Você está aqui:Home » Concursos & Empregos » Empregos » Menor aprendiz: Guia completo do primeiro emprego

Menor aprendiz: Guia completo do primeiro emprego

Olá leitores!

Processo para ser Menor Aprendiz e estrear no mercado de trabalho

Trabalhar é uma das coisas que assinala, oficialmente, a entrada na vida adulta. Além disso, muita gente deseja trabalhar para deixar de depender de terceiros e assumir as rédeas da própria vida. Porém, as pessoas que não têm experiência podem ter bastante dificuldade para assumir uma vaga no mercado e é justamente aí que a função Menor Aprendiz torna-se tão importante, pois ela abre possibilidade em empresas de renome.

Como funciona o Menor Aprendiz?

É necessário frisar que o jovem aprendiz trabalha por um período reduzido no dia e que isso significa ganhar um salário baixo. Por isso, aqueles que resolverem ser contratados nesse regime não devem ficar decepcionados com o valor que ganharão, embora ele seja variável, já que cada companhia dispõe-se a pagar uma quantia.

Contudo, existem vários aspectos positivos de atuar como jovem aprendiz de uma empresa. Os jovens aprendizes desfrutam de, praticamente, todos os direitos trabalhistas e, por conta disso, não podem receber um valor abaixo do salário mínimo, precisam ter o seu transporte pago, devem receber o 13° pagamento e também ter acesso à alimentação.

Por que é importante ser um Menor aprendiz?

Algumas pessoas equivocadas podem achar que o jovem aprendiz é um trabalho inferior e, por isso, optam por procurar ocupações de outra natureza. No entanto, essas pessoas perdem grandes oportunidades, pois quem é jovem aprendiz aprende muitos pontos do funcionamento da empresa, do mercado de trabalho e ainda adquire experiência como profissional: aprende a se comportar com os colegas, a cumprir prazos e a assumir responsabilidades.

As exigências para se tornar um Menor aprendiz

menor-aprendiz

Não é qualquer pessoa que pode ser jovem aprendiz, pois existe um intervalo referente à faixa etária: é preciso que o aprendiz tenha, no mínimo, 14 anos e, no máximo, 22 anos. Outra exigência é que o jovem interessado faça parte de algum órgão que ofereça programas relacionados à aprendizagem.

Os diferentes programas de Menor aprendiz

Apesar de haver características em comum e orientações que todas as empresas precisam seguir, cada companhia possui o seu próprio programa de jovem aprendiz e isso faz com que haja diferentes cargas horárias e diferentes salários pagos. Vale a pena, porém, ressaltar que os jovens aprendizes não podem trabalhar por um período superior a seis horas.

O Menor aprendiz tem direito a ficar de férias?

Uma vez que aqueles que participam do programa Jovem Aprendiz devem ser tratados como os outros profissionais no que diz respeito aos direitos, eles devem, sim, desfrutar de um período de férias. Já que as empresas precisam dar férias anualmente aos funcionários e o período máximo de atuação como jovem aprendiz é de dois anos, entende-se que o aprendiz deve ficar de férias duas vezes durante o programa e sem descontos.

Como se tornar Menor aprendiz das empresas?

A grande maioria das empresas abre programas para jovens aprendizes com certa frequência. Para tentar uma vaga, é preciso estar de acordo com as especificidades da vaga, realizar um cadastro e tomar parte no processo seletivo. Algumas das companhias que costumam contratar jovens aprendizes são: Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), Casas Bahia, Correios e Carrefour.

O que pode acontecer com o Menor aprendiz quando finalizar o contrato?

É um erro pensar que o programa Menor Aprendiz funciona apenas como uma espécie de trabalho temporário. Apesar de ter um tempo bem delimitado de duração, o programa abre várias possibilidades para a vida profissional de quem participa: é possível, inclusive, que a empresa goste do trabalho realizado pelo aprendiz e contrate-o de forma efetiva.

Até logo!

Deixe um comentário

© 2012-2016 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo