Você está aqui:Home » Dicas » Filmes » 25 filmes para quem ama história

25 filmes para quem ama história

Olá, leitores!

A maioria das pessoas já deve ter ouvido a frase: “devemos estudar o passado para não cometermos o mesmo erro no futuro” e, essa é uma das diretrizes da História. Ela é universal e faz parte do dia a dia. Para unir entretenimento ao conhecimento, trazemos aqui uma lista com 25 filmes para quem ama história.

A história é uma ciência que estuda a vida do homem através do tempo. Ela investiga o que os homens fizeram e pensaram, então, ao estudar a história analisamos o que os homens foram e fizeram, e isso nos ajuda a entender o que podemos ser e fazer.

E que melhor maneira de fazer isso do que através de filmes? Alguns podem não ser totalmente fiéis aos fatos como realmente aconteceram, já que se tratam de ficção, mas são um bom complemento de estudos e geradores de questionamentos eficazes.

25 filmes sobre história

O Encouraçado Potemkin (1925)

Direção: Sergei M. Eisenstein

Em 1905, na Rússia czarista, aconteceu um motim que antecedeu a Revolução de 1917. Tudo começou no navio de guerra Potemkin, quando os marinheiros estavam cansados de serem maltratados, sendo que até carne estragada servia de alimento, com o médico de bordo insistindo que ela era perfeitamente boa. Alguns marinheiros se recusam a comer esta carne, então os oficiais do navio ordenam a execução deles.

Napoleão (1927)

Direção: Abel Gance

Pelas suas modernas técnicas narrativas e de filmagem, o filme de Abel Gance é considerado um dos mais marcantes filmes mudos da história. O longa mostra desde a infância de Napoleão até a invasão da Itália pelo exercito francês em 1797. Este seria o primeiro de uma série de seis filmes, que não chegaram a ser realizados.

Tempos Modernos (1939)

Direção: Charlie Chaplin

Um operário de uma linha de montagem, que testou uma “máquina revolucionária” para evitar a hora do almoço, é levado à loucura pela “monotonia frenética” do seu trabalho. Depois de um período no sanatório, ele se cura da crise nervosa, mas desempregado.

charles-chaplin-e-um-menino

Ivan, o Terrível – Parte I (1944)

Direção: Sergei M. Eisenstein

Em 1547, Ivan IV (1530-1584), arquiduque de Moscou, se auto-proclama o Czar de Rússia e se quer retomar territórios russos perdidos. Para superar as dificuldades, Ivan manipula as pessoas e consolida seu poder.

Julgamento em Nuremberg (1961)

Direção: Stanley Kramer

Após a 2ª Guerra Mundial um juiz americano é convocado para chefiar o julgamento de quatro alemães responsáveis pela legalização dos crimes cometidos pelos nazistas durante a guerra. No elenco estão Spencer Tracy, Burt Lancaster, Marlene Dietrich, Judy Garland, Montgomery Clift e William Shatner. O filme venceu 2 Oscars.

Lawrence da Arábia (1962)

Direção: David Lean

Em 1916, em plena Primeira Guerra Mundial, o jovem tenente do exército britânico no Cairo pede transferência para a península arábica, onde vem a ser oficial de ligação entre os rebeldes árabes e o exercito britânico, aliados contra os turcos. Lawrence, admirador confesso do deserto e do estilo de vida beduíno, oferece-se para ajudar os árabes a se libertarem dos turcos.

O Leopardo (1963)

Direção: Luchino Visconti

O filme se passa na Sicília, na época do processo de unificação da Itália. O príncipe Don Fabrizio Salina (Burt Lancaster) testemunha a decadência da nobreza e a ascensão da burguesia, lutando para manter seus valores em meio a conturbações políticas.

Doutor Jivago (1965)

Direção: David Lean

O filme conta sobre os anos antes, durante e após a Revolução Russa pela ótica de Yuri Zhivago (Omar Sharif), um médico e poeta.

Z (1969)

Direção: Costa-Gavras

O filme fala sobre o caso Lambrakis, onde a morte de um político foi encoberta por políticos e policiais, na Grécia dos anos 60. Vencedor dos Oscars de Melhor Filme Estrangeiro e Edição, foi o primeiro filme a ser indicado também na categoria Melhor Filme.

Monty Python em Busca do Cálice Sagrado (1975)

Direção: Terry Jones, Terry Gilliam

Sátira da Idade Média, este filme segue na direção contrária das diversas produções que retratam o período. O grupo inglês Monty Python satiriza reis, cavaleiros e até a caça às bruxas.maquina-fotografica-antiga

A Guerra do Fogo (1981)

Direção: Jean-Jacques Annaud

Bom exemplo para ser usado como introdução à psicologia para mostrar a natureza humana primitiva. A produção mostra uma reconstituição da pré-história, tendo como eixo a descoberta do fogo. A saga de uma tribo e seu líder, Naoh, que tenta recuperar o precioso fogo recém-descoberto e já roubado. Ele encontra três outras tribos, cada uma em um estágio diferente de evolução, caminhando para a atual civilização em que vivemos.

Danton – O Processo da Revolução (1983)

Direção: Andrzej Wajda

Em 1794, Danton (Gérard Depardieu) volta a Paris e vê que o Comitê de Segurança, sob a influência de Robespierre (Wojciech Pszoniak), começa a fazer várias execuções em massa. O povo, que já passava fome, agora vive sempre com medo, pois qualquer coisa que desagrade o comando é considerado um ato contra-revolucionário. Nem mesmo Danton, um dos líderes da Revolução Francesa, escapa.

O Nome da Rosa (1986)

Direção: Jean-Jacques Annaud

O filme se passa em 1327 quando William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano, e Adso von Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um mosteiro retirado no norte da Itália. Baskerville quer participar de uma votação para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas tudo muda quando vários assassinatos começam a acontecer no mosteiro. Ele passa a investigar o caso e ainda tem que enfrentar a crença de alguns religiosos que acreditam que tudo é obra do Demônio.

Platoon (1986)

Direção: Oliver Stone

Chris (Charlie Sheen) é um jovem recruta que acabou de chegar a um batalhão americano, na Guerra do Vietnã. Ele era um voluntário idealista para lutar no conflito, pois acreditava que devia defender seu país, assim como fez seu avô e seu pai em outras guerras. Mas aos poucos, devido a convivência com os demais recrutas e oficiais, ele vai perdendo sua inocência e passa a experimentar de perto toda a violência e loucura de uma verdadeira carnificina sem sentido.

A Rainha Margot (1994)

Direção: Patrice Chéreau

No século XVI um casamento de conveniência é arranjado com o objetivo de manter a paz. A união entre a católica Marguerite de Valois, a rainha Margot (Isabelle Adjani), e o nobre protestante Henri de Navarre (Daniel Auteuil) tinha como meta unir dois lados religiosos. Só que o casamento foi tão político que os noivos não são obrigados nem a dormirem juntos. Devido às intrigas palacianas, acontece a Noite de São Bartolomeu, na qual milhares de protestantes foram mortos. Após isto Margot se envolve com um protestante que está sendo perseguido.

O Que é Isso, Companheiro? (1997)

Direção: Bruno Barreto

Depois do golpe militar que derruba o governo brasileiro em 1964, manifestações políticas se alastram pelo país e em dezembro de 1968 é promulgado o Ato Constitucional nº 5, que acabava com a liberdade de imprensa e os direitos civis. Nessa época, estudantes se envolvem com a luta armada, entrando na clandestinidade. Em 1969, militantes do MR-8 planejam sequestrar o embaixador dos Estados Unidos (Alan Arkin) para trocá-lo por prisioneiros políticos.

A Língua das Mariposas (1999)

Direção: José Luis Cuerda

O pequeno Moncho vivia uma época de transformações pessoais já que estava começando na escola, fazendo novos amigos e descobrindo novas coisas. Mas aí começa a Guerra Civil Espanhola, quando ele vai conhecer a difícil realidade de seu país. O regime republicano luta contra rebeldes fascistas em meio ao povo dividido. O pai e o professor do menino são republicanos, mas, com os rebeldes ganhando mais poder, sua vida vira de cabeça para baixo.

filmes-para-estudar-historia

Foto: Reprodução

Nós que aqui estamos por vós esperamos (1999)

Direção: Marcello Masagão.

Documentário com recortes biográficos reais para representar o século XX e toda sua efervescência, sem seguir a típica e didática linha cronológica dos documentários tradicionais. Com uma mescla de música, citações, imagens de personalidades conhecidas e anônimas, temos um retrato do século XX, incluindo seus grandes pensadores, os dois grandes conflitos mundiais, as invenções, a mudança da presença feminina na sociedade e as diversas outras transformações que se sucederam.

Diários de Motocicleta (2004)

Direção: Walter Salles

Che Guevara (Gael García Bernal) era um jovem estudante de Medicina que, em 1952, decide viajar pela América do Sul com seu amigo Alberto Granado (Rodrigo de la Serna). Porém, quando chegam a Machu Pichu, a dupla conhece uma colônia de leprosos e passam a questionar a validade do progresso econômico da região, que privilegia apenas uma pequena parte da população.

A Queda – As Últimas Horas de Hitler (2004)

Direção: Oliver Hirschbiegel

Traudl Junge (Alexandra Maria Lara) trabalhava como secretária de Adolf Hitler (Bruno Ganz) durante a 2ª Guerra Mundial. Ela narra os últimos dias do líder alemão, que estava confinado em um quarto de segurança máxima.

Tiros em Ruanda (2005)

Direção: Michael Caton-Jones

Ruanda. Durante 30 anos, o governo de maioria Hutu perseguiu a minoria Tutsi. Pressionado pelo ocidente, o governo aceitou dividir o poder com os Tutsis, mesmo contra a vontade. Porém em 6 de abril de 1994 tem início um genocídio, que mata quase um milhão de pessoas em apenas 100 dias. Neste contexto um padre inglês e seu ajudante tentam fazer o que podem para ajudar a minoria Tutsi, mesmo tendo a opção de partirem para a Europa.

A Culpa é do Fidel! (2006)

Direção: Julie Gavras

Anna de la Mesa (Nina Kervel-Bey) tem 9 anos, mora em Paris e leva uma vida regrada e tranqüila, dividida entre a  escola católica e o entorno familiar. O ano é 1970 e a prisão e morte do seu tio espanhol, um comunista convicto, balança a família. Ao voltar de uma viagem ao Chile, logo após a eleição de Salvador Allende, os pais de Anna estão diferentes e a vida familiar muda por completo: engajamento político, mudança para um apartamento menor, trocas constantes de babás, visitas inesperadas de amigos estranhos e barbudos. Assustada com essa nova realidade, Anna resiste à sua maneira. Aos poucos, porém, realiza uma nova compreensão do mundo.

O Último Rei da Escócia (2006)

Direção: Kevin Macdonald

O filme mostra os acontecimentos reais na Uganda durante os anos 70, quando o ditador Idi Amin (Forest Whitaker, ganhador do Globo de Ouro e ganhado Oscar por este papel) exercia seu poder. A história é narrada pelo ponto de vista de seu médico pessoal.

A Onda (2008)

Direção: Dennis Gansel

Rainer Wegner, professor de ensino médio, deve ensinar seus alunos sobre autocracia. Devido ao desinteresse deles, propõe um experimento que explique na prática os mecanismos do fascismo e do poder. Wegner se denomina o líder daquele grupo, escolhe o lema “força pela disciplina” e dá ao movimento o nome de A Onda. Em pouco tempo, os alunos começam a propagar o poder da unidade e ameaçar os outros. Quando o jogo fica sério, Wegner decide interrompê-lo. Mas é tarde demais, e A Onda já saiu de seu controle. Baseado em uma história real ocorrida na Califórnia em 1967.

Xingu (2012)

Direção: Cao Hamburger

O filme conta a trajetória dos irmãos Vilas Bôas (Orlando, Leonardo e Cláudio) que participaram de forma decisiva na expedição Roncador-Xingu – que teve início ainda durante o governo Vargas. Os irmãos também foram figuras fundamentais na criação do parque nacional do Xingu. No filme podemos observar a relação e os primeiros contatos com tribos nativas ainda isoladas.

Filmes para estudar história. Filmes para conhecer história. Filmes para quem ama história. Aproveite!

Até a próxima!

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo