Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Bullying se torna debate obrigatório nas escolas do país

Bullying se torna debate obrigatório nas escolas do país

O que antes era nem percebido, hoje é um tema polêmico e amplamente discutido

Olá, leitores!

Na infância de muitos e em diversas gerações, os apelidos, ou até algumas brincadeiras bobas mas sem “importância”, não pareciam criar algum problema muito sério. Porém, com o passar dos anos, estudos comprovaram que os profissionais da educação, pais e mães concluíram que isso pode prejudicar e muito a vida de uma pessoa, principalmente na fase da vida em que ela ocorre com maior frequência: na juventude.

Mesmo essas pequenas atitudes, encaradas como brincadeira de criança ou “briga de criança”, criou sérios problemas de comportamento em diversas jovens que enfrentaram a forte discriminação pelos colegas de escola e/ou faculdade.

De acordo com muitas pesquisas, inúmeras crianças desenvolveram depressão, tristeza, algumas até chegaram a cometer suicídio. O assunto é trágico, preocupante e, por todos esses fatores, precisa de muita atenção de todos os envolvidos no cotidiano de alguém que sofre com essas situações desagradáveis.

Esse problema atualmente se chama Bullying, mas qual é o significado dessa palavra?

O Bullying é uma palavra inglesa, que surgiu a partir do Bully, que significa “brigão” ou “valentão”. Ele é usado para indicar os atos como bater, zombar e ridicularizar o próximo. Qualquer ato de agressão seja física ou verbal (inclui o âmbito da tecnologia: internet por exemplo) entra nesse contexto, afinal estes são os principais fatores que indicam as ofensas que denigrem a imagem da vítima, muitas vezes de maneira profunda.

Os praticantes do bullying normalmente se unem com mais alguns outros “adeptos” para intimidar, humilhar e agredir fisicamente e verbalmente. Dessa maneira a vítima passa a desencadear graves problemas psicológicos, que se não tratadas rapidamente e da forma correta, causa distúrbios irreversíveis, ou seja, a pessoa perde a vontade de fazer qualquer ação em sua vida.

O local onde o Bullying é mais praticado são em ambientes escolares e por alunos de diversas idades, desde os pequenos que cursam o primário até os mais velhos, do ensino médio. Vale ressaltar também que, apesar da incidência menor, o bullying ocorre fortemente em universidades, faculdades e centros universitários.

Consequências do Bullying

mulher-chorando

As formas de agressões são variadas e em ambientes escolares, que são os mais comuns, se torna um problema crônico de difícil solução.

O Bullying possui como principais consequências as dificuldades em aprender, afeta o comportamento em todos os pontos, causa problemas de estômago, distúrbio do sono, falta de apetite, irritabilidade e dor de cabeça, como pensamentos autodestrutivos que estão ligados a depressão. Ao chegar nesse estágio, a pessoa não consegue mais se desenvolver socialmente e entra em um período em que as chances de “desistir” de tudo que o cerca é alarmante.

Debate obrigatório

Por desencadear tantos problemas, o Bullying vem ganhando cada vez mais espaço e atenção, principalmente para tentar buscar soluções para este problema.

Atualmente as escolas são obrigadas por lei a ter ações contra o Bullying, não apenas elas, mas todas os estabelecimentos de ensino ou atividades recreativas, como clubes, colônias de férias e acampamentos.

É muito importante os pais estarem sempre atentos aos seus filhos na escola, buscando saber como ele está, se há algum problema, e conversarem com os professores dobre seu comportamento em ambiente escolar.

Os profissionais estão cada dia mais atentos as características do problema, prestando muita atenção em hematomas, machucados ou até fatores como a tristeza e atitudes estranhas dos alunos.

O tema é preocupante é exige atenção geral para ser superado e evitar mais vítimas. As crianças e adolescentes, as principais vítimas, precisam de um grande cuidado e amparo em suas ações rotineiras.

Até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo