Você está aqui:Home » Dicas » Professores » 10 dicas para ser um professor universitário

10 dicas para ser um professor universitário

Os processos para ingressar na carreira do magistério são diferentes entre os professores universitários e professores da educação básica

Olá professores!

Ser professor universitário é um sonho de muitos estudantes que amam a vida acadêmica e almejam a estabilidade profissional e financeira. Conheça as particularidades desta profissão e as 10 dicas para ser um professor universitário.

Como ser um professor universitário?

Os processos para o ingresso nas instituições de ensino superior como docente podem ser diferentes, a depender se são particulares ou públicas. Porém, cada vez mais são admitidos docentes com especialização. Fundamentalmente é necessário que o candidato possua domínio na área de conhecimento, experiências profissional e didático-pedagógica.

Embora ainda existam poucos casos em que o professor universitário possui apenas a graduação, o modo mais comum de ingressar nesta carreira é possuindo uma pós-graduação e cada vez mais é exigido destes profissionais os títulos de mestre ou doutor.

Por que ser um professor universitário?

A carreira de professor universitário pode, entre muitas vantagens, trazer uma vida financeira estável. Além da realização profissional e da pesquisa, que levam a maioria destes profissionais a escolherem essa profissão.

Constantemente, existem diversas universidades públicas que divulgam editais para vagas de professores efetivos ou substitutos, além dos processos seletivos das universidades privadas.

De acordo com os dados do Censo da Educação Superior de 2014, o número de professores universitários cresceu 36% na última década e o volume de alunos matriculados neste nível de ensino, cresceu mais de 80%.

Vantagens de ser um professor universitário

Para muitos consultores de carreiras, além de ser uma profissão bem remunerada, as principais vantagens em ser um professor universitário são:

  • A possibilidade de manter-se constantemente atualizado;
  • Os planos de carreira possibilitam que a remuneração acompanhe a titulação, ou seja, quanto mais se estuda, melhor o salário;
  • Férias duas vezes por ano.

Diferenças entre professores da educação básica e professores universitários

professora-e-aluna

Na graduação os cursos são classificados como licenciatura ou bacharelado, podendo ser também de dupla formação, ou seja, curso de licenciatura e bacharelado.

A licenciatura habilita o aluno para o exercício do magistério no ensino fundamental e médio, oferecendo disciplinas específicas como Fundamentos da Educação, Organização e Gestão da Escola e Didática e Metodologia do Ensino, além dos estágios em escolas.

Os currículos das duas modalidades são parecidos e com muitas disciplinas em comum, no entanto, ao longo do curso, são incluídas disciplinas específicas que direcionam a atuação profissional e, no caso da licenciatura, entram as disciplinas pedagógicas.

O bacharelado forma o profissional pesquisador da área. Nos cursos de bacharelado as disciplinas são voltadas para a metodologia em pesquisa científica e os estágios são feitos em empresas ou no mercado profissional.

No entanto, muitos estudantes optam por permanecerem mais tempo na universidade a fim de complementarem sua formação na outra modalidade e obter assim a dupla formação: licenciatura e bacharelado.

De um modo geral, os programas de pós-graduação priorizam a pesquisa e, sem intenção, perpetuam a ideia de que, para ser professor universitário basta o conhecimento notório na área, ou seja, ser um bom pesquisador. Porém os próprios pós-graduandos criticam o despreparo pedagógico no início de seus trabalhos em sala de aula.

Para quem reconhece que não domina a didática é recomendado obter a prática dando aulas em cursinhos, escolas ou aulas particulares. Pode-se também cursar especialização em metodologia do ensino como forma de suprir a deficiência pedagógica.

10 dicas para ser um professor universitário

  1. Apaixone-se pelo conhecimento. O professor universitário é antes de tudo um pesquisador;
  2. Descubra durante a graduação a sua área de maior interesse e invista nela;
  3. Se você ainda não iniciou o curso de graduação, dê preferência, quando possível, para a dupla formação, licenciatura e bacharelado;
  4. Se já é bacharel, busque uma complementação com disciplinas de didática e metodologia de ensino;
  5. Faça uma pós-graduação;
  6. Monte um Currículo Lattes na Plataforma Lattes do CNPq. Ele é obrigatório para os professores universitários;
  7. Escolha, no máximo, três disciplinas para as quais deseja se preparar;
  8. Faça contatos e demostre seu interesse em seguir a carreira docente, ainda na graduação;
  9. Procure por um curso de iniciação científica, durante a graduação;
  10. Prepare uma apresentação para a entrevista. Monte um curso, minicurso ou palestra para a banca examinadora;

E saiba que, acima de tudo, o trabalho docente exigem muita dedicação, empenho e paixão pelo ensino;

Gostou das dicas? Quer saber mais sobre o assunto? Deixe suas sugestões ou comentários.

Até mais!

comentários (2)

Deixe um comentário

© 2012-2019 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo