Você está aqui:Home » Livros Grátis » Literatura Nacional » 7 contos on-line gratuitos para começar a ler autores brasileiros clássicos

7 contos on-line gratuitos para começar a ler autores brasileiros clássicos

Olá, leitor(a)! 

O escritor argentino Julio Cortázar (1914 – 1984) fez uma analogia para explicar as diferenças entre os gêneros conto e romance. De acordo com ele, o romance seria como um filme e oferece várias possibilidades para explorar uma narrativa. Já o conto é como uma fotografia e possui limites físicos que devem ser respeitados. Isso não impacta, entretanto, a qualidade da história, afinal, não é o tamanho de um texto que o torna mais trabalhado ou complexo.  

O formato, inclusive, pode ser uma ótima opção para introduzir leitores e leitoras no mundo literário, principalmente com as novas dinâmicas sociais — completamente influenciadas pela rapidez do mundo digital. Pensando nisso, e para valorizar as produções literárias do nosso país, selecionamos 7 contos on-line gratuitos para começar a ler autores(as) brasileiros(as) consagrados(as). 

A importância de ler autores(as) brasileiros(as) clássicos(as) 

No livro Por que ler os clássicos (1991), o escritor Italo Calvino (1923 – 1985) disse que a melhor resposta para essa pergunta seria algo como: porque é melhor que não os ler. Várias discussões nos levaram (e ainda levam) a refletir sobre essa questão, a principal delas envolve a definição do que seria ou não considerado um clássico. Nesse sentido, o contista e romancista italiano enumerou várias características que enquadram obras nessa classificação.  

Entre os conceitos dados pelo autor, destacamos o que diz que clássicos são aqueles que vivem sendo indicados e comentados, mas, quando os lemos, nos oferecem ainda mais interpretações e prazeres do que esperávamos. Ainda, clássico é o que gera burburinho, mesmo transcorridos muitos anos desde sua primeira publicação, e nos faz dividir a linha do tempo das nossas vidas em antes e depois de o conhecer. 

Isso porque, ao realizarmos a leitura deles, passamos a analisar quem somos e projetar quem queremos nos tornar. Seguindo essa linha de raciocínio, ler autores(as) brasileiros(as) clássicos(as) deve ser uma meta a se alcançar antes de morrer. Não só pelos motivos que os(as) definem assim, mas também porque, por meio de suas histórias, compartilham e nos apresentam várias faces do Brasil.  

Dessa forma, além de valorizarmos as produções literárias do país, enriquecemos nosso repertório crítico, histórico e cultural, consequentemente, ampliamos nossa visão de mundo e nossa capacidade de lidar com diferentes tipos de pessoas e situações. Portanto, ler livros e autores(as) clássicos é extremamente importante para a promoção de uma sociedade melhor e mais diversa.

7 contos on-line gratuitos para começar a ler autores(as) brasileiros(as) clássicos(as)

Para que você inicie essa aventura literária da melhor maneira possível, listamos 7 contos on-line gratuitos que você deve conhecer para começar a ler autores(as) brasileiros(as) clássicos(as). Vejamos a seguir:  

7 contos on-line gratuitos para começar a ler autores brasileiros clássicos

Fonte: Reprodução

1. A espera

Criado sob encomenda, para homenagear a Grécia, esse conto foi publicado em 1981. A autora Lygia Fagundes Telles (1918 – 2022), ou “a dama da literatura brasileira”, como ficou conhecida, aborda dois temas muito discutidos em nossa sociedade: amor e liberdade. A narrativa nos apresenta a história de Nikos e Marghí, que se reencontram uma década depois de Nikos ter abandonado a namorada para viajar pelo mundo. Ficou curioso(a) para saber o que acontece? Então clique aqui e leia.   

2. Cinco minutos

Esse conto foi escrito por José de Alencar (1829 – 1877), um dos mais importantes nomes da literatura romântica e indianista do Brasil, no ano de 1856. A história tem o Rio de Janeiro como palco e mostra que alguns acontecimentos ruins, como estar atrasado(a) para pegar o ônibus, podem trazer vários outros benefícios. Neste caso, o protagonista acaba conhecendo o grande amor da vida dele. Quer ver como essa narrativa cheia de drama, encontros e desencontros termina? Então clique aqui para ler. 

3. Demônios

Primeiro livro de contos de Aluísio Azevedo (1857 – 1913), publicado em 1893, Demônios é também o nome do conto que inicia a obra. Sem saber se o que estava vivendo era real ou alucinação, o protagonista acorda em um mundo morto e dominado pela escuridão. O Sol simplesmente não surgia e todas as pessoas haviam morrido. Se você quer descobrir como a história continua e o que é verdade ou não, clique aqui para ler.  

4. O moleque

Parte do livro Histórias e Sonhos (1920), esse conto é considerado uma das melhores narrativas do gênero escritas por Lima Barreto (1881 – 1922). Nele, o escritor negro inicia um movimento diferente do que até então era feito e lança um novo olhar sobre a favela, valorizando as pessoas que ali residiam. Assim, conhecemos a vida de Felismina, uma baiana que criava o filho sozinha e morava na única casa de tijolo do lugar. Que tal conhecer essa história, que pode ser vista como a realidade de muitas pessoas no Brasil? Então clique aqui para ler. 

5. O pecado

Olavo Bilac (1865 – 1918) foi o principal representante do Parnasianismo (escola literária que buscava recuperar uma estética que valorizava a forma acima de qualquer coisa) e, apesar de se destacar mais na poesia, escreveu vários contos. Neste, o autor narra a ida de Anacleta para a igreja. Angustiada com os pecados que deve confessar e temendo as penitências do rigoroso padre Roxo, ela encontra uma amiga no caminho. A história acaba de um jeito bem inusitado. Ficou curioso(a)? Então clique aqui para ler.  

6. Teoria do medalhão

Marcado pela típica ironia de Machado de Assis (1839 – 1908) e sua capacidade de realizar um exímio retrato social, esse conto faz parte da coletânea Papéis Avulsos (1882). Nele, uma simples conversa entre pai e filho sobre o futuro deste resulta em grandes reflexões e análises dos comportamentos da aristocracia brasileira. Quer saber o que um medalhão tem a ver com tudo isso? Então clique aqui para ler. 

7. Um modelo de marido

Dono da cadeira n° 2 da Academia Brasileira de Letras, Coelho Netto (1864 – 1934) foi um escritor que explorou vários gêneros da literatura. A partir da página 187 da coletânea A Bico de Pena: Fantasias, Contos e Perfis, que reúne textos de 1902 e 1903, encontra-se este conto. Nele, a narrativa inicia admirando Bertholeza, que, descobrimos em seguida, já havia falecido. O modelo de marido, como assim se descreve, é o viúvo dela. Ficou curioso(as) para entender o motivo? Então clique aqui para ler. 

Conteúdo extra 

Se você ainda não se convenceu a ler livros e autores(as) clássicos, recomendamos que acompanhe o canal Vá ler um livro, disponível no YouTube. Nele, a jornalista e leitora Tatiany Leite apresenta vários aspectos da literatura clássica e contemporânea de forma divertida. A ideia é incentivar a leitura e democratizar o acesso ao conhecimento proporcionado pelas obras literárias.  

O canal já conta com mais de 200 mil inscritos e possui vídeos em diversos formatos, de resenhas de livros a conteúdos voltados para concursos e vestibulares. Além disso, ainda aborda escolas literárias e faz biografias de autores(as) como Pagu e Graciliano Ramos. Para obter mais informações e acessar o material, clique aqui.  

E aí, preparado(a) para conhecer histórias fascinantes e aumentar sua bagagem literária? Lembre-se de compartilhar nosso artigo com os(as) amigos(as) e começar a ler com eles(as), de repente surge até um “Clube do Conto”. 

No Canal do Ensino, leia também: 

Boa leitura e até breve!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo