Você está aqui:Home » Dicas » Intercâmbio » Como fazer graduação no exterior de forma gratuita

Como fazer graduação no exterior de forma gratuita

Olá, leitor!

Cada vez mais jovens procuram universidades fora do Brasil para fazer sua graduação, e os motivos são os mais diversos, sendo que os principais é o aprimoramento de outra língua e adquirir experiência, pois, isso conta muito quando essa pessoa for procurar um emprego.

Sabendo disso, os investimentos para fazer graduação no exterior são altos, principalmente em países como Canadá, Inglaterra e Estados Unidos, já que esses são os principais países destinos de intercambistas brasileiros, mas esses gastos poderiam ser reduzidos de forma significativa, sabe por quê?

Existem países que oferecem bolsas de estudos integrais ou parciais para pessoas que desejam fazer sua graduação no exterior! E o mais interessante é que o programa, geralmente, é todo em inglês, mesmo que essa não seja a língua oficial do país de destino para fazer o intercâmbio.

1 – Alemanha

como_fazer_graduacao_no_exterior_

Fazer graduação na Alemanha é gratuito, inclusive para estrangeiros, e o melhor de tudo é que suas universidades públicas  são mundialmente reconhecidas e respeitadas. Na maioria das vezes, o estudante precisa pagar apenas uma taxa administrativa semestral, que vai de 150 a 250 euros.

Não é preciso saber falar alemão para se candidatar a vaga para fazer graduação, isso porque, os programas, em sua grande maioria, são em inglês nas instituições alemãs.

A Universidade de Hoheinhem, em Stuttgart,  oferece o curso de mestrado em ciências bioeconômicas de graça e em inglês. São disponibilizadas 45 vagas e o estudante deve pagar cerca de 160 euros em taxas administrativas por semestre.

Entretanto, o estudante que desejar fazer graduação na Alemanha precisa comprovar que possui dinheiro para se sustentar: o governo exige que ele disponha de pelo menos 8.000 euros para um ano, por outro lado, o país autoriza universitários brasileiros a trabalharem 120 dias por ano em tempo integral ou 240 dias meio período.

2 – França

A França é um país que possui mais de 76 cursos de graduação em inglês, entretanto, a maioria desses cursos é oferecida por universidades particulares, mas se você quer estudar no exterior para fazer uma pós-graduação, há instituições com preços bastante viáveis.

O mestrado de engenharia de nanotecnologia da Universidade de Lyon, por exemplo, custa cerca de 500 euros por ano – esse valor é para alunos nativos e estrangeiros, já com o seguro saúde incluso. O curso tem duração de dois anos e as aulas são em inglês.

Outro exemplo de instituição que cobra pouco de seus estudantes nativos ou estrangeiros, é a Universidade Jean Moulin, em Lyon, que cobra uma taxa de 250 euros. o curso é o de Estudos Culturais Comparados e ele tem duração de 10 meses.

Se você quer mesmo estudar na França, há cursos de qualidade e baratos nas universités e écoles. Nas primeiras você pode fazer graduações e mestrados por valores que variam entre 200 e 400 euros anuais, já as segundas oferecem formações mais específicas como engenharia e arquitetura, nelas a taxa anual cobrada é de cerca de 600 euros.

Além disso, a Science Po, em Paris, uma renomada instituição oferece a famosa bolsa de estudos  Emily-Boutmy para estudantes de intercâmbio aceitos para graduação ou mestrado na instituição, os valores da bolsa variam de 3 a 16 mil euros por até 3 anos. As inscrições são feitas entre março e maio de cada ano. Ainda dá tempo você se inscrever!

O governo francês exige que o universitário tenha disponível 430 euros por mês para se manter enquanto estuda no país. Alunos intercambistas podem trabalhar até 964 horas ao ano na França, esse período corresponde a 60% da carga horária de uma pessoa com emprego em tempo integral no país.

3 – Finlândia

A Finlândia é uma das nações com melhor qualidade de ensino e de vida do mundo. O país possui mais de 450 programas de pós-graduação em inglês, todos gratuitos, essa regra de gratuidade também é válida para alunos estrangeiros.

Tampere University of Technology oferece gratuitamente o curso de mestrado em Arquitetura, que tem duração de 2 anos, por exemplo, entretanto, o aluno precisará arcar com seus gastos pessoais. O país permite que universitários não europeus trabalhem 25 horas por semana durante o período letivo.

Os programas ministrados em finlandês e os programas de doutorado são gratuitos.

4 – Noruega

Todas as universidades públicas da Noruega são gratuitas, e o estudante (incluindo aqueles de intercâmbio) pagam apenas uma taxa semestral de 30 a 60 euros. Há diversas opções de cursos, inclusive em inglês no país: só de pós-graduação são mais de 200.

Um dos cursos gratuitos mais procurados no país é o de mestrado em economia oferecido pela Universidade de Oslo, que tem duração de dois anos.

Por outro lado, vale ressaltar que a Noruega é um dos países mais caros do mundo para se viver e, mesmo que  suas as universidades sejam gratuitas, o custo de vida é bastante alto.

Outro fator, que pode incomodar algumas pessoas é que o clima do país é extremamente gelado, podendo ser bastante difícil de se adaptar, principalmente, para os brasileiros. Os universitários estrangeiros, não europeus podem trabalhar 20 horas por semana.

5 – Eslovênia

A Eslovênia é um país europeu que faz fronteira com a Itália e com a Croácia e oferece cerca de 150 programas para estudantes em suas universidades totalmente em inglês e a preços acessíveis.

Um exemplo, é o mestrado de Justiça Criminal e Segurança, que é oferecido pela Universidade de Maribor, o curso custa cerca de 2.300 euros por ano, independentemente da nacionalidade do estudante. O programa dura dois anos.

Um ponto positivo se você deseja fazer graduação na Eslovênia é que o custo de vida no país é relativamente baixo, um estudante de intercâmbio pode viver de forma confortável com 600 euros por mês.

6 – Itália

Em Milão, na Itália, há a Università Commerciale Luigi Bocconi, que é considerada uma das 20 melhores do mundo nas áreas de administração e economia. A universidade oferece bolsa de estudos integrais e parciais com base em mérito e em necessidade financeira para quem deseja fazer um mestrado ou fazer graduação.

Ainda na Itália, o ensino superior é dividido em primeiro ciclo (equivalente a graduação), segundo ciclo (equivalente a mestrado) e ciclo único, que une os dois em um programa mais longo.

A Universidade de Bolonha, uma das maiores universidades do país oferece bolsas para candidatos de qualquer um destes ciclos por um ano. A bolsa é no valor de 11 mil euros anuais, sendo que esse valor é o suficiente para cobrir os custos da instituição.

7 – Reino Unido

Na Universidade de Westmister, localizada no Reino Unido, há bolsas integrais apenas para estudantes de países em processo de desenvolvimento e que queiram fazer graduação na instituição.

Há uma bolsa integral que cobre todos os custos de anuidade, acomodação, custos de vida e transporte aéreo até Londres. A outra modalidade de bolsa da instituição cobre apenas os custos de anuidade. Para ser elegível para fazer graduação em Westmister, é necessário ser aceito para um curso na instituição – as inscrições abrem em setembro de cada ano.

Em Oxford, também no Reino Unido, há a bolsa de estudos Reach Oxford Scholarships, que é destinada para estudantes de países em desenvolvimento que, devido a problemas políticos ou financeiros não tem condições de fazer graduação no seu país de origem.

A bolsa cobre todos os cursos de anuidade, um valor mensal para manutenção no Reino Unido e passagens aéreas anuais para o país de origem. Em fevereiro se encerram as candidaturas para quem já possui uma carta de aceite da instituição, e as novas inscrições abrirão em setembro.

8 – Canadá

No Canadá existe o Programa International Leader of Tomorrow que é um prêmio oferecido pela Universidade da Columbia Britânica para estudantes que queiram fazer graduação na instituição.

Para ser aceito no programa de bolsa é preciso que o futuro aluno que deseja fazer graduação no Canadá comprove excelência acadêmica, habilidade de liderança e conquistas extracurriculares. É possível obter bolsa integral, incluindo custos de vida, mas esse último caso só ocorre se o estudante comprovar necessidade financeira.

No Canadá também há a Humber College Scholarsphip – considerada uma das melhores instituições de ensino de Toronto – os alunos que desejam fazer graduação na instituição podem se candidatar às bolsas em maio (para início em setembro) ou em setembro (para início em janeiro). As bolsas cobrem o valor da anuidade, mas não incluem custos de moradia ou alimentação.

9 – Estados Unidos

Nos Estados Unidos existe a American University que oferece a bolsa Emerging Global Leader Scholarship. As bolsas oferecidas são integrais ou parciais para estudantes estrangeiros, e ela tem duração de até 4 anos.

A bolsa cobre todos os custos de anuidade, incluindo alojamento e alimentação – totalizando aproximadamente 61 mil dólares. As inscrições para 2018 serão abertas em novembro.

10 – Graduação on line  gratuita

Se você deseja fazer graduação em uma instituição internacional, mas não pode sair do Brasil, saiba que existe a Universidade do Povo, ela oferece diversos cursos online completamente gratuitos. Essa é uma iniciativa sem fins lucrativos que está expandindo o acesso a educação superior. Os cursos oferecidos são graduação em Administração, Saúde e Ciências da Computação, além de MBA.

As taxas de realização de exames são simbólicas (aproximadamente 100 dólares) e estudantes que comprovarem necessidade financeira podem solicitar isenção.

Você pretende fazer graduação no exterior? Qual o país de destino?

Até a próxima!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo