Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » Adjunto adverbial: 10 dicas para mandar bem no vestibular

Adjunto adverbial: 10 dicas para mandar bem no vestibular

Olá,

Quando escrevemos ou falamos, costumamos situar as coisas a que nos referimos no tempo e no espaço, além de lhes conferir noções de modo, causa, dúvida, intensidade, etc. Geralmente, os termos que usamos para isso são os advérbios e as locuções adverbiais, ou, sintaticamente, adjunto adverbial.

Neste texto, você verá o que é adjunto adverbial, além de algumas dicas que lhe ajudarão na hora de fazer suas provas.

Primeiramente, vejamos o que é o adjunto adverbial.

Adjunto adverbial

Adjunto adverbial

Fonte: Reprodução

Adjunto adverbial é um termo que modifica um verbo, um adjetivo ou um advérbio, indicando em que circunstância ocorreu a ação expressa pelo verbo, ou intensificando o valor de um verbo, de um adjetivo ou de um advérbio.

Quando falamos em adjunto adverbial, estamos nos referindo diretamente ao advérbio ou à locução adverbial. A diferença é que usamos os termos advérbio e locução adverbial para classificar uma palavra ou uma locução morfologicamente, enquanto que o termo adjunto adverbial é usado para classificar uma palavra ou locução sintaticamente. Portanto, adjunto adverbial é a mesma coisa que o advérbio ou locução adverbial.

Ex.:

  1. “Tudo aquilo saiu tão espontaneamente ao Rubião…” (Machado de Assis)
  2. Logo depois, pensou também no dinheiro…” (Machado de Assis)
  3. Felipe é um menino muito

Em 1, temos dois adjuntos adverbiais, um acompanhando o verbo e o outro acompanhando um advérbio. Perceba que o termo espontaneamente indica o modo como ocorreu a ação de sair. Já o termo tão, indica a intensidade da ideia expressa pelo advérbio espontaneamente.

Em 2, temos uma locução adverbial de tempo (Logo depois), e um advérbio de afirmação (também). Ambos modificam a forma verbal pensou.

Em 3, temos um adjunto adverbial de intensidade (muito), modificando o adjetivo esperto.

Dicas sobre adjunto adverbial

Para ajudá-lo na hora de localizar ou classificar o adjunto adverbial, elaboramos uma lista com 10 dicas. Confira:

  1. O adjunto adverbial acompanha apenas o verbo, o adjetivo ou o advérbio. Portanto, se o termo analisado estiver acompanhando, por exemplo, um substantivo, ele não será um adjunto adverbial.

Ex.:

Muitas pessoas vieram à minha festa.

Aquelas meninas são muito simpáticas.

Perceba que no primeiro exemplo muitas acompanha o substantivo pessoa. Já no segundo exemplo, o termo muito acompanha simpáticas, que é um adjetivo. Portanto, muitas não é advérbio, pois acompanha um substantivo. Enquanto que muito, por acompanhar um adjetivo, é um advérbio. Além disso, temos um adjunto adverbial de lugar no primeiro exemplo, que indica a circunstância de lugar em relação à forma verbal vieram.

  1. O único caso em que o adjunto adverbial não modifica nitidamente o verbo, o advérbio ou o adjetivo, ocorre quando ele modifica toda a oração.

Ex.: Naquela cinza manhã de domingo, todos nós acordamos muito cansados.

  1. O adjunto adverbial é invariável. Ou seja, ele não varia nem em gênero e número, nem em pessoa, modo ou tempo.

Portanto, se o termo analisado estiver concordando com outro termo em gênero ou número, significa que não se trata de um adjunto adverbial.

Ex.: Estamos bastante cansados, pois fizemos bastantes coisas.

  1. O adjunto adverbial pode vir representado por uma oração, indicando uma circunstância em relação à outra oração.

Ex.: Quando chegamos em casa, a festa já havia terminado.

A oração “Quando chegamos em casa” indica quando ocorreu o que está expresso na oração seguinte. Portanto, “Quando chegamos em casa” é uma oração com valor de adjunto adverbial de tempo.

  1. O adjunto adverbial sempre que acompanhar um verbo indicará a circunstância em ocorreu essa ação verbal.

As principais circunstâncias expressas pelo adjunto adverbial são:

  • tempo: ontem, agora, hoje
  • modo: repentinamente, espontaneamente
  • lugar: aqui, ali
  • intensidade: muito, bastante, tão
  • dúvida: talvez, provavelmente
  • afirmação: sim, com certeza, certamente
  • negação: não
  1. Quando acompanha o adjetivo ou o advérbio, o adjunto adverbial, geralmente, será de intensidade.

Ex.: Katarina mora muito longe.

Carlitos é pouco inteligente.

  1. Em alguns casos, a preposição que acompanha o adjunto adverbial pode ajudá-lo a descobrir qual circunstância ele expressa.

Ex.: Vou ao cinema com o Macedo.

Cheguei em casa cansado.

  1. Para conferir se um termo é mesmo um adjunto adverbial de tempo, verifique se esse termo informa “quando” ocorreu a ação expressa pelo verbo.

Ex.: Ontem à noite, choveu bastante. (Quando choveu bastante? Ontem à noite, portanto, é adjunto adverbial de tempo.)

  1. Para conferir se um termo é mesmo um adjunto adverbial de modo, verifique se esse termo informa “como” ocorreu a ação expressa pelo verbo.

Ex.: Ricardo joga futebol muito bem. (Como Ricardo joga futebol? Muito bem, portanto, é adjunto adverbial de modo.)

  1. Para conferir se um termo é mesmo um adjunto adverbial de lugar, verifique se esse termo informa “onde”, “de onde”, “aonde”, ou “para onde” ocorreu a ação verbal.

Ex.: Está muito quente nesta sala. (Onde está muito quente? Nesta sala, portanto, é adjunto adverbial de lugar)

Conclusão

Você viu neste texto o que é adjunto adverbial. Além disso, apresentamos dez ótimas dicas que lhe auxiliarão na hora de resolver questões sobre adjunto adverbial.

Um grande abraço, e até a próxima!

Exercícios

1 – (Instituto Excelência-2017) O adjunto adverbial relaciona-se com a circunstância por ele expressa. Assinale a alternativa que indica a frase que contém um adjunto adverbial de causa:

a) Jamais duvide de Deus.

b) Mande a carta pelo correio.

c) Devido ao mau tempo, não saiu de casa.

d) Nenhuma das alternativas.

 

2 – (U. F. Viçosa) Em todas as alternativas, há dois advérbios, exceto:

a – Ele permaneceu muito calado.
b – Amanhã, não iremos ao cinema.
c – O menino, ontem, cantou desafinadamente.

d- Tranquilamente, realizou-se hoje, o jogo.

e –Ela falou calma e sabiamente.

 

3 – (FTM-ARACAJU) Das expressões sublinhadas abaixo, com as ideias de tempo ou lugar, a única que tem a função sintática do adjunto adverbial é:

a) “Já ouvi os poetas de Aracaju“.

b) “atravessar os subúrbios escuros e sujos“.

c) “passar a noite de inverno debaixo da ponte”.

d) “Queria agora caminhar com os ladrões pela noite“.

e) “sentindo no coração as pancadas dos pés das mulheres da noite“.

 

Gabarito:

1 – C

2 – A

3 – D

comentários (1)

Deixe um comentário para Amador Madalena Maia

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo