Você está aqui:Home » Livros Grátis » Literatura Nacional » 15 Poemas para Inspirar

15 Poemas para Inspirar

Olá,

Vamos parar um pouco para ler um poema? Muitas pessoas não têm costume de ler poemas, mas eles são uma forma muito interessante de expressão e pode ter certeza que se começar a ler vai gostar. Para te incentivar a ler poemas, vamos mostrar aqui 15 poemas para inspirar, são poemas lindos que realmente vão fazer você refletir e te inspirar.

Separamos poemas de diversos escritores, alguns conhecidos e outros nem tanto, mas todos são poemas para inspirar, por isso leia cada um deles com muita atenção e reflita no que eles querem falar. Muitas vezes um poema pequeno pode trazer uma enorme reflexão e entendimento da vida.

Confira 15 Poemas para Inspirar

Pra que Chorar… – Vinicius de Moraes
Pra que chorar
Se o sol já vai raiar
Se o dia vai amanhecer
Pra que sofrer
Se a lua vai nascer
É só o sol se pôr
Pra que chorar
Se existe amor
A questão é só de dar
A questão é só de dor

Quem não chorou
Quem não se lastimou
Não pode nunca mais dizer
Pra que chorar
Pra que sofrer
Se há sempre um novo amor
Em cada novo amanhecer

Carlos Drummond de Andrade

O mundo é grande e cabe
nesta janela sobre o mar.
O mar é grande e cabe
na cama e no colchão de amar.
O amor é grande e cabe
no breve espaço de beijar.

Cecília Meireles

Meus companheiros amados,
não vos espero nem chamo:
porque vou para outros lados.
Mas é certo que vos amo.

Nem sempre os que estão mais perto
fazem melhor companhia.
Mesmo com sol encoberto,
todos sabem quando é dia.

A maior riqueza do homem – Manoel de Barros
A maior riqueza do homem é a sua incompletude.

Nesse ponto sou abastado.
Palavras que me aceitam como sou – eu não aceito.
Não aguento ser apenas um sujeito que abre portas, que puxa válvulas, que olha o relógio,
que compra pão às 6 horas da tarde,
que vai lá fora, que aponta lápis, que vê a uva etc. etc.
Perdoai
Mas eu preciso ser Outros.
Eu penso renovar o homem usando borboletas.

Francisco Octaviano

Quem passou pela vida em branca nuvem,
E em plácido repouso adormeceu;
Quem não sentiu o frio da desgraça,
Quem passou pela vida e não sofreu,
Foi espectro de homem, não foi homem,
Só passou pela vida, não viveu.

Adão Ventura

minha carta de alforria
não me deu fazendas,
nem dinheiro no banco,
nem bigodes retorcidos.

minha carta de alforria
costurou meus passos
aos corredores da noite
de minha pele.

Aninha e suas pedras – Cora Coralina
Não te deixes destruir…
Ajuntando novas pedras
e construindo novos poemas.
Recria tua vida, sempre, sempre.
Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça.
Faz de tua vida mesquinha
um poema.
E viverás no coração dos jovens
e na memória das gerações que hão de vir.
Esta fonte é para uso de todos os sedentos.
Toma a tua parte.
Vem a estas páginas
e não entraves seu uso
aos que têm sede.

Adélia Prado

Uma ocasião,
meu pai pintou a casa toda
de alaranjado brilhante.
Por muito tempo moramos numa casa,
como ele mesmo dizia,
constantemente amanhecendo.

O arriscar – Vinícius Vargas
Existe situações no qual nos confunde, nos balança, nos encanta.
As vezes estamos estruturados, estabilizados e jamais arriscariamos em algo que nao foi planejado.
Mas a vida nao teria graça se tudo fosse correto, concreto, sem aquele gostinho do incerto.
Aos olhos dos outros uma loucura, da minha mente uma aventura, no qual desafia minha estrutura.
Enquanto muitos nao faria, eu faço. Deixando pra trás todos os laços. Com medo de cair a cada passo.
E a loucura se torna coragem, com um tom de selvagem, um instinto sem nenhuma margem.
Se vai dar certo eu nao sei, so sei que arrisquei, sem ter medo se perdi ou se ganhei.
Eu jogo pra ganhar, nao sei perder sem lutar, enquanto muitos pensam eu quero jogar.
Sera que vale lutar por tudo isso? Assumir com si proprio um compromisso? De tentar apostar nisso?
Eu prefiro descobrir tentando, Como em um jogo eu estou apostando, a certeza so terei arriscando.
Arrisque!

Pio Vargas

Depois que eu voltar
de dentro das molduras
apago os meus retratos
invento outras figuras

convoco os meus fantasmas
convido mil demônios
e dou posse a todos eles
no governo dos neurônios.

Marcos Caiado
você disse some
e eu somei

eu disse some
e você sumiu

Humildade – Cora Coralina

Senhor, fazei com que eu aceite
minha pobreza tal como sempre foi.

Que não sinta o que não tenho.
Não lamente o que podia ter
e se perdeu por caminhos errados
e nunca mais voltou.

Dai, Senhor, que minha humildade
seja como a chuva desejada
caindo mansa,
longa noite escura
numa terra sedenta
e num telhado velho.

Que eu possa agradecer a Vós,
minha cama estreita,
minhas coisinhas pobres,
minha casa de chão,
pedras e tábuas remontadas.
E ter sempre um feixe de lenha
debaixo do meu fogão de taipa,
e acender, eu mesma,
o fogo alegre da minha casa
na manhã de um novo dia que começa.”

Chacal

Vai ter uma festa
que eu vou dançar
até o sapato pedir pra parar.

Aí eu paro
tiro o sapato
e danço o resto da vida.

Mario Quintana

Quem faz um poema abre uma janela.
Respira, tu que estás numa cela abafada,
esse ar que entra por ela.
Por isso é que os poemas têm ritmo
— para que possas profundamente respirar.
Quem faz um poema salva um afogado.

Paulo Leminski
Eu tão isósceles
Você ângulo
Hipóteses
Sobre o meu tesão

Teses Sínteses
Antíteses
Vê bem onde pises
Pode ser meu coração.

Até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2016 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo