Você está aqui:Home » Dicas » Arte e Cultura » CCBB do Rio expõe mais de 100 peças do Museu Nacional

CCBB do Rio expõe mais de 100 peças do Museu Nacional

Olá, leitor(a)!

Museu Nacional Vive – Arqueologia do Resgate, esse é o projeto que trabalha na recuperação do acervo perdido no incêndio, o qual atingiu parte do Palácio da Quinta da Boa Vista, no dia 02 de setembro de 2018. Segundo o Museu, mais de 100 peças foram reavidas e o público agora poderá conferi-las até o dia 29 de abril, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) do Rio de Janeiro.

Além dos artigos resgatados, também estão em exposição itens não atingidos pelo incêndio, como os da biblioteca: a primeira publicação científica (1870) e a Revista Nacional de Educação, editada por Roquette Pinto, considerado o precursor da radiodifusão no Brasil.

O Museu Nacional Vive é fruto do trabalho intenso da equipe de resgate que diariamente vai ao local procurar os artigos das cinzas. “Estamos lá de segunda a sábado para recuperar o que sobrou do incêndio”, diz Igor Rodrigues, 30 anos, paleontólogo, biólogo e educador do Museu.

Segundo Igor, a fim de atualizar a comunidade ao redor sobre a evolução do trabalho, além de aproximá-los do Museu, a equipe leva as peças para fora do prédio e as expõem ao público. “Essa área aqui está cercada”, aponta o dedo na foto que mostra o Palácio antes do incêndio. “Eu consigo entrar no Museu, e as pessoas? Então, retiramos os materiais aos domingos, conversamos com as pessoas e mostramos a elas que continuamos operante”, explica.

Igor esteve na Campus Party, um dos importantes eventos de tecnologia e internet do país, que aconteceu entre os dias 12/02 e 17/02 deste ano, em São Paulo. E levou alguns itens do Museu Nacional para o evento. Segundo ele, é importante que os museus também se locomovam até o público.

Museu Nacional

Fonte: Canal do Ensino/Ariovania Soares

Museu Nacional 1

Fonte: Canal do Ensino/Ariovania Soares

Você sabia?

Considerado o mais importante acervo da América Latina, o Museu Nacional é o primeiro museu criado no Brasil, em 1818, instalado originalmente no Campo de Santana (atual Praça da República, na cidade do Rio de Janeiro).

Desde 1982, o Museu foi transferido para o Palácio da Quinta da Boa Vista (prédio que residiu as famílias real e imperial), para guardar 200 anos de nossa história, e contava com mais de 20 milhões de artigos de Antropologia e Ciências Naturais.

No dia 02 de setembro de 2018, um incêndio atingiu parte do Palácio, onde se encontravam fósseis, como o Crânio de Luzia, o mais antigo das Américas, além de peças indígenas, múmias, entre outros. As chamas pouparam o Horto Botânico e o prédio anexo, onde estão as coleções de invertebrados, herbário e de vertebrados, laboratório de conservação e restauração, além da biblioteca.

Serviço

Se você mora ou está de visita no Rio de Janeiro, não perca essa oportunidade!

Museu Nacional Vive – Arqueologia do Resgate
Em exposição no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil)
Rua Primeiro de Março, 66, Centro
De quarta a segunda, das 9h às 21h – até 29 de abril
GRATUITO!

Aproveite!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo