Você está aqui:Home » Dicas » Professores » 20 ferramentas para usar na sala de aula

20 ferramentas para usar na sala de aula

Olá, leitor!

Existem ferramentas para usar na sala de aula? 

Os educadores de modo geral procuram recursos para facilitar o seu cotidiano. Muitas vezes nos debruçamos em vários livros, artigos e pesquisas para tentar solucionar algum problema ou desafio que estamos enfrentando.

Para facilitar sua pesquisa, vamos falar sobre as 20 principais ferramentas para usar na sala de aula. Confira!

Conheça 20 ferramentas para usar na sala de aula

20-ferramentas-para-usar-na-sala-de-aula_Prancheta 1

1 – Disciplina Conexão

Um grande problema é indisciplina, há um estudo da “Disciplina Positiva” que preconiza a solução para este problema. A disciplina de Conexão é a primeira ferramenta que destacamos, mas como ela funciona?

Todo aluno precisa sentir-se pertencente ao grupo, necessitam ser notados pelos colegas e pelos professores. Os educandos necessitam perceber que os seus educadores se importam com eles. Uma dica é sempre falar olhando-os nos olhos, utilizando sempre seus nomes, recebendo eles com sorriso, não importa se há um problema, a recepção é fundamental para aliviar a tensão.

2 – Habilidade de vida ou valores

Infelizmente na correria, tendo que cumprir o conteúdo programático, muitos professores se esquecem de ensinar as habilidades de vida, ou seja, os valores que antigamente eram ensinados em casa.

Porém, com a demanda social, as mães tendo que trabalhar fora e muitas vezes sustentar a família, não há tempo para ensinar os valores a seus filhos. Estas crianças estão sendo criadas por terceiros que muitas vezes, não fornecem estes princípios básicos, como:

  • Cooperação;
  • Habilidade de resolução de problemas;
  • Respeito mútuo;
  • Responsabilidade;
  • Habilidades de comunicação respeitosas, entre outros.

Concordamos que não é incumbência do docente, porém, sem estas habilidades os alunos na maioria das vezes se tornam prepotentes e presunçosos.

Então, muitas vezes vale a pena aproveitar cada comportamento desafiador na sala de aula para ensinar estas habilidades sócio emocionais que te auxiliaram ao longo do ano. Sejamos empáticos, utilizando de gentilezas, porém firmes.

3 – Oferecendo escolhas limitadas

Uma habilidade necessária aos educandos é a resolução de problemas, para desenvolvê-la necessitamos no início oferecer escolhas limitadas. Muitos alunos se perdem quando visualizam muitas opções de resolução, quando limitamos, propiciamos maior foco e com isso a tarefa se torna mais fácil.

Aos poucos devemos introjetar mais opções e dessa forma alteramos o grau de dificuldade da tarefa. Outra estratégia é apresentar o problema que é considerado difícil mostrando que as escolhas podem ser soluções.

Outra dica é fornecer as opções de resolução de tarefas, se o aluno prefere realizar sozinho ou com a ajuda de um colega. Mas combinando que ambos necessitam trabalhar e não somente copiar. Ao passo que fornecemos opções, os alunos se sentem importantes e pertencentes ao grupo.

4 – Combinados em sala de aula

Normalmente no início do ano letivo, os professores estabelecem com os alunos as regras da sala de aula. Porém, na educação tradicional, os professores punem os alunos quando as regras não são seguidas. Vamos recordar algum tipo de punição: perder o recreio, escrever vinte vezes no quadro negro, bilhetes para casa, advertências, entre outras.

Nos modelos permissivos de educação, preconizam que não há necessidade de regras, com o argumento que as regras podem limitar a criatividade e a liberdade das crianças. Em outros modelos educacionais acredita-se que os combinados ou as regras de uma sala de aula, são importantes e devem ser definidas em grupo.

Uma dica de se optar em realizar as regras e combinados em conjunto com os alunos, é elencar tudo o que se pode ou não fazer em sala de aula. Depois, realizar a votação verificando os itens mais votados e porque estes são importantes. Os alunos percebem que necessitam cumpri-las para agradar o grupo, assim tende a funcionar melhor e com maior harmonia.

5 – Aulas expositivas ou argumentativas

Muitas vezes por conta de nossa demanda, privilegiamos as aulas expositivas, onde o professor fala e os alunos ouvem. Porém, muitos se queixam que os alunos não escutam e ficam dispersos, são indisciplinados.

Quando assistimos a uma aula, temos um tempo de concentração. Se o professor durante o discurso faz perguntas e propõe a resolução de problemas, os alunos ficam mais atentos. Uma estratégia é pedir que os alunos te façam perguntas sobre o tema a ser estudado.

Ao questionar, você promove a reflexão e convida os alunos a colaborarem com a aula. Afinal, precisamos educar para que nossos alunos sejam cidadãos críticos e colaborativos que aprendam a pensar, a resolver problemas e a tomar decisões.

6 – Aulas na sala de informática

A sala de informática é um ótimo recurso audiovisual muito utilizado. Estas aulas podem ser iniciadas com jogos educativos, criação de blogs e sites, desenvolvimento de e-book, utilização das ferramentas da google educacional, iniciação a robótica, entre outras.

Lembrando que as aulas devem ser planejadas de acordo com o conteúdo que está sendo trabalhando em sala de aula. Favorecendo assim, a assimilação dos conteúdos.

7 – Celulares e Tablets

Muitos professores consideram que o celular e o tablet são inimigos porque tiram a atenção dos alunos. Mas eles podem se tornar aliados quando se faz bom uso desta tecnologia. Lembrando que o uso deve ser orientado e monitorado pelo professor.

Os alunos devem aprender o uso correto desta tecnologia em sala de aula. Vejamos alguns exemplos:

  • Consulta ao dicionário;
  • Consulta aos mapas;
  • Visualização de uma obra de arte;
  • Visualização de um local que está sendo estudado;
  • Realização de trabalhos em grupos;
  • Videoconferência, entre outras.

8 – Uso dos aplicativos educacionais

Como comentamos acima, os celulares e tablets podem fazer parte no dia a dia dos alunos em sala de aula, desde que utilizados com supervisão do professor. Falando um pouco dos aplicativos educacionais, eles foram criados para complementar e apoiar o processo de ensino e aprendizagem.

Atualmente, existem inúmeros aplicativos ou apps voltados para o ensino, desde a educação infantil até o ensino superior. Eles fornecem desde explicações de algum conteúdo especifico até a aprendizagem de diferentes línguas.

9 – Uso dos Jogos Educacionais

Os jogos são um grande aliado porque podem auxiliar em diferentes materiais além de descontrair. Vejamos um jogo de fazenda por exemplo: O objetivo do jogo é: o cultivo de plantas, cuidar de animais e construir uma fazenda. Em contrapartida, observemos os conteúdos que podem ser explorados:

Na Matemática: resolução de problemas com as quatro operações, probabilidade, medida de tempo e valores. Sugestões de questões: valor gasto para comprar o terreno, a plantação de trigo e uma vaca; Vender o trigo ou dar comida para a vaca, o que é mais lucrativo? Vender o leite ou fazer queijo, e assim sucessivamente.

Na Língua Portuguesa: leitura, escrita e interpretação. Em Ciências Naturais e Sociais: Zona rural, animais, modo de vida, modo de fabricação.

Caso você tenha acesso a internet, é possível procurar jogos que contenham o conteúdo que está sendo trabalhado nas aulas, estes jogos podem ser utilizados como uma revisão. Há também jogos que você poderá baixar com o Powerpoint, como por exemplo, o Jeopardy, que é um jogo de perguntas e respostas, as perguntas mais difíceis valem mais pontos.

10 – O uso da Escrita

Muitas pessoas acreditam que o computador e a internet são os vilões da escrita. Porém, há uma infinidade de tarefas e ações que podem ser utilizadas para a pratica da escrita e da leitura. Notem algumas atividades:

  • Escrita de um e-mail para outro aluno da classe, da escola, de outras escolas, de outras cidades, de outros estados e até de outros países;
  • Escrita de uma resenha ou resumo de um livro;
  • Escrita de uma notícia para o site ou blog da escola;
  • Escrita de uma sugestão de livro ou filme para as férias;
  • Escrita de estratégias de um jogo que os colegas compartilham, entre outras.

11 – Manual de orientações

A maioria dos alunos gostam de ser úteis, uma sugestão, é a redação de manual de orientações. Ele pode ser um guia para os avós sobre como acessar a web; um guia aos pais sobre como enviar e-mails; um guia para o pai quando a mãe não está presente, com horário e alertas para a organização, entre outros.

12 – Criação de roteiros e filmes

A criação de roteiros e filmes auxiliam muito a escrita, a revisão de texto e de um conteúdo específico. Vejamos um exemplo para inovar as aulas de ciências do ensino fundamental I: A professora divide os alunos da classe e pede que eles façam alguns relatos de experiências e filmem.

Cada grupo ficará com uma experiência de mudanças de estados físicos:

  • Fusão;
  • Vaporização ou Ebulição e Evaporação;
  • Solidificação;
  • Liquefação ou Condensação;
  • Sublimação.

Lembrando-os que irão necessitar da ajuda de um adulto para os experimentos.  Primeiramente, esboçam um plano de ação (como irão realizar a experiência?). Depois, escolhem a pessoa que irá auxiliá-los e escrevem o bilhete. Separam os materiais e verificam os personagens.

Em seguida inicia-se a filmagem, após concluir, assistem fazendo os ajustes. Escrevem o relatório que irão entregar a professora, preparam a apresentação para a turma.

Ao analisar todas essas ações, verifica-se que a aprendizagem será muito significativa a medida que elaboram o plano, o roteiro, o convite, o relatório e a apresentação. Isso faz com que eles exercitem muito a escrita, a leitura e a interpretação.

Ao filmarem a experiência, e depois assistirem à apresentação dos outros colegas, há uma melhor compreensão do conteúdo, pois é mais fácil fixá-lo.

13 – Criação ou versão de músicas

As músicas podem ser trabalhadas em diferentes etapas do ensino, desde o conteúdo básico até o ensino de língua estrangeira. Na educação infantil, há diversas músicas que ensinam a contar, as letras, as formas entre outros conteúdos.

Uma dica para os maiores, é escrever paródias ou versões de uma música que os alunos gostam adaptando o conteúdo ao que está sendo estudado. Já os professores de língua estrangeira podem utilizar diferentes canções para a tradução ou análise gramatical.

14 – Criação de um Blog

Atualmente há inúmeros blogs criados e mantidos por crianças e adolescentes. É importante recordar que se tomar a decisão de criá-lo em conjunto com os alunos, deve-se primeiro falar com os pais ou responsáveis.

Tendo a permissão dos responsáveis, os alunos poderão esboçar um plano de ação para o blog. Se optarem por realizá-lo coletivamente, os alunos devem decidir quem ficará responsável por cada categoria ou setor. Vejamos algumas sugestões para blogs colaborativos:

  • Colocar dicas de sites interessantes;
  • Materiais que sejam proveitosos para a aprendizagem;
  • Anúncios se há algum genitor que é vendedor;
  • Fotos de eventos da escola;
  • Eventos da escola ou da comunidade;
  • Links escolares;
  • Entrevistas, entre outros.

Uma outra possibilidade é a criação de usuários, onde estes podem compartilhar tarefas, pesquisas, redações, explorando ao máximo a produção escrita e a interação dos alunos.

15 – Uso de um Site

Atualmente há diversos sites educacionais que propõe desde jogos até conteúdos de pesquisa. Muitos são produzidos por professores e educadores, porém alguns não são considerados como uma fonte segura. Todos os educandos podem encontrar qualquer conteúdo nos sites, basta aprender a utilizá-los.

16 – O uso do Google Acadêmico

A Google possui muitas ferramentas que auxiliam o estudante a realizar pesquisas. O google Acadêmico é uma ferramenta que permite realizar pesquisas, salvar e comentar. Você pode deixá-la salva em seu perfil ou compartilhar com amigos ou com o professor. Além de escrever seus próprios artigos.

17 – O uso do Google Drive

A ferramenta google drive possibilita aos professores e aos alunos o armazenamento, a construção e edição de textos e planilhas de forma coletiva. O professor pode postar as tarefas no Excel colocando prazos e compartilhar aos alunos.

Outra dica é a utilização para trabalhos em grupo, onde todos os integrantes podem acessar a pesquisa, escrever e fazer comentários virtualmente. O professor pode acompanhar o desenvolvimento da tarefa e fazer apontamentos se necessário.

Cada pessoa pode ter uma conta com 15 GB de armazenamento gratuito para textos, fotos, desenhos, gravações, entre outras.

18 – O uso do Hangout

Esta ferramenta permite que o professor faça uma videoconferência de forma remota. Permitindo que todos participem ativamente das discussões, independente de sua localização. Após a transmissão ao vivo, você poderá compartilhá-la utilizando o YouTube.

19 – O uso do Google Earth

Esta ferramenta te possibilita a viajar para qualquer lugar do mundo, conhecendo localidades e criando apresentações. Com o auxílio da ferramenta Street View, é possível também acessar o Ocean View. Quando se necessita ou trabalha com o ambiente marítimo ou com a composição da vida oceânica, esta é uma ótima possibilidade de visualizar as imagens submarinas de várias partes do mundo.

20 – O uso do Instituto Cultural Google

Esta ferramenta foi desenvolvida para à localização de monumentos, museus, entre outros lugares com a possibilidade de estudar fatos de importância histórica.

Com o uso desta ferramenta o aluno pode conhecer:

  • Os patrimônios históricos da humanidade;
  • Visualizar locais distantes;
  • Visitar exposições;
  • Criar acervos de pesquisa;
  • Compartilhar conteúdo.

Veja o infográfico com 20 ferramentas para usar na sala de aula

20-ferramentas-para-usar-na-sala-de-aula-01

Estas ferramentas foram escolhidas para você educador, espero que lhe auxilie.

Até breve!

Deixe um comentário

© 2012-2018 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo