Você está aqui:Home » Dicas » Estudantes » 9 diferenças entre o Ensino Médio e o Ensino Superior

9 diferenças entre o Ensino Médio e o Ensino Superior

Olá, leitores!

Dicas para os estudantes recém-formados chegarem preparados à faculdade

Muitos alunos recém-formados querem ingressar na faculdade, contudo a maioria deles não chegam reparados para essa nova fase ou desconhecem como é a forma de ensino de um curso superior. Por isso, decidimos listar 9 diferenças entre o ensino Médio e o ensino Superior para os calouros interessados ou com dúvidas de como será sua vida na universidade.

Tais diferenças baseiam-se nas principais mudanças que ocorrem no dia a dia dos estudantes ao passarem da vida escolar para a vida acadêmica, como foco no âmbito da metodologia de ensino e nas principais alterações em relação ao cotidiano do aluno ao entrar em uma universidade:

1 – O aumento de alunos por turma

Quando falamos sobre diferenças entre a vida escolar e a universitária temos que ressaltar a questão da quantidade de alunos por turma em cada uma dessas diferentes etapas da vida. No ensino médio, as classes têm uma média de 30 a 40 alunos por sala de aula; no ensino superior, as classes têm no mínimo 50 alunos e podem chegar a ter até 100, de acordo com o curso. Portanto, é importante que os recém-formados não se assustem com isso, ao mesmo tempo em que fazem amizades e não se passe como um desconhecido em sala de aula, os professores devem te conhecer um pouco mesmo que a turma seja grande. Além disso, fiquem atentos ao conteúdo das aulas, pois com o aumento da quantidade de alunos é pouco provável que os professores tenham tempo para explicar a matéria individualmente ou sanar alguma dúvida.

2 – A relação com os professores

A relação com os professores no ensino superior modifica-se devido ao aumento da quantidade de alunos por turma, mas também se modifica em relação à afinidade, pois dificilmente um aluno de universidade será tão íntimo de um professor como no colégio. Vale ressaltar também, principalmente, a questão das cobranças pessoais, ou seja, no ensino médio, acostumamo-nos com as cobranças dos professores em relação a data de entrega de trabalhos, a fazer as lições que valem pontos, a estudar para as provas, mas os professores dos cursos superior os considerarão responsáveis e capazes de fazer tudo por si só, então, cada um deve atentar-se aos trabalhos e as datas de entregas e avaliações.

3 – A importância do estudo

No ensino superior é extremamente importante que os alunos realmente estudem, não apenas no horário das aulas, mas nos tempos vagos também, pois como a agenda da universidade é mais apertada do que de uma escola comum, os conteúdos são passados e pouco tempo depois deve-se fazer trabalhos e avaliações sobre. Assim como também existe uma grande carga de leituras obrigatórias, seja de livros ou de textos, portanto, preparem-se – principalmente aqueles que não eram muito fãs de leitura no ensino médio.

diversos-lapis-para-colorir

4 – O uso da tecnologia

O uso da tecnologia no ensino superior é liberado, tanto os aparelhos para auxiliarem nas aulas ou para o uso pessoal dos alunos (notebooks, tabletes, celulares, projetores etc.). Contudo, tais recursos devem ser utilizados com sabedoria, pois, é claro, não se deve utilizar desses recursos nos momentos das provas ou em momentos inoportunos. Vale lembrar também que o uso do celular deve ser moderado, para evitar distrações.

5 – Trabalhos acadêmicos

Uma grande diferença que ocorre nos trabalhos escolares do ensino médio e os trabalhos apresentados no ensino superior é a forma de apresentação. Na universidade, os professores exigem que os alunos apresentem seus trabalhos para toda a classe e, muitas vezes, a apresentação em si e a maneira do aluno de se comunicar e mostrar seu conhecimento acerca do assunto, é o que realmente vale nota, muito mais do que o trabalho escrito. Além disso, os trabalhos da faculdade são muito importantes no auxílio da nota, por isso, nunca é aconselhável perder ou deixar de fazer algum.

6 – Provas e avaliações

Cada universidade tem seus métodos de avaliações, entretanto, as provas da faculdade, por mais que sejam mais difíceis e específicas, na maioria das vezes não são as únicas responsáveis pelas notas. Os trabalhos e atividades contam muito, por isso ressaltamos a importância deles na dica anterior. Contudo, também não estamos a dizer que as avaliações do ensino superior não são importantes, pelo contrário, são elas que determinam os conhecimentos dos universitários nos seus campos de estudo específicos.

jovens

7 – Grupos de estudo ou grupos de apoio

No ensino superior existe um recurso chamado grupo de estudo ou grupo de apoio, onde alunos se reúnem para estudarem juntos e sanarem as dúvidas um dos outros. Por mais que na época do ensino médio os estudantes fujam dos estudos, podem ter a certeza de que na universidade será diferente, o que facilita a vida acadêmica.

8 – Rotina acadêmica

No ensino médio ficamos muito mais tempo dentro da sala de aula, depois fazemos alguns trabalhos em casa ou alguma lição, mas não criamos uma rotina de estudo em si. No ensino superior, a carga horária das aulas é menor, a duração, a quantidade de matérias e aulas são reduzidas e pode haver tempo livre entre uma aula e outra. Contudo, a pressão e quantidade de tempo para o estudo deve ser maior quando se está na faculdade, deve-se criar uma rotina acadêmica. Chamamos de rotina acadêmica não só as aulas da faculdade, mas, sim, todo o tempo que se deve empregar nos estudos, ou seja, as aulas assistidas, as leituras obrigatórias, os grupos de estudos, os momentos de estudo, etc. Os alunos devem estar cientes que precisam disponibilizar e ter esse tempo no seu dia a dia para que consiga ter um bom desempenho no decorrer do curso escolhido.

9 – Liberdade e responsabilidade

A principal diferença entre ensino Médio e ensino Superior resume-se a isso: liberdade e responsabilidade. A universidade proporciona uma liberdade no sentido de o aluno tomar suas próprias decisões e escolher como será a sua forma de estudo e aprendizado no decorrer do curso. No entanto, a responsabilidade do aluno aumenta, pois ele se torna o responsável por quaisquer consequências que venham a ter no seu processo de aprendizado. Enfim, as diferenças podem assustar de início, porém, com o tempo e o auxílio de nossas dicas, qualquer calouro se sairá bem e entenderá como é a vida de um jovem universitário.

Até a próxima!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo