Você está aqui:Home » Dicas » Bolsa de Estudo » Como conseguir uma bolsa universidade para iniciar os estudos?

Como conseguir uma bolsa universidade para iniciar os estudos?

Entrar em uma universidade, fazer uma faculdade é o sonho de muita gente. Ter uma graduação pode e de fato abre muitas portas em sua vida como um todo, sobretudo na vida profissional.

Você pode, se assim desejar, fazer uma universidade pública e não pagar nada. No entanto, nem sempre isso é possível, então recorre-se a uma bolsa universidade.

Em outras palavras, além das faculdades estaduais e federais, que são públicas e não implicam em custos de mensalidades e afins para os estudantes, há as faculdades particulares, que também são de boa qualidade e podem ser uma oportunidade de realizar o tão aclamado sonho de fazer uma faculdade.

No entanto, bancar os custos de uma faculdade particular não é uma tarefa fácil. Em um contexto como o nosso, onde o país se encontra em uma tensa crise financeira e econômica, pode ser mais complicado ainda dar conta de arcar com esses custos.

Nesses cenários de arrocho financeiro, as mensalidades da faculdade podem pesar bastante no bolso, ainda mais porque elas não costumam ser baratas. Sem contar que existem outros gastos com a universidade além daqueles efetuados com a mensalidade.

Sendo assim, a melhor alternativa é obter uma bolsa universidade para iniciar os estudos.

O que é e como funciona a bolsa universidade?

Como se sabe, a faculdade privada ou também conhecida como faculdade particular cobra de seus alunos uma mensalidade. O valor dessa mensalidade pode variar bastante. Os fatores que levam os valores de uma mensalidade da faculdade oscilar são os mais diversos possíveis.

O valor da mensalidade da faculdade pode variar de acordo com:

  • Região ou cidade;
  • Tamanho (não necessariamente em tamanho físico em si, mas no porte do empreendimento);
  • Curso desejado;

Um curso de medicina, por exemplo, possui uma mensalidade muito maior do que um curso de pedagogia, por exemplo. Há cursos que demandam uma série de recursos materiais, de laboratório, entre outras coisas e por isso são mais caros.

Assim como toda mensalidade, a mensalidade da faculdade tem uma data específica para pagamento. Muitas faculdades dão uma espécie de desconto na mensalidade, se a mesma for paga em dia. Caso contrário, há uma multa a ser cobrada em cima do valor devido.

No entanto, nem todos podem bancar a mensalidade de uma faculdade e isso, ao menos de início, pode se mostrar como uma primeira barreira rumo à formação acadêmica.

Há quem consiga bancar apenas uma parte, há quem precise de alguns descontos maiores e há quem não consiga bancar quase nenhuma parcela da mensalidade. É aí que entra a bolsa universidade.

A bolsa universidade nada mais é do que uma espécie de bolsa de estudos, ou seja, um grande abono/desconto que a faculdade dá para alguns alunos que não tem condições de arcar com a mensalidade da faculdade.

Além de descontos parciais ou totais da mensalidade, a bolsa universidade pode oferecer outros tipos de benefícios além desse financeiro. Tudo vai depender do tipo de bolsa, pois não existe apenas um tipo de bolsa, mas vários.

Existem vários tipos de bolsas de estudos nas universidades, em termos de graduação e pós-graduação. Vamos no ater, no entanto, às bolsas de estudo para o ingresso na universidade.

Como funciona o programa Bolsa Universidade

bolsa-universidade

Como se sabe, o governo federal do Brasil tem alguns programas sociais, que visam ajudar a população mais pobre a terem condições de ingressar na universidade e permanecer nela.

Por vezes uma pessoa economicamente desfavorecida consegue entrar na universidade privada e tentar empreender esforços para pagar a mensalidade, mas acaba não dando conta.

O Governo Federal instituiu então o chamado Bolsa Universidade. Para se candidatar a essa bolsa, a pessoa interessada deve ficar por dentro do cronograma desse programa.

Ele deve fazer um cadastro no site Programa Escola da Família. Se ele já está cadastrado, basta fornecer o CPF e a senha para realizar a inscrição no programa.

A Bolsa Universidade funciona como uma espécie de convênio entre o governo do Estado de São Paulo e as instituições de ensino superior, através da secretaria. A Educação banca metade do valor da mensalidade, até um valor máximo de 500 reais. O valor restante é pago pelas próprias instituições de ensino.

Como um meio de fazer jus a essa bolsa, o estudante deve realizar, nos finais de semana, em escolas estaduais ou municipais (dos municípios conveniados) do Estado de São Paulo, atividades que tenham a ver com a graduação que ele está cursando ou ainda de acordo com as suas habilidades individuais.

Isso é particularmente interessante para as partes envolvidas. Os estudantes ganham experiência e adicionam importantes valores à sua formação acadêmica, devolvendo à comunidade aquilo que de certa forma ela fez por ele e a comunidade recebe em troca o favor.

Quem pode fazer parte desse programa é qualquer estudante universitário, concluinte ou que já concluiu o ensino médio

Para fazer parte do Bolsa Universidade, é preciso:

  • Estar regularmente matriculado em alguma faculdade conveniada com o programa;
  • Não estar recebendo nenhum outro tipo de bolsa oriunda de recursos públicos;
  • Ter tempo disponível para atuar como educador no Programa Escola da Família, durante os finais de semana;
  • Não possuir nenhum outro curso de graduação anterior completo.

Conheça 1.000 faculdades que oferecem bolsas de estudo

Como fazer para se inscrever no ProUni?

Outra modalidade de bolsa universidade é o famoso ProUni. O Programa Universidade Para Todos (ProUni) é um projeto de distribuição de bolsas universitárias que foi elaborado pelo Ministério da Educação (MEC) no ano de 2004 e institucionalizado no ano de 2005, para elevar o número de cidadãos brasileiros que ingressam na universidade.

Quem não tem condições de bancar a mensalidade em uma faculdade privada pode se inscrever no processo seletivo do Prouni. Existem basicamente dois tipos diferentes de bolsa que os alunos podem concorrer, que são:

  • Bolsas parciais: as bolsas parciais vão cobrir 50% do valor da mensalidade da instituição de ensino superior que você se inscreveu. Essa bolsa é voltada para pessoas cuja família possui uma renda mensal total de até 3 salários mínimos por pessoa.
  • Bolsas integrais: as bolsas integrais vão cobrir 100% do valor da mensalidade da instituição a qual você se inscreveu. Essa modalidade de bolsa é destinada àquelas pessoas que possui uma renda familiar de até um salário mínimo e meio por pessoa.

Para selecionar esses candidatos às bolsas de estudos na universidade, o processo seletivo é feito com base no Enem. Ou seja, o aluno que esteja pleiteando uma bolsa pelo ProUni precisa necessariamente ter feito o Enem e conseguido a nota mínima necessária de acordo com o curso e universidade.

Quanto maior a nota, maiores as chances.

Pelo fato dessa bolsa do ProUni ser voltada para pessoas cuja renda familiar mensal é baixa, vão existir ações totalmente concentradas em ajudar a garantir a permanência do aluno na universidade. Bem porque, como se sabe, a mensalidade é um elemento que pesa no bolso, mas não é o único gasto que um estudante tem.

Mas além disso, há outras condições importantes para que o aluno seja considerado apto para entrar na universidade através do ProUni. Ele deve se enquadrar em uma das condições abaixo:

  • Ter estudado todo o ensino médio em escola pública ou então em escola particular com bolsa integral;
  • Ter estudado parte do ensino médio em escola pública e parte em escola particular, desde que esta última tenha sido com bolsa integral;
  • Ser pessoa com deficiência;
  • Ser professor da rede pública de ensino básico, em efetivo exercício, integrando o quadro permanente da instituição, e estar concorrendo a vaga em curso de licenciatura, normal superior ou pedagogia. Neste caso, a renda familiar por pessoa não é considerada.,

Obedecidas essas condições, o aluno se inscreve, escolhendo o tipo de bolsa e até 5 opções diferentes de instituições, cursos e turnos de ensino superior, de acordo com a renda da sua família e com a condição de inscrição na qual ele se enquadra.

O MEC vai avaliar o aluno de acordo com as suas notas e opções. Eventualmente a instituição de ensino pode optar por fazer um segundo processo seletivo próprio.

Como funciona o FIES?

O FIES não chega a ser uma bolsa universidade propriamente dita, mas sim uma espécie de financiamento estudantil. Ele consiste em um programa do governo, criado no ano de 1999, como um substituto do Programa Crédito Educativo.

Seu intuito é financiar a graduação para pessoas que não tem condições de arcar com os custos de sua formação.

No ano de 2010, esse programa passou por uma reformulação, onde o Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação (FNDE) é o novo agente operador do programa. Com tudo isso, além de tudo, os juros diminuíram para 3,4% ao ano. O financiamento pode ser solicitado em qualquer época do ano.

Para poder participar do FIES, é necessário:

  • Estar regularmente matriculado em instituições de ensino superior privadas,
  • As instituições devem estar devidamente cadastradas no FIES e possuir boa nota no MEC;
  • Passar pelo processo seletivo do FIES.
  • Se o aluno recebeu bolsa de 50% do Prouni, podem tentar o financiamento dos outros 50% com o FIES, mas há uma série de regras específicas para isso.

Conseguindo obter uma bolsa universidade para cursar a faculdade dos sonhos

Felizmente, há diversas maneiras de um estudante conseguir obter uma bolsa universidade para cursar aquela faculdade que ele sempre quis. Preste atenção nas dicas e orientações que demos ao longo desse artigo e, se ainda restar dúvidas, sempre é possível acessar os sites desses programas, que são sites oficiais do governo.

Deixe um comentário

© 2012-2017 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo