Você está aqui:Home » Dicas » Professores » Exercícios físicos ajudam a fortalecer o cérebro

Exercícios físicos ajudam a fortalecer o cérebro

Olá, pessoal!

Você, professor, fica cansado no fim de um dia de trabalho? Ensinar pode exigir bastante fisicamente. A boa notícia é que todo o levanta e senta, anda, estica, carrega, do dia a dia é tão bom para o seu cérebro quanto pode ser para o seu corpo. Em outras palavras: exercícios físicos ajudam a fortalecer o cérebro.

E estamos falando no bom sentido, de que se mexer, fazer exercício e não ficar muito tempo parado, ajuda a desenvolver sua mente também Veja só estes dados:

  • Atividade física regular é associada com o aumento da produção do neuroquímico BDNF, que auxilia na produção de novos neurônios e sinapses no seu cérebro.
  • Os exercícios aumentam a massa em áreas do cérebro que envolvem funções mais ativas, memória e processos espaciais.
  • Os efeitos da saúde cardiovascular ocasionada pelos exercícios estão relacionados ao aumento do crescimento de vasos sanguíneos que melhoram o fluxo de oxigênio para o cérebro.
  • Exercícios regulares ajudam a aliviar o estresse e os sintomas da depressão e ainda melhoram a perspectiva mais positiva sobre a vida.

Exercícios para o corpo e mente

Acrescentar exercícios à sua rotina diária, como uma caminhada rápida, corrida, passeio de bicicleta, ou na academia mesmo, pode aumentar os benefícios listados acima e ajudar a aumentar a resistência para um dia de ensino mais ativo.

Diretrizes de atividade física para adultos do Centros de Controle e Prevenção de Doenças recomendam pelo menos 150 minutos de exercício aeróbico por semana, e pelo menos duas vezes por semana atividades que trabalham todos os principais grupos musculares de fortalecimento muscular (pernas, quadris, costas, abdômen, peito, ombros e braços).

Exercício aeróbico

Exercício aeróbico regular, o que faz com que você respire com mais dificuldade e seu coração bata mais rápido, melhora a saúde cardiovascular. Mesmo apenas dez minutos de exercício moderado a rigoroso, pode ter um impacto positivo sobre o seu corpo e saúde do cérebro.

Como saber em que nível está o exercício? Aqui está uma boa medida para saber se o seu treino está na faixa moderada ou rigorosa de atividade: quando você está andando, fazendo hidroginástica, ou andando de bicicleta, se você pode falar, mas não cantar, você está em um nível moderado. Durante um treino rigoroso, você não será capaz de dizer mais do que algumas palavras sem parar para recuperar o fôlego.

Musculação

O exercício aeróbico acaba recebendo mais atenção, mas os exercícios de fortalecimento muscular são cruciais para o corpo e a saúde do cérebro também. Pesquisas médicas mostram que o treinamento da força beneficia as pessoas de todas as idades, acrescenta vitalidade e pode neutralizar alguns efeitos do envelhecimento.

O músculo queima calorias de forma mais eficiente do que a gordura, assim adicionar músculos pode aumentar a sua taxa metabólica, melhorar a saúde cardiovascular, aumentar os níveis de colesterol “bom” (HDL). E mais, o exercício ainda incentiva os músculos a usar mais insulina, o que reduz o risco de desenvolver diabetes.

Além disso, um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de British Columbia descobriram que o treinamento de força melhora o funcionamento cognitivo e de memória de adultos mais velhos.

Yoga, levantamento de peso, acessórios ou equipamentos de resistência, exercícios como flexões que usam o peso do corpo para a resistência, e as tarefas que envolvem trabalho pesado, escavação, ou pá são atividades de fortalecimento muscular eficazes. Ou seja, como esta lista demonstra, você não precisa estar na academia para trabalhar os músculos, mas você deve consultar um instrutor, um bom livro ou recurso on-line sobre treinamento de força para desenvolver um treino eficaz que irá funcionar melhor para você.

Descanse melhor fazendo exercícios

Outro ponto positivo de fazer atividade física regular é ter uma melhor noite de sono. O estresse de dar aulas pode tornar difícil desligar seu cérebro para que você possa dormir bem e acordar revigorado e pronto para um novo dia. Em um estudo divulgado pela Fundação Nacional do Sono, os participantes que se exercitaram pelo menos 150 minutos por semana, tiveram 65% melhor qualidade do sono do que aqueles que não exercitam regularmente.

Dormir o suficiente (pelo menos sete horas em média para adultos) pode ajudar a melhorar a capacidade de concentrar sua atenção em tarefas cognitivamente mais exigentes e reduzir a tendência a se sentir sonolento ou sem vontade durante o dia. Exercícios  regulares resultam em noites mais repousantes, que por sua vez podem impulsionar a energia que você precisa para assumir as exigências físicas e cognitivas de sua profissão.

Divirta-se com  os exercícios

É mais fácil se comprometer com uma atividade regular, se você gosta dela. Se desenvolver um regime de exercícios que se adapta às suas preferências individuais e que você espera ansiosamente, será muito mais provável de acabar se tornando uma rotina a longo prazo. Você pode curtir um passeio sozinho no parque ou preferir uma aula de Zumba com os amigos, o que for.

Uma sugestão final é sempre procurar maneiras de adicionar “momentos fitness” nos seus dias. Incorpore alguns momentos para esticar e se mover pela sala de aula com seus alunos durante as transições entre as aulas. Use as escadas em vez do elevador. Estacionar mais longe de seu destino acrescenta alguns passos extras quando você executar tarefas. Esses pequenos hábitos fornecem lembretes para o corpo e o cérebro sobre os benefícios de se mexer um pouco mais.

Professores: não deixem de fazer exercício físico, afinal eles são exercícios para o cérebro também, não é mesmo?

Até a próxima!

comentários (1)

Deixe um comentário

© 2012-2016 Canal do Ensino | Guia de Educação

Voltar para o topo