Você está aqui:Home » Dicas » Tecnologia » 8 dicas para identificar notícias falsas na internet

8 dicas para identificar notícias falsas na internet

Olá, leitor(a)!

No mundo globalizado e hiperconectado, graças à internet, a velocidade com que as informações chegam para os(as) usuários(as) facilitou o consumo de material noticioso em qualquer lugar e a qualquer hora. Em contrapartida, isso contribuiu para a alta disseminação de notícias falsas, as famosas fake news.

Antes mesmo da pandemia de Covid-19, nós já presenciamos esse fenômeno no mundo digital, que exerceu grande impacto durante as eleições presidenciais dos Estados Unidos em 2016. Dois anos depois, em 2018, também vimos isso acontecer durante a corrida eleitoral para presidência no Brasil.

Fake news e seus perigos

As notícias falsas, ou fake newssão informações inverídicas que circulam na internet e nas redes sociais como notícias verdadeiras. Elas são produzidas a fim de influenciar a opinião pública, para que se acredite em determinada linha de pensamento, e/ou prejudicar uma pessoa ou grupo.

Independentemente do meio no qual elas circulam, as notícias falsas possuem alto potencial viral, ou seja, podem se espalhar rapidamente e, com isso, enganar muitas pessoas. Dessa forma, elas geram uma população desinformada, o que pode ser um perigo para a sociedade.

Em 2014, por exemplo, uma mulher foi morta no Guarujá devido a um boato que circulou nas redes sociais de que ela teria sequestrado crianças para realizar rituais de “magia negra”. Outros exemplos são as diversas notícias falsas acerca da vacinação contra a Covid-19, que circulam atualmente e favorecem os grupos antivacina, dificultando o processo de imunização da população.

Dicas para identificar notícias falsas

Saber qual notícia é verdadeira e qual é falsa pode parecer complicado, mas nós separamos 8 dicas para ajudá-lo(a) a identificar uma notícia falsa e evitar que ela se espalhe para mais pessoas. Vamos conferir.

8 dicas para identificar notícias falsas na internet

Fonte: Reprodução

1. Não leia apenas a manchete

As fake news buscam mexer com as emoções das pessoas, apelando para sensações de espanto ou indignação. Essas emoções são geradas logo no início da matéria, ou seja, na manchete.

Portanto, sempre que você se deparar com um título chocante, abra o link e leia a notícia completa para verificar se o assunto condiz com a manchete. Isso também é válido para mensagens no WhatsApp e legendas de publicações nas redes sociais, como Facebook e Instagram.

2. Procure em outros sites e veículos

Um acontecimento de grande importância para a sociedade, como uma decisão governamental ou um projeto de lei, é noticiado por vários sites e veículos jornalísticosAquela matéria nunca será publicada por apenas um veículo.

Então, ao se deparar com uma notícia nas redes sociais ou no WhatsApp, pesquise se ela foi publicada em outros meios de comunicação. Caso a notícia só tenha sido divulgada no site ou na mensagem que você recebeu, há altas chances de ela ser falsa.

3. Desconfie se a notícia diz exatamente o que você pensa

Como dito anteriormente, as notícias falsas buscam mexer com as emoções das pessoas e estão poucos preocupadas em relatar o fato em si. Logo, elas podem ser modificadas a fim de gerar determinado sentimento no(a) leitor(a).

Com isso, desconfie de notícias que seguem a sua linha de pensamento e possuem uma linguagem persuasiva. Lembre-se de que o objetivo do jornalismo é informar os fatos, não divulgar opiniões ou pontos de vista (a menos que o conteúdo esteja sinalizado como uma “coluna de opinião”).

4. Busque as fontes das informações presentes na notícia

Quem cria fake news utiliza técnicas de escrita que mesclam acontecimentos reais com dados falsos ou vice-versa para criar a ilusão de verdade. Entretanto, nem tudo consegue ser escondido.

Pensando nisso, ao se deparar com dados, pesquisas e depoimentos ao longo do texto, pesquise para saber se eles são verdadeiros. Eles podem até sustentar os argumentos presentes na matéria, mas podem ter sido inventados justamente para isso, o que configura uma mentira.

5. Confira a data de publicação

Todo acontecimento está inserido em um período e em um contexto específico. Retirar de contexto uma fala, por exemplo, afeta o entendimento da mensagem como um todo, o que implica uma distorção da realidade.

Isso pode ser comum durante corridas eleitorais, em que alguns candidatos(as) podem usar esse artifício para descredibilizar seus concorrentes. Logo, analisar a data de publicação da notícia é vital para identificar o período em que ela está inserida e, consequentemente, o contexto.

6. Desconfie de fotos, vídeos e áudios

Além desses formatos poderem ser retirados da época em que, de fato, aconteceram, eles podem ser facilmente manipulados. Com o avanço das tecnologias, editar fotos, vídeos e áudios se tornou muito fácil.

Com isso, nunca compartilhe conteúdo sem ter certeza de que é verdade. Sempre cheque se o conteúdo foi editado e se ele foi produzido em outro momento e contexto.

7. Procure a fonte da informação

Além das informações contidas no texto, procure saber quem divulgou aquela notícia. No caso de veículos jornalísticos, pesquise o editorial, o jornalista que produziu a matéria e se o veículo possui viés ideológico.

Já no caso das redes sociais e WhatsApp, tente descobrir que perfil fez a publicação e quem enviou ou fez o material, a fim de checar se é possível confiar na veracidade do conteúdo.

8. Pesquise em agências de checagem de fatos

As agências de checagem de fatos são um novo segmento do jornalismo criado especificamente para identificar notícias falsas divulgadas na internet e, dependendo do caso, nas redes sociais.

As principais agências brasileiras de checagem são: Fato ou FakeAos Fatos e Lupa. Então, sempre que tiver dúvida, você pode recorrer a esses mecanismos de checagem.

Materiais extras

Para saber mais sobre o universo das notícias falsas e como combatê-las, leia este e-book gratuito do Canal Tech e siga o trabalho de jornalistas que atuam em agências de checagem, como Natália Leal (Lupa) e Amanda Ribeiro (Aos Fatos).

Vamos ajudar no combate às fake news e gerar uma população bem-informada? Então, compartilhe este texto nas redes sociais com os(as) amigos(as)!

No Canal do Ensino, leia também:

Aproveite as dicas e até o próximo texto!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo