Você está aqui:Home » Dicas » Pais e Filhos » 7 dicas para estudar matemática com as crianças 

7 dicas para estudar matemática com as crianças 

Olá, leitor(a)! 

matemática, essa disciplina amada e odiada por muitos, faz parte da nossa rotina. Por isso, hoje vamos falar sobre a importância de estimular o raciocínio matemático nas crianças, desmistificar que meninos são melhores em ciências exatas e listar dicas para você trabalhar a matemática com as crianças de maneira muito divertida. Confira! 

A matemática como estímulo cognitivo 

O melhor de não saber matemática é poder aprender! O desenvolvimento do raciocínio lógico é fundamental para estimular outras áreas do cérebro e melhorar o desempenho em todas as disciplinas. 

Para Jean Piaget (1896-1980), um dos primeiros biólogos a estudar o desenvolvimento cognitivo das crianças de maneira individualizada, o aprendizado da matemática é uma forma de conquistaferramentas para interagir com ambiente em que se vive. Portanto, durante esse processo, as crianças se tornam capazes de estabelecer ligações lógicas, levantar hipóteses, tirar conclusões, relacionar ideias e resolver problemas. 

Meninas possuem menos aptidão para matemática? 

Quantas vezes você escutou que meninas são melhores em disciplinas de humanidades, enquanto meninos se destacam nas ciências exatas? Essa afirmação é equivocada e pode causar afastamento das mulheres de campos como engenharia e tecnologia. 

Andrew MeltzoffPh.D. pela Universidade de Oxford, especialista em desenvolvimento infantil e um dos diretores do Instituto de Aprendizado e Ciências do Cérebro da Universidade de Washington, nos Estados Unidosrealizou descobertas sobre a memória e a capacidade de imitação de crianças nos primeiros meses de vida. Seus estudos revolucionaram as pesquisas sobre o desenvolvimento da personalidade e das capacidades cognitivas. 

Segundo ele, a ideia de que os garotos seriam melhores nas ciências naturais contribui para a baixa proporção de mulheres nos cursos universitários ligados à área e, principalmente, nas empresas de tecnologia. 

Apesar de ser uma conduta natural formar estereótiposessa atitude simplifica nossa visão de mundo, já que tendemos usar os estereótipos para fazer previsões que não serão verdadeiras para todas as pessoas. 

Em um estudo publicado em 2011 por Meltzoff e sua equipeficou claro que crianças do 2º ano escolar (entre anos) já tinham esse estereótipo. A maioria delas achava que matemática era coisa de homemNo entanto, meninos e meninas tinham desempenhos bastante semelhantes 

Pessoas de todos os gêneros podem ter aptidão para matemática na mesma proporção. Por isso, é necessário que quebra desse estereótipo comece com pais e educadores. 

Discalculia

Você já ouviu falar em discalculiaCausada por problemas na formação neurológica, discalculia é a dificuldade de aprender números. Apesar de ser uma dificuldade, não é causada por deficiência mental e baixa escolarização nem tem ligação com indicadores de inteligência. 

As crianças com discalculia não conseguem, por exemplo, identificar sinais matemáticos, montar operações, classificar números, entender medidas e seguir sequências. De modo geral, são conhecidos tipos de discalculia: 

  • Discalculia léxica: dificuldade de ler símbolos matemáticos; 
  • Discalculia gráfica: dificuldade na escrita de símbolos matemáticos; 
  • Discalculia verbal: dificuldade de nomear quantidades, números e símbolos; 
  • Discalculia operacional: dificuldade na execução de operações e cálculos; 
  • Discalculia practognóstica: dificuldade de enumerar, manipular e comparar objetos, reais ou em imagens; 
  • Discalculia ideognóstica: dificuldade em operações mentais e no entendimento de conceitos matemáticos. 

Os pais e professores precisam estar atentos ao problema. Normalmente, a discalculia pode ser tratada com o apoio de equipes psicológicas e pedagógicas.  

7 dicas para estudar matemática com as crianças

7 dicas para estudar matemática com as crianças 

Fonte: Reprodução

Nem sempre as crianças encaram a matemática com algo fácil e divertido. Por isso, separamos 7 dicas para tornar esse aprendizado mais leve. Veja:

1. Evite afirmações negativas 

Frases como “Na sua idade, eu também não aprendi”, “Eu nunca entendi esse assunto” ou “Se você escolher uma profissão de outra área, não irá precisar da matemática”, principalmente quando ditas pelos pais, podem desencorajar a criança a tentar melhorar na matéria. Por isso, troque por “Vamos aprender juntos?” ou “Vamos pesquisar para descobrir como resolver esse exercício?”

2. Use jogos e brincadeiras 

Métodos lúdicos ajudam a criança a se manter concentrada e aprender o conteúdo sem perceber. Jogos tradicionais (como dama, xadrez e até o jogo da velha) são ótimas opções para o aprendizado de lógica e estratégia. Já jogos mais complexos (como Banco Imobiliário) ensinam uma matemática mais avançada, com tomada de decisões e gestão de valores 

Você também pode adaptar outras brincadeiras. Por exemplo, pode criar o “Stop da Tabuada”, com linhas e colunas como na modalidade tradicional, mas com números de 1 a 12 nas categorias. Em seguida, basta sortear o número que deve ser multiplicado. 

3. Monte quebra-cabeças 

Para crianças menores, as versões mais simples ajudam a desenvolver raciocínio espacial. Quebra-cabeças maiores trabalham habilidades ligadas a tamanhos, formas e sequências. 

4. Utilize blocos de construção 

Brincadeiras que demandam construções coerentes e lógicas estimulam o aprendizado de geometria, que desenvolve o trabalho com formas, tamanhos e sequências. Mostre para os pequenos algumas obras arquitetônicas famosas para que eles tenham inspiração e os incentive a criar o próprio projeto. 

5. Estimule a prática de esportes 

Para incluir ainda mais benefícios na atividade esportiva, que tal envolver a matemática para explorar todas as possibilidades de cada modalidade? Por exemplo: 

  • Ginástica rítmica: quantos pontos são precisos para conseguir a classificação? 
  • Futebol: qual deve ser a trajetória de lançamento da bola para alcançar o gol? 
  • Basquete: qual seria o melhor ângulo para fazer um arremesso e marcar 3 pontos? 

6. Trabalhe os números nas compras 

Explore o mundo da matemática no dia a dia. Vá ao mercado com seu filho e fale com ele sobre pesos, medidas e comparações. Peça ao pequeno que faça operações para ajudar nas compras, calculando a quantidade de mercadoria necessária, o valor que foi gasto, o valor do troco, entre outros itens. 

7. Use aplicativos 

O uso do celular é cada vez maior na rotina das crianças. Que taaproveitar esse tempo para atividades educativas que estimulem o interesse pela matemática? Veja alguns aplicativos: 

  • Math is Fun: cheio de cores, esse app é direcionado para crianças de 1 a 5 anospois ensina a reconhecer e ordenar números. 
  • Math Bingo: nesse aplicativo, os pequenos precisam descobrir soluções para equações de somar, subtrair, multiplicar e dividir. 
  • Super-Heróis da Matemática: nesse app, poder dos heróis é fazer das 4 operações matemáticas uma divertida brincadeira, por meio de exercícios interativos. 

Lembre-se de verificar a disponibilidade dos aplicativos para Android e iOS. Os apps Math is Fun e Math Bingo trazem seus conteúdos em inglês. 

O aprendizado da matemática é possível para todas as crianças, ainda que algumas possuam mais ou menos facilidade. Com acompanhamento e estímulos corretos, o desempenho pode se tornar excelente! 

Se você gostou desse artigo com 7 dicas para estudar matemática com as crianças ou se conhece outras maneiras de incentivar o aprendizado, deixe um comentário.  

Você também pode conferir mais textos do Canal do Ensino: 

Bons estudos e até a próxima! 

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo