Você está aqui:Home » Dicas » Pais e Filhos » Como ensinar uma criança a gostar de museus

Como ensinar uma criança a gostar de museus

Olá pessoal!

Quando as crianças pedem para passear, elas sempre querem ir para algum parque, shopping, clube… enfim, se divertir. Mas e os museus? A princípio parecem chatos, mas são locais que podem ser divertidos também, além de serem sempre uma fonte de conhecimento, deslumbramento e ensinamento para todas as idades. Como fazer as crianças curtirem e gostarem de museus? É só seguir estas dicas.

A repórter Heather Greenwood Davis, do site Family Time da National Geographic, quis que seus filhos se empolgassem com os passeios a museus. Depois de muitas visitas, chegou a algumas conclusões de como fazer isso, e compartilhou com seus leitores. Encoraje seus filhos a aprender a curtir os museus com esses cinco truques:

  1. Leve em conta o que eles querem

Muitas vezes, os pais levam os filhos aos museus que estão por perto, em vez de procurar os que despertem maior interesse deles. Começando a partir dos interesses, irá garantir que eles queiram fazer o passeio, pelo menos a princípio.

Seu filho ama dinossauros? Leve a um museu com fósseis e esqueletos desses animais como o museu Royal Tyrrell, em Alberta, nos Estados Unidos. Eles querem ser astronautas? Então vá a um lugar que tenha réplicas de naves, roupas espaciais e coisas do tipo (Exemplos: Kennedy Space Center e o museu Air and Space, em Washington DC).

E se você não pode ir ao museu que te sirva com maior precisão, pelo menos, faça uma pesquisa prévia para escolher as exposições certas.

  1. Repense como é o passeio em um museu

Paredes, teto, portas… Tudo isso é para ser levado em conta quando você está procurando uma experiência museológica. Hoje em dia, arte pode ser encontrada nos mais diversos lugares. Pense em murais de arte nas ruas, uma caminhada para ver os grafites em bairros como a Vila Madalena em São Paulo, ou nas exposições ao ar livre pela cidade, para começar.

E mesmo em suas caminhadas diárias, considere procurar arte na arquitetura em torno de você, isso pode transformar o significado que o “ir para o museu” tem para seu filho.

Você poderia ir a Paris e nunca por os pés dentro do Louvre e ainda ter muita “arte” para discutir. Deixe seu filho adolescente tirar selfies na frente de Le Mur des je t’aime. O mural possui a frase “eu te amo” escrita em mais de 250 línguas e seu interesse pode despertar. Uma visita ao popular parque Champ de Mars significa que você vai ver as imagens da famosa Torre Eiffel.

  1. Mantenha interativo

Interatividade é a maneira infalível de tocar o coração das crianças, sendo que essas exposições interativas deixará as crianças maiores (e os pais) entretidos, também. Muitos de nós, aprendem melhor através do toque e de jogo. Procure por museus que incentivem a interação.

Se você vai viajar para os Estados Unidos, outras opções diferentes são levar as crianças para um dos tour de pijama do Artime, em Nova York, ou às gincanas criadas dentro da Barnes Foundation, na Filadélfia. O museu em si é muito bom para crianças e não impõe regras sobre como o passeio deve ser conduzido.

Os centros de ciência são sempre um sucesso com as crianças. Tem a Estação Ciência, em São Paulo, com inúmeras atividades interativas; o NEMO, em Amsterdam, com diversão por dentro e por fora e o Centro de Ciências de Glasgow, na Escócia, com suas áreas de arte e educação.

  1. Comece enquanto eles ainda são jovens

Você não tem que estar na Itália, ou em qualquer outro país estrangeiro, para fazer uma visita ser parte da rotina.

Heather Davis conta que certa vez estava pronta para levar as crianças para a Galeria de Arte de Ontário, no Canadá, e os deixou engatinhar do lado de fora, onde esculturas gigantes os mantiveram hipnotizados. Um dinossauro gigante do Museu Real de Ontário nas janelas superiores fez o filhos pedirem para entrar, e não o contrário.

Museus também podem ser grandes experiências de ensino para as crianças mais velhas começarem a compreender alguns aspectos menos “lisonjeiros” da humanidade.

Outras experiências que a jornalista passou com seus filhos foi uma visita ao Newseum, em Washington DC, em que aproveitou para falar sobre raça e cultura; já no Anne Frank Housein, em Amsterdã, falaram sobre o Holocausto através da perspectiva desta heroína corajosa, e no museu The Apartheid, em Joanesburgo, aprenderam sobre os efeitos da segregação, pois eles lhe entregam um cartão de identificação de sua raça que dita o caminho que irá percorrer pela exibição.

  1. Vá embora cedo

Este é o segredo para qualquer coisa: deixe as crianças querendo mais. Qualquer espaço se torna chato quando você fica muito tempo nele. E quem quer voltar a um espaço quando você já esgotou todas as atividades que ele oferece?

Faça a você mesmo esse favor e não tente percorrer todo o museu em uma única tarde. Escolha algumas exposições e siga em frente muito antes das crianças pedirem isso.

Com essas dicas, você pode tornar a visita ao museu, um passeio concorrido, aguardado e muito divertido. É só saber levar.

Boa sorte.

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo