserte sobre os temas levantados como possibilidade para a prova do Enem. A redação é um componente importante nos vestibulares, porque é através dela que os examinadores podem avaliar a sua escrita, a forma como você elabora ideias e constrói soluções.

O Enem, por exemplo, divulga os temas das redações – atualmente com espelho e correção – desde 2009, quando o novo modelo começou a ser utilizado. Lembrando que a redação deve ser uma dissertação-argumentativa, ou seja, terá que ser desenvolvida com argumentos que sejam baseados pela proposta da temática.

Se tiver dúvidas de como estruturar este tipo de texto, na internet é possível encontrar diversas dicas. Além disso, você pode contar com a ajuda de um professor para revisar a sua redação.

Comece a rever o que aprendeu durante a aula

A grande maioria dos candidatos ao vestibular estão concluindo o ensino médio, desta forma o conteúdo componente dos exames costuma acompanhar o que é dado nas escolas.

A matéria pode estar fresca na sua cabeça, por que foi aprendida recentemente, mas adquira o hábito de rever o que você aprendeu e faça alguns exercícios. Desta maneira, você fixará melhor o conteúdo e assim realmente aprendê-lo. Quem nunca achou que sabia a matéria da prova e deixou de estudar, mas na hora de fazê-la deu branco? No vestibular não existe recuperação, então você tem que estar preparado.

Faça exercícios

Após os estudos, faça exercícios daquilo que aprendeu. Isso é uma boa maneira de fixar o conteúdo e ver onde você tem dificuldades. Como o tempo é curto, opte por fazer uma lista com no máximo 20 exercícios cada.

A cada tópico estudado, revise utilizando os exercícios que podem ser encontrados tanto na internet como nos livros didáticos que você utiliza em sala de aula.

Foque no que tem dificuldade

Como nesta etapa você estará apenas revisando o conteúdo é importante revisar bem aquilo que você apresenta maior dificuldade. Por exemplo, se seu problema é com a química e os temas abordados por você estão tirando seu sono, procure tirar suas dúvidas com seu professor e assistir algumas vídeo-aulas. Também faça exercícios como modo de fixar o que você está estudando.

As questões de exatas são as que mais trazem dor de cabeça aos estudantes, mas é válido lembrar que a prova cobra bastante a interpretação de texto, alguns problemas matemáticos ficam fáceis quando você lê e entende o que está sendo proposto. Por isso também procure utilizar a interpretação quando estiver estudando aquela matéria que você tem dificuldade, os exercícios que você tentará resolver também ficarão bem mais fáceis se você conseguir interpretá-los da forma correta.

Consiga uma mentalidade adequada à revisão

De nada adianta você revisar todo o conteúdo de uma vez, sem nenhum descanso. Seu cérebro não irá acompanhar em alguma etapa, porque ficará esgotado pela quantidade excessiva de estudos sem fazer nenhuma pausa.

Sendo assim, tire uma hora para revisão e faça uma pausa de até meia hora, para que você descanse e seu cérebro também. Qualquer estrutura de estudos será boa, mas desde que ela dê resultados e não o contrário.

Embora os vestibulares possam ser exaustivos, pela pressão imposta aos candidatos e pela extensão das provas, você não precisa se esgotar totalmente durante os estudos.

Dica bônus

Como acabamos de dizer o vestibular é um processo exaustivo tanto psicologicamente quanto para o físico. Por isso, antes de mais nada, descanse.

É lógico que você vai parar uma hora para descansar, mas pense em fazer isso no tempo recomendado que é de oito horas por noite. Você precisará de disposição antes e durante a prova, afinal você possui uma vida além dos vestibulares e precisará também concluir o ano escolar. Pense nisso.

Bons estudos!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo